Com brasileiro na lista, veja as melhores e as piores escolhas de cada time da NBA no draft

ESPN.com.br
Getty
Rafael Baby apareceu na lista de melhores e piores draftados na NBA
Rafael Baby apareceu na lista de melhores e piores draftados na NBA

Está definida a ordem dos primeiros picks do draft da NBA, os chamados picks de loteria - os 14 primeiros de cada ano, cuja ordenação é definida justamente pelo sorteio.

Mas, antes de olhar para o futuro, a ESPN olha para o passado e relembra as melhores e as piores escolhas de cada franquia no draft.

E tem até brasileiro na lista: Rafael Baby, escolhido na oitava posição de 2004 pelo Toronto Raptors.

Veja os melhores e piores de cada time:

  •  Atlanta Hawks

Melhor: Al Horford, nº 3, 2007 /Jason Terry, Nº 10, 1999
Pior: Jon Koncak, nº 5, 1985

Terry teve uma longa e produtiva carreira, mas Horford foi um jogador de maior impacto. Mas podemos concordar que draftar Koncak ao invés de Chris Mullin, Karl Malone e Jor Dumars (todos no Hall da Fama) foi um erro enorme.

 

  •  Boston Celtics

Melhor: Paul Pierce, nº 10, 1998
Pior: Ron Mercer, nº 6, 1997

Ficar com Pierce foi uma sorte para os Celtics. Ele era altamente especulado como uma das três primeiras escolhas antes de um dia inexplicável de drat que terminou com Robert Traylo e Larry Hughes sendo escolhidos antes dele.

Ron Mercer, de Kentucky, foi escolhido três postos à frente de Tracy McGrady, em uma era que escolher um jogador vindo direto do ensino médio (como McGready) era considerado um risco enorme.

* A escolha mais trágica do Boston Celtics foi Len Bias, número 2 do draft de 1986. Sua morte no dia seguinte ao draft chocou o mundo dos esportes e deixou a franquia devastada.

 

  •  Brooklyn Nets

Melhor: Brook Lopez, nº 10, 2008
Pior: Dennis Hopson, nº 3, 1987, Kerry Kittles, Nº 8, 1996

Ele tem uma carreira sólida na NBA quando consegue ficar saudável, mas ter Lopez como a melhor escolha de draft diz alguma coisa sobre os Nets.

Os Nets amavam Kobe Bryant antes do draft, mas estavam preocupados que ele não gostaria de jogar na equipe, então draftaram Kittles em seu lugar. Um passo em falso que mudou o curso da franquia. Hopson foi draftado duas escolhas à frente de Scottie Pippen em 1987.

 

  •  Charlotte Hornets

Melhor: Alonzo Mourning, nº 2, 1992, Kemba Walker, Nº 9, 2011
Pior: Adam Morrison, nº 3, 2006

Mourning foi o primeiro grande jogador da história dos Hornets, o primeiro calouro a ter médias de 20 pontos e 10 rebotes desde David Robinson. Mas ele só passou três temporadas por lá. Walker vem de sua primeira aparição no All-Star Game e vem tendo um impacto mais duradouro no time.

Morrison? Ele terminou com uma estatística negativa de win shares (basicamente, o quanto um jogador participa da vitória de um time). Mesmo que o draft de 2006 não tenha sido lá tão grandioso, Brandon Roy ou Rudy Gay teriam significado uma melhora.

 

  •  Chicago Bulls

Melhor: Scottie Pippen, nº 5, 1987 (adquirido via troca)
Pior: Eddy Curry, nº 4, 2001

Michael Jordan teria ganhado seis anéis se os Bulls não tivessem draftado Pippen em 1987? O brilho enorme de Jordan ofuscou o quão especial e essencial Pippen era em Chicago.

Curry foi um jogador sólido por muitas temporadas, mas atletas como Shane Battier e Joe Johnson serima escolhas muito melhores.

