Superliga Europeia? Bayern descarta e chama de 'grande teatro': 'Os espanhóis e um par de ingleses querem'

ESPN.com.br
Getty
Uli Hoeness disse que o Bayern de Munique está fora do projeto
Uli Hoeness disse que o Bayern de Munique está fora do projeto

Os planos de construção de uma Superliga Europeia não têm o apoio do Bayern de Munique.

A conversa não é nova, existe desde o fim dos anos 90 e surge a cada vez que os clubes recorrem ao seu poder de barganha para ameaçar dar as costas à Champions League. Para o presidente dos bávaros, Uli Hoeness, a sua criação atingiria diretamente a Bundesliga, resultando até mesmo em seu fim, e esse é um risco que, segundo deixou claro em entrevista ao jornal Blick, não está disposto a correr.

O posicionamento representa uma mudança de postura do Bayern, que, em outros ocasiões, se mostrou favorável à iniciativa rebelde.

"Isso (Superliga) é o que querem algumas equipes grandes, especialmente os espanhóis, também um par de ingleses. O Bayern se distanciou desse grande teatro, pois uma Superliga Europeia acabaria acarretando em longo prazo que a Bundesliga morra", afirmou Hoeness à publicação tcheca.

"Se o Bayern e o Borussia Dortmund entram nessa Superliga, a Bundesliga se converteria em um produto de segunda classe. E a gente não quer isso. Se em 20, 30 anos isso acabará acontecendo, não sei. Mas sempre que tivemos a chance de nos manifestarmos, vamos tentar evitá-la", completou.

Assista ao gol a vitória do Bayern por 1 a 0 sobre o Darmstadt

Em 1998, clubes como Milan e Manchester United chegaram a discutir com uma empresa de marketing esportivo a formação de uma liga independente, gerando até ameaças da Fifa.

A resposta da Uefa foi o aumento da Champions League, que passou de 24 clubes para os atuais 32 na fase de grupos, e uma participação maior dos clubes nas receitas de patrocínio e direitos de televisão, além de aumentar os prêmios. A antiga Recopa foi extinta e se fundiu à Copa da Uefa, atual Liga Europa.

Rafinha celebra pentacampeonato do Bayern e só pensa em festejar: 'Não tem hora para terminar'