Boca Juniors repudia insultos racistas contra lateral colombiano

Agência EFE
Getty
Frank Fabra foi alvo de insultos durante a partida contra o Estudiantes
Frank Fabra (à dir.) foi alvo de insultos durante a partida do Boca contra o Estudiantes

O Boca Juniors repudiou nesta segunda-feira os insultos racistas recebidos pelo lateral esquerdo colombiano Frank Fabra durante o empate por 0 a 0 com o Estudiantes, pela 23ª rodada do Campeonato Argentino.

"O Club Atlético Boca Juniors repudia enfaticamente as agressões verbais e os atos de discriminação sofridas pelo jogador do clube, Frank Fabra, na última partida do Campeonato Argentino, disputada no sábado passado contra o Estudantes", publicou o clube em comunicado.

O colombiano abandonou o gramado do estádio Ciudad de La Plata visivelmente impactado depois de ter sido alvo de insultos dos torcedores do Estudantes, sem que o árbitro parasse o jogo.

Os xeneizes, líderes do campeonato, acrescentaram que "nas próximas horas" farão uma queixa à Associação do Futebol Argentino (AFA) para que os árbitros ajam com instruções mais precisas perante este tipo de situação, que descreveram como "inadmissível".

"Os jogadores do Boca Juniors alertaram o árbitro do jogo, Silvio Trucco, no momento das agressões e inclusive o apontaram de que setor vinham os insultos xenofóbicos. No entanto, a partida continuou", afirmou o clube.

Sai da frente! Técnico do Estudiantes enlouquece com expulsão, rasga a camisa e sai de campo ensandecido 

O capitão do Boca, Darío Benedetto, se aproximou do árbitro ao término do primeiro tempo para explicar a situação, mas Trucco decidiu não interromper o jogo porque se tratava "de agravos isolados", segundo a edição digital do jornal esportivo Olé.

Segundo a imprensa argentina, vários atletias do Estudiantes se solidarizaram com o lateral do Boca e demonstraram apoio a ele contra os insultos recebidos.