 

  •  Cleveland Cavaliers

Melhor: LeBron James, nº 1, 2003
Pior: Anthony Bennett, nº 1, 2013, Vitaly Potapenko, Nº 12, 1996

Não apenas James é a melhor escolha dos Cavs: a ESPN já disse que ele é a melhor escolha de todos os tempos, baseado em como contribuiu para seu time ganhar campeonatos.

Por outro lado, Bennett está concorrendo como o pior pick 1 da história. Potapenko foi escolhido uma posição à frente de Kobe Bryant no proveitoso draft de 1996.

 

  •  Dallas Mavericks

Melhor: Dirk Nowitzki, nº 9, 1998 (adquirido via troca)
Pior: Jim Jackson, nº 4, 1992, Samaki Walker, Nº 9, 1996

Esse mês de junho marca 19 anos desde que os Mavericks trocaram a sexta pela nona escolha com os Bulls para draftar Nowitzki. E eles ainda colhem os frutos disso.

Walker foi draftado na frente de Kobe Bryant e Steve Nash, ambos Hall da Fama, enquanto Jackson representa uma imensa queda de um top-3 que teve Shaquille O'Neal, Mourning e Christian Laettner.

 

  •  Denver Nuggets

Melhor: Dikembe Mutombo, nº 4, 1991
Pior: Tony Battie, nº 5, 1997, Nikoloz Tskitishvili, Nº 5, 2002

Quatro vezes vencedor do prêmio de Melhor Defensor do Ano (embora um dos prêmios tenha vindo depois de trocar os Nuggets pelos Hawks), Mutombo foi introduzido ao Hall da Fama em 2015.

Battie teve uma longa carreira de 14 anos, mas foi escolhido quatro posições à frente de Tracy mcGrady. Tskitishvili, draftado na onda da NBA de achar o ‘próximo Dirk', durou apenas quatro anos e foi escolhido quatro posições à frente de Amar'e Stoudemire.

 

  •  Detroit Pistons

Melhor: Andre Drummond, nº 9, 2012
Pior: Darko Milicic, nº 2, 2003

Drummond é um trabalho ainda em andamento, mas é um atleta incrível, que domina o garrafão.

Darko supostamente era para ser o próximo grande jogador estrangeiro, mas nunca conseguiu sustentar a expectativa que tinha. Se os Pistons tivessem escolhido Chris Bosh (draftado logo na sequência), provavelmente teriam tido chances de título por mais tempo.

 

  •  Golden State Warriors

Melhor: Stephen Curry, nº 7, 2009
Pior: Todd Fuller, nº 11, 1996, Ekpe Udoh, Nº. 6, 2010

Os Warriors tinham um acordo com os Suns para trocar a escolha daquele ano por Amar'e Stoudemire, mas acabaram desistindo. Oito anos, dois MVP's e um título (e ainda contando) depois, Golden State jamais olhou para trás.

No ano seguinte, os Warriors selecionaram Udoh a frente de Gordon Hayward e Paul George. Foram décadas de procura por um pivô, o que fez com que Golden State também draftasse Fuller ao invés de Kobe Bryant.

 

  •  Houston Rockets

Melhor: Yao Ming, nº 1, 2002
Pior: Eddie Griffin, nº 7, 2001

Apesar de ter a sua carreira encurtada por lesões, Yao ainda aparece facilmente como a melhor escolha da história dos Rockets.

Do outro lado, Houston trocou três escolhas de primeira rodada com o New Jersey Nets - uma delas foi usada para pegar Richard Jefferson - para poder acolher Griffin em 2011. O alcoolismo, porém, impediu que Griffin pudesse tirar vantagem de suas habilidades de prodígio e, mais tragicamente, o levaram a morte em 2007, quando seu carro foi atingido por um trem.

 

  •  Indiana Pacers

Melhor: Paul George, nº 10, 2010
Pior: Jonathan Bender, Nº 5, 1999

Reggie Miller pode ser o melhor pick de draft que os Pacers já fizeram, mas ele não foi uma escolha de loteria. Em 1987, a loteria só tinha sete times. George sempre mostrou potencial para passar Miller, mas uma lesão grave e a possibilidade de sair como agente-livre atrapalham um pouco seu legado.

