Renato admite torcida pelo Palmeiras, mas diz: 'Temos que fazer nossa parte'

Gazeta Press
GUILHERME DIONIZIO/Gazeta Press
Renato durante treino do Santos no CT reu Pelé
Renato durante treino do Santos no CT reu Pelé

Sabe aquele ditado que diz "Se não pode vencê-los, junte-se a eles?" É o que o Santos terá de fazer nos próximos jogos. Afinal, após ser derrotado pelo Palmeiras por 2 a 1, no último domingo, na Vila Belmiro, o alvinegro estacionou nos 13 pontos e agora precisará torcer para o adversário derrotar Mirassol e Ponte Preta nas próximas rodadas do Campeonato Paulista.

A equipe campineira (14 pontos) e a grande surpresa do Estadual (15 pontos) estão na frente do Santos no grupo D, restando apenas três rodadas para o término da primeira fase do torneio. Por conta disso, o volante Renato admite que irá "secar" as duas equipes do interior.

"Temos que torcer por tropeço dos dois (Mirassol e Ponte Preta), mas temos que fazer a nossa parte. O fundamental é entrar nessas últimas três rodadas procurando buscar as vitórias. São jogos difíceis. O Palmeiras está na primeira colocação, mas a gente está na briga e esperamos depender só de nós para a classificação", explicou o veterano, em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, no CT Rei Pelé.

E para alcançar a vaga para as quartas de final do Paulistão, o Santos terá dois desafios fora de casa, contra São Bento, nesta quarta-feira, às 20h30, e Santo André, no próximo sábado, às 15h. Por fim, o alvinegro recebe o Novorizontino, no dia 29, na Vila Belmiro.

Triangulação santista x verticalidade palmeirense: DataESPN analisa o clássico paulista

"A gente vai lutar até o final para buscar essa classificação. Vamos continuar trabalhando, sabemos que a Libertadores volta em abril. Mas estamos focados no Paulista", concluiu o camisa 8.