Justiça dá três dias para Corinthians quitar R$ 3 milhões de três calotes ocorridos em menos de 24 horas

Diego Garcia, do ESPN.com.br
Bruno Cantini / Atlético
Marlone está emprestado ao Atlético-MG, mas pode render prejuízo ao Corinthians
Marlone está emprestado ao Atlético-MG, mas pode render prejuízo ao Corinthians

A Justiça de São Paulo deu três dias para o Corinthians quitar três dívidas de calotes feitos pelo clube, em cobranças que chegam a R$ 3 milhões.

Conforme antecipou o ESPN.com.br na semana passada, o time do Parque São Jorge levou três acusações distintas de falta de pagamento com três entidades diferentes, em um período de menos de 24 horas.

Primeiro, o clube do Parque São Jorge foi acionado no Poder Judiciário por calote nas transferências de Kazim, do Coritiba, e também Marlone, quando veio do Penapolense.

No dia seguinte, foi a vez do SEV Hortolândia ir à Justiça contra o time paulistano por conta de falta de pagamento na transação de um atleta, no caso, o zagueiro Vilson.

Os três clubes são os autores das ações e tiveram decisões iniciais da Justiça favoráveis - a Penapolense ainda precisa regularizar uma assinatura antes que o Corinthians seja citado.

Com cobranças de aproximadamente R$ 900 mil por Kazim R$ 1,7 milhão por Marlone e R$ 300 mil por Vilson, o Corinthians agora tem que correr contra o tempo para ver o que fazer.

As três decisões, que são de juízes e varas diferentes da Justiça de São Paulo, dão ao clube da capital três dias para efetuar os pagamentos, sob pena de sofrer penhora de seus bens.

Apesar disso, o clube deve apresentar defesa em cada caso específico, o que pode ser feito em até 15 dias. A contagem da data só passa a valer após a citação ocorrida por meio de oficiais de Justiça, que vão se dirigir nos próximos dias ao Parque São Jorge.

Cássio lamenta ter escorregado em lance de gol da Chape: 'Não consegui sair com explosão'

À reportagem, o clube havia dito que ainda não tem conhecimento das cobranças, já que ainda não foi citado de forma oficial pelo Poder Judiciário.

Vale lembrar que, no mês passado, o mesmo SEV Hortolândia processou o Corinthians cobrando R$ 1 milhão pela transferência de Petros, em 2015, em nova informação antecipada pela reportagem. Nesse caso, no entanto, a decisão ainda não foi contrária à equipe alvinegra.