Felipe Santana chega ao Atlético-MG falando em seleção: 'Vim mostrar ao Brasil quem sou'

Gazeta Press
Felipe Santana e Danilo Barcelos destacam suas qualidades e mostram otimismo no Atlético-MG

Felipe Santana chegou falando grosso e sonhando alto no Atlético-MG. Depois de nove anos atuando no exterior, o zagueiro, que tem boa reputação na Europa, vestiu oficialmente a camisa do clube, disse que chegou para ser mais reconhecido dentro do próprio país e falou até em seleção brasileira.

"Exatamente esse é o motivo para voltar ao Brasil. Haviam outras propostas. Sou conhecido lá fora, e dentro do Brasil ainda não. Calhou de encontrar o clube e uma pessoa espetacular. Por telefone, eu pude entrar em contato com o Roger e vim a acertar com o Atlético-MG. Chegou a hora de mostrar a cara, mostrar quem sou eu aqui no Brasil. Vou ter dificuldades, mas a melhor maneira é mostrar dentro de campo. Este ano de 2017 eu coloquei como fator fundamental da minha vida chegar à seleção brasileira", declarou.

"Em se tratando do Atlético seria hipócrita da minha parte não pensar em títulos. O projeto me cativou e me motivou para vir para cá. Muitas pessoas me perguntaram, porque eu não estava jogando, a resposta era para ter uma recuperação própria. Na Europa você estar jogando a todo momento, isso às vezes custa. E foi isso que aconteceu. Me recuperei de uma lesão, e meu antigo clube me forçou a voltar antecipadamente, e isso acarretou em nova lesão. Mas isso são águas passadas. Agora é vida nova", acrescentou.

Outro jogador apresentado nesta terça foi o lateral-esquerdo Danilo, ex-América-MG. E ele chegou na Cidade do Galo com cobranças. Isso porque foi ele o responsável pelo Atlético não conquistar títulos em 2016, marcando os gols do América na taça do Campeonato Mineiro da temporada passada. O jogador fala das brincadeiras com o presidente Daniel Nepomuceno e fala do sonho realizado ao vestir as cores atleticanas.

Veja gols e lances de Danilo Barcelos, primeiro reforço do Atlético-MG para 2017

"Estou muito feliz de estar aqui. Vestir essa camisa, que é um sonho. Posso fazer minha carreira aqui, um jogador que faz a história no Atlético-MG fica marcado para sempre. Uma das primeiras coisas que o presidente me fez foi me cobrar, que agora ele quer que eu faça (os gols) para o lado dele. Estou muito feliz", finalizou.