William Matheus conta que já teve ida para Europa cancelada em pleno aeroporto

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br
Gazeta Press
O lateral William Matheus está emprestado ao Fluminense
O lateral William Matheus está emprestado ao Fluminense

Em apenas sete dias, William Matheus foi da base do Figueirense à oportunidade de jogar na elite do Campeonato Holandês com apenas 18 anos. Mas uma ligação quando o lateral ainda estava no aeroporto, pronto para embarcar rumo à Europa, mudou toda a história.

"Eu subi ao time principal no último jogo antes da final do Catarinense. O [técnico] Alexandre Gallo colocou o time sub-20 para poupar os titulares. Eu nem treinei com os profissionais e fui jogar", disse o jogador, pretendido pelo Coritiba, ao ESPN.com.br.

Seu desempenho foi tão bom naquela partida (que aparentemente não valia nada), que os planos de jogar no "Velho Continente" foram adiados.

"Na segunda-feira eu ia fazer um teste no AZ Alkmaar, da Holanda, e cheguei em São Paulo às 10h porque meu voo era umas 15h. Deu meio-dia, o diretor Ânderson Barros ligou pro meu empresário porque o Gallo queria que eu ficasse no time de cima. Eles não iam me liberar mais".

Gazeta Press
William foi campeão da Copinha em 2008
William foi campeão da Copinha em 2008

"O Gallo me disse que eu ia ficar no elenco para o Brasileiro. Isso me marcou muito porque as coisas aconteceram rápido demais. Cheguei no Figueirense na metade de 2007 e logo no ano seguinte fui campeão da Copa São Paulo".

William estreou no Brasileiro contra o Vitória em Salvador e conseguiu atuar por 22 vezes naquela temporada. "Foi um ano que tudo aconteceu muito rápido. Nunca tinha jogado em time nenhum e em oito meses estava jogando uma Série A. Foi um sonho realizado".

  • Feliz em Goiás 

Depois de sair do clube de Santa Catarina, o lateral passou por Tombense-MG e depois pelo Bahia, no qual foi campeão estadual de 2012. No Brasileiro daquele ano, ele viveu sua primeira experiência no Rio de Janeiro quando defendeu o Vasco.

"Tínhamos muitos jogadores de nome, mas eles foram saindo e tivemos problemas de salário. A gente estava brigando por titulo, mas na reta final infelizmente não conseguimos vaga na Libertadores. Sou carioca e estava perto de casa, foi uma passagem muito boa por lá, gostei muito de ter jogado lá".

"Eu joguei com caras que eram destaque na minha época de moleque. Jogar ao lado do Juninho Pernambucano foi um sonho realizado. Foi um cara que me ensinou muitas coisas e que eu respeito demais".

Na temporada seguinte, William se destacou pelo Goiás, que fez uma campanha surpreendente no Brasileiro.

"Montamos um time muito unido e o nosso treinador [Enderson Moreira] tirava o máximo do elenco. Nosso segredo era que estávamos muito focados em fazer um bom ano. Tanto é que fomos campeões estaduais, chegamos até a semi da Copa do Brasil e fomos sexto no Brasileiro. É um clube que adoro".

Gazeta Press
William Matheus jogou no Palmeiras em 2014
William Matheus jogou no Palmeiras em 2014

Contratado pelo Palmeiras no primeiro mandato de Paulo Nobre, ele enfrentou algumas dificuldades na equipe que havia recém voltado à Série A.

"Eu não joguei tanto no Estadual, mas quando chegou o Brasileiro, o Alberto Valentim me deu chances. Em seis jogos, dei três assistências em duas vitórias. Aí, chegou o [técnico argentino Ricardo] Gareca e teve a parada para a Copa do Mundo".

"Na volta, ele me colocou no banco e recebi a proposta da França. Eu saí do clube por causa do Gareca. Eu tinha certeza que num futuro o Palmeiras ia conseguir coisa boa porque o presidente estava muito afim de dar um titulo para o clube. Tanto é que conseguiu dar a Copa do Brasil e o Brasileiro".

Veja os gols de Toulouse 1 x 1 PSG

 

  • Duelos com PSG

Reforço do Toulouse, William demorou certo tempo para se adaptar ao país depois de uma lesão.

"Estava muito bem no começo, mas no segundo jogo do campeonato eu me machuquei. Fiquei de fora por sete meses e precisei voltar ao Brasil. Eu não tinha suporte de ninguém além do clube. Não sabia falar francês e não tinha brasileiros no elenco".

Getty Images
William Matheus duela com Lucas
