Cristóvão Borges não resiste à pressão e deixa o Vasco

ESPN.com.br
Vascaínos aprovam demissão de Cristóvão Borges: 'Não tem competência'

O técnico Cristóvão Borges, 57 anos, não resistiu à pressão da torcida e da falta de resultados e foi demitido pelo Vasco nesta sexta-feira.

"A direção do Club de Regatas Vasco da Gama comunica a saída do treinador Cristóvão Borges a partir desta sexta-feira (17/03). O Vasco agradece os serviços prestados pelo profissional, que sempre trabalhou com dedicação", publicou o site oficial do clube, em nota assinada por Eurico Miranda.

O comandante cruzmaltino trazido em novembro foi comunicado da decisão ao retornar de Salvador no início da tarde, após a derrota para o Vitória no Barradão e eliminação na terceira fase da Copa do Brasil. Ele se reuniu com o presidente Eurico Miranda, o vice-presidente de futebol Eurico Brandão e o diretor de futebol Anderson Barros logo após pousar no Rio de Janeiro e se dirigir a São Januário.

Os nomes de PC Gusmão, Rogério Micale e Vanderlei Luxemburgo estão cotados na Colina Sagrada.

Em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN Brasil, Eurico havia revelado que Cristóvão possui contrato CLT (regime trabalhista).

Ainda de acordo com o mandatário, ele se orgulhava de não mandar treinador embora.

A saída de Cristóvão Borges se tornou inevitável a partir da pressão considerada acima do normal vinda das arquibancadas.

Cristóvão diz estar chateado após eliminação; Nenê lamenta: 'Temos que aumentar tudo'

No ano passado, ele substituiu Tite no Corinthians, enfrentou ofensas e não resistiu após três meses de trabalho. Foram cinco meses no Atlético-PR antes.

Em 14 jogos no Vasco, foram sete vitórias, dois empates e cinco derrotas, com aproveitamento de 54,76%.