Bender, um jogador talentoso atormentado por lesão, fica na frente de nomes como Shawn Marion, Andre Miller e Rip Hamilton.

 

  •  LA Clippers

Melhor: Blake Griffin, nº 1, 2009
Pior: Michael Olowokandi, nº 1, 1998

Das 22 escolhas de loterias que os Clippers fizeram, só uma bateu as expectativas no pick e a qualidade do draft: Griffin, que superou lesões para virar um dos pilares em Los Angeles.

Os Clippers escolheram Olowokandi como escolha número 1 em uma loteria que, provavelmente, produzirá três membros do Hall da Fama da NBA (Dirk Nowitzki, Paul Pierce e Vince Carter).

 

  •  Los Angeles Lakers

Melhor: Kobe Bryant, nº 13, 1996 (via troca)
Pior: Ninguém

Os Lakers se beneficiaram do desejo de Bryant de jogar em Los Angeles, o que levou os Nets a passarem por ele e permitirem que os Lakers trocassem Vlade Divac pelo pick necessário para draftar o craque.

Como os Lakers só tiveram seis escolhas de loteria e as três primeiras (Bryant, Andrew Bynum e Eddie Jones) todas viraram estrelas, não há escolha óbvia aqui. Consideramos Bynum, que teve a carreira encurtada por lesões, e Brandon Ingram, que não teve uma grande temporada de calouro após ser a segunda escolha geral em 2016, mas ainda é cedo para ter certezas com Ingram.

 

  •  Memphis Grizzlies

Melhor: Paul Gasol, nº 3, 2001 (via troca)
Pior: Hasheem Thabeet, Nº 2, 2009

Os Grizzlies mandaram Shareef Abdur-Rahim e uma escolha para os Hawks em troca de um pacote encabeçado por Gasol, que se tornou o primeiro All-Star de Memphis desde a mudança do time de Vancouver.

A loteria de 2009 estava cheia de bilhetes premiados, incluindo Stephen Curry e James Harden, mas os Grizzlies acharam um perdedor com Thabeet, que só jogou 2.357 minutos na NBA.

 

  •  Miami Heat

Melhor: Dwyane Wade, nº 5, 2003
Pior: Michael Beasley, nº 2, 2008

Pat Riley passou o dia que antecedeu o draft discutindo entre Maciej Lampe, Kirk Hinrich e Wade, antes de finalmente optar pelo último na quinta escolha - provavelmente, sua melhor decisão na vida.

Beasley, por outro lado? Foi escolhido duas posições à frente de Russell Westbrook.

 

  •  Milwaukee Bucks

Melhor: Ray Allen, nº 5, 1996 (via troca)
Pior: Robert Traylor, nº 6, 1998

Os Bucks trocaram escolhas com o Timberwolves na noite do draft em 1996 e ficaram com a melhor parte da troca Allen-Stephon Marbury. Quem advinharia que eles estavam draftando talvez o maior chutador de sua geração?

Dois anos depois, eles perderam a chance de se tornarem favoritos constantes quando trocaram o direito de draftar Nowitzki com os Mavericks por Traylor.

 

  •  Minnesota Timberwolves

Melhor: Kevin Garnett, nº 5, 1995
Pior: Wally Szczerbiak, nº 6, 1999/Jonny Flynn, nº 6, 2009

Quando os Timberwolves escolheram Garnett, ele foi o primeiro jogador draftado direto do colegial em duas décadas. A opção pareceu genial depois que Garnett se tornou MVP.

Flynn foi escolhido uma posição acima de Curry. Ele foi um desastre como peça do trio ofensivo de Kurt Rambis e uma cirurgia de quadril marcou o fim de sua passagem pela NBA. Szczerbiak foi uma escolha ainda pior por causa da força da loteria de 1999; os quatro picks seguintes (Hamilton, Miller, Marion e Terry) foram todos grandes nomes da NBA.

