Time nanico aciona o Corinthians na Justiça e cobra mais de R$ 1 milhão por Petros

Diego Garcia, do ESPN.com.br
Getty
Petros defendeu o Corinthians entre 2014 e 2015
Petros defendeu o Corinthians entre 2014 e 2015

O SEV Hortolândia foi à Justiça contra o Corinthians na semana passada, em ação que corre na 4ª Vara Cível do Foro Regional VIII, no Tatuapé, em São Paulo.

O time cobra R$ 1.163.713,03 referente a uma parte da venda de Petros ao Betis, da Espanha, no meio de 2015.

A equipe alega que o Corinthians recebeu 1,385 milhão de euros pela transferência, e que 50% do montante deveria ser do time do interior.

O time é de Hortolândia, interior de São Paulo, e diz ter firmado com o Corinthians um contrato, em 21 de julho de 2014, com "cessão temporária de direitos federativos de atleta de futebol em cessão definitiva e outras avenças".

Nos termos do acordo, o clube diz que o contrato consiste no reconhecimento do condomínio de direitos econômicos sobre eventual transferência definitiva de Petros, em transação que seria dividida em 50% para cada um.

O clube do interior diz que só recebeu a primeira parcela, referente a 25% do total, mas que o Corinthians não pagou as últimas.

"(O SEV) Buscou todas as alternativas de solução amigável da dívida, contudo, mesmo após ser notificado extrajudicialmente, o Corinthians não adimpliu com a sua obrigação nem mesmo justificou seu inadimplemento", disse o time à Justiça. "Sequer respondeu à missiva encaminhava", acrescentou.

Petros reclama de rolinho de Neymar e explica chapéu em Messi: 'Única alternativa que eu tinha'

Procurado, o clube do Parque São Jorge ainda desconhece o processo.

"Não chegou nada ainda para a gente, estou recebendo a informação por você", disse o advogado do clube, Diógenes Mello. Assim que for notificado por um oficial de Justiça, o clube deve apresentar defesa.

Petros está no Betis até hoje e recentemente renovou seu contrato até 2020.