Homem que esfaqueou torcedor do Boca é condenado na Argentina

Agência Efe
Eitan Abramovich/AFP/Getty Images
Torcida do Boca Juniors no duelo contra o Nacional-URU pela Libertadores de 2016
Torcida do Boca Juniors no duelo contra o Nacional-URU pela Libertadores de 2016

A Justiça da Argentina condenou nesta sexta-feira a 16 anos de prisão um homem que em maio de 2016 esfaqueou e matou um torcedor do Boca Juniors na saída de um bar de Buenos Aires, informaram fontes judiciais.

Tanto a Promotoria, que tinha acusado Gustavo Oliveira, de 53 anos, por "homicídio agravado por aleivosia" de Eduardo Cicchino, de 26 anos, como os advogados que representam os familiares da vítima, tinham pedido a prisão perpétua do criminoso.

O incidente ocorreu quando Cicchino, acompanhado de um amigo, saía de um bar no bairro de San Telmo após festejar uma vitória do Boca contra o Nacional-URU pela Taça Libertadores.

No local, os jovens tinham comemorado os gols enquanto o agora condenado, que também assistia ao jogo no bar, observava a situação e gritava frases depreciativas contra os torcedores do Boca.

Sampaoli fala sobre interesse da Argentina: 'Eu não poderia recusar'

Fora do local, Olivera continuou agredindo os dois torcedores verbalmente. A discussão transformou em briga, que só parou graças a intervenção de um dos garçons, testemunha no julgamento.

Bertozzi comenta os desafios de Sampaoli na seleção argentina: 'Terá pouco tempo'

Quando o garçom se aproximou, viu que Cicchino estava sangrando na altura do peito, enquanto Oliveira segurava uma faca.

Olivera foi preso pouco depois do incidente por um policial que viu o autor do crime jogando a faca fora. Cicchino foi levado ao hospital, ficou internado na UTI, mas morreu 13 dias depois.