Juíza retira condenação de homicídio de ex-jogador da NFL que se matou na cadeia

ESPN.com.br
Jared Wickerham/Getty Images
Aaron Hernandez no julgamento em agosto de 2013
Aaron Hernandez no julgamento em agosto de 2013

A juíza Susan Garsh, da corte de Bristol (estado de Massachusetts), retirou a condenação por homicídio dada em 2013 a Aaron Hernández, ex-jogador de futebol americano que cometeu suicídio no último 19 de abril na cadeia.

Uma lei do estado de Massachusetts permite que um caso seja reiniciado se o reú morrer antes de sua conclusão, e o ex-tight end havia apelado da condenação.

Com isso, diante da lei, ele é considerado agora inocente.

Os promotores argumentam que apagar a condenação recompensaria Aaron Hernández - que tinha condenação perpétua - por tirar a sua vida e planejam apelar da sentença ainda nesta terça-feira na Suprema Corte de Massachusetts.

Ele nasceu em Pittsburgh, venceu o câncer e foi draftado pelos Steelers; veja a reação

De acordo com o site Yahoo Sports, a retirada da condenação tornaria impossível para o New England Patriots se negar a pagar o bônus assinado pelo ex-jogador em 2012 - ainda teriam três parcelas a serem pagas. A franquia também não conseguiria recuperar todo o dinheiro que deu a Aaron Hernández no âmbito da extensão do contrato.

Rômulo lamenta suicídio de Hernandez: 'História de uma tristeza profunda que não é tão surpreendente

Cinco dias antes de sua morte, o ex-tight end havia sido absolvido da acusação de homicídio duplo em 2012.