 

  •  New Orleans Pelicans

Melhor: Chris Paul, nº 4, 2005
Pior: Hilton Armstrong, nº 12, 2006

Paul não foi sequer o primeiro armador draftado em 2005, escolhido uma posição após Deron Williams, e o debate foi longo antes de pesar a favor de Paul.

O draft de 2006 foi excepcionalmente fraco por ser o primeiro ano da NBA com limite de idade, e Armstrong foi um dos vários nascidos nos anos 90 a ser escolhido na loteria.

 

  •  New York Knicks

Melhor: Patrick Ewing, nº 1, 1985
Pior: Mike Sweetney, nº 9, 2003

A primeira escolha da era da loteria esteve envolvida em diversas teorias da conspiração, incluindo um envelope frio. Ele nunca se empolgou com o clima que envolveu no colegial, mas Ewing foi uma superestrela dos Knicks por mais de uma década.

O potencial de Sweetney foi encoberto por suas tentativas frustradas de se manter em forma.

 

  •  Oklahoma City Thunder

Melhor: James Harden, nº 3, 2009, Gary Payton, nº 2, 1990,
Pior: Cole Aldrich, nº 11, 2010, Robert Swift, nº 12, 2004

Considerando apenas a era em Oklahoma, não temos Kevin Durant, Russell Westbrook e nem Gary Payton. Mesmo assim, draftar um candidato a MVP na terceira escolha não é nada mal.

O Thunder nunca errou tão feio em um draft, visto que Aldrich ao menos é um jogador de rotação. Swift teve o desenvolvimento atrapalhado por uma lesão no joelho.

 

  •  Orlando Magic

Melhor: Shaquille O'Neal, nº 1, 1992 
Pior: Fran Vazquez, nº 11, 2005

O'Neal apareceu como quarto melhor pick 1 da história da NBA. Apesar de ter abandonado o Magic antes de conseguir um troféu, O'Neal é o jogador mais famoso que já passou por Orlando.

O Magic draftou Vasquez sem garantia nenhuma de que um dia ele jogaria na NBA. Quando ele disse que preferia terminar sua carreira na Europa, significou uma escolha jogada no lixo. E Danny Granger foi escolhido pouco antes naquele draft.

 

  •  Philadelphia 76ers

Melhor: Andre Iguodala, nº 9, 2004, Allen Iverson, nº 1, 1996
Pior: Larry Hughes, nº 8, 1998, Evan Turner, nº 2, 2010

Iverson foi um jogador complicado para montar o time ao seu redor, mas ele levou praticamente sozinho os Sixers ao título do Leste em 2001. Iguodala sempre foi mais um jogador de time, mas se destacou ainda mais como o sexto homem de Golden State nos últimos anos.

Hughes foi sólido, mas a decisão de escolhê-lo antes de Nowitzki e Paul Pierce vai atormentar a equipe para sempre. Turner foi draftado a frente de DeMarcus Cousins, Paul George e Gordon Hayward.

 

  •  Phoenix Suns

Melhor: Shawn Marion, nº 9, 1999 
Pior: Armon Gilliam, nº 2, 1987

Ao lado de Nash, que não foi draftado na loteria (entre os 14 primeiros), o resto da ótima era Mike D'Antoni nos Suns foi construído ao redor de picks 9: Marion em 1999 e Stoudemire em 2002, ambos ótimas escolhas.

Apesar de Gilliam ter tido uma carreira melhor que nomes como William Bedford e Earl Clark, as expectativas em torno de um número 2 no draft eram bem maiores. Ainda mais em um draft que teve os Halls da Fama Scottie Pippen e Reggie Miller, além dos All-Stars Kevin Johnson e Horace Grant

 

  •  Portland Trail Blazers

Melhor: Damian Lillard, nº 6, 2012 
Pior: Greg Oden, nº 1, 2007

Os Blazers aceleraram o processo de reconstrução da equipe ao mandar Gerald Wallace aos Nets pela sexta escolha do draft de 2012, que eles usaram para pegar Lillard. Wallace não rendeu mais na liga, enquanto Lillard se tornou uma estrela em Portland.

