Investigador das explosões em Dortmund: 'Se fosse um segundo antes, é possível que houvesse mortos'

Gazeta Press
Getty
Três explosões ocorreram perto do ônibus do Borussia Dortmund
Três explosões ocorreram perto do ônibus do Borussia Dortmund

As bombas que explodiram perto do ônibus do Borussia Dortmund, na última terça-feira, quando a delegação se encaminhava ao estádio Signal Iduna Park para enfrentar o Monaco, seguem repercutindo. Neste domingo, o jornal alemão Bild am Sonntag publicou entrevista com um dos investigadores do caso.

De acordo com ele, os tripulantes do veículo poderiam ter destino ainda pior, em uma questão de pouquíssimo tempo. "Se as bombas fossem detonadas um segundo antes, é possível que houvesse ainda mais feridos, e talvez até mortos", afirmou o membro da Polícia Federal alemã.

No episódio, apenas o zagueiro espanhol Marc Bartra teve ferimentos mais consideráveis. Ele precisou passar por cirurgia no pulso e já deixou o hospital. O atleta deve ficar cerca de um mês sem atuar.

Ténico do Borussia Dortmund critica decisão de adiamento sem consulta: 'Sensação de impotência'

A autoria do atentado contra o ônibus ainda não foi confirmada pelas autoridades da Alemanha. Uma carta foi deixada no local das explosões, mas ainda está sendo investigada a veracidade dela.

Solidariedade: Torcedores do Dortmund 'adotam' fãs do Monaco por uma noite

O duelo entre Borussia Dortmund e Monaco foi adiado para a quarta-feira, e acabou vencido pelos franceses, por 3 a 2, mesmo fora de casa. Após a partida, o técnico Thomas Tuchel criticou o fato de a Uefa não ter o confronto menos de 24 horas depois do ataque. O jogo de volta é na próxima quarta-feira.