Os joelhos de Oden não o deixaram jogar na NBA, tornando-o uma das maiores decepções da liga.

 

  •  Sacramento Kings

Melhor: DeMarcus Cousins, nº 5, 2010 
Pior: Joe Kleine, nº 6, 1985, Thomas Robinson, nº 5, 2011

Quaisquer que sejam seus sentimentos quanto ao tamanho da culpa de Cousins na instabilidade dos Kings, ele foi uma grande escolha, ainda mais considerando que saiu entre Wesley Johnson e Epke Udoh no draft.

Um ano depois, os Kings escolheram Robinson a frente de Lillard e Drummond. Kleine foi um exemplo de como a liga supervaloriza os grandalhões na década de 80. Os três picks depois dele? Mullin, Detlef Schrempf e Charles Oakley.

 

  •  San Antonio Spurs

Melhor: Tim Duncan, nº 1, 1997 
Pior: Ninguém

Os Spurs tiveram apenas três picks de loteria nos últimos 33 anos, comprovando o quão bons foram duas destas escolhas. Números 1 em seus drafts, Duncan e David Robinson ancoraram San Antonio por mais de um quarto de século.

O principal candidato para ‘pior' seria Sean Elliot, escolha número 3 de 1989. Mas considerando a qualidade de sua carreira, ele não pertence à lista das piores escolhas.

 

  •  Toronto Raptors

Melhor: Tracy McGrady, nº 9, 1997 
Pior: Rafael Baby Araújo, nº 8, 2004

Você pode discutir quem foi o melhor: McGrady ou Bosh. Ambos foram All-Star que tiveram suas carreiras interrompidas por problemas de saúde. Mas se fosse um draft hoje, McGrady provavelmente sairia à frente de Bosh. Quando estava no auge, foi o mais letal pontuador da NBA.

Baby? Ele já tinha quase 24 anos e agora é o maior exemplo que não se deve draftar pensando apenas na necessidade da posição. Iguodala foi escolhido depois dele.

 

  •  Utah Jazz

Melhor: Deron Williams, nº 3, 2005, Gordon Hayward, nº 9, 2010
Pior: Dante Exum, nº 5, 2014, Trey Burke, nº 9, 2013

Apesar de não ter tido muitas escolhas de loteria nos últimos anos (foram 9 em 33 anos), o Jazz tem como se orgulhar de ter draftado dois All-Stars: Hayward e Williams - e considerando ainda que Karl Malone e John Stockton foram escolhidos fora da loteria.

Utah abriu mão de ter duas escolhas na primeira rodada para subir no draft e ficar com Burke, que acabou excluído da rotação dos Wizards nesta temporada. Exum ainda tem muito tempo para melhorar, principalmente considerando que perdeu uma temporada por lesão no joelho, mas até agora Marcus Smart e Elfrid Payton teriam sido escolhas muito mais produtivas.

 

  •  Washington Wizards

Melhor: John Wall, nº 1, 2010, Rasheed Wallace, nº 4, 1995
Pior: Kwame Brown, nº 1, 2001, Calbert Cheaney, nº 6, 1993

Os Wizards não são exatamente conhecidos por fazerem boas escolhas, mas Wall se tornou um armador de elite ainda com muitos anos de carreira pela frente. Wallace teve a melhor carreira em termos de estatísticas, mas passou apenas uma temporada com os Wizards e foi quase que figurativo por lá.

Brown é uma das piores primeiras escolhas da história. Pau Gasol foi escolhido duas posições depois. Cheaney saiu na frente de All-Stars como Vin Baker e Allan Houston e terminou com uma carreira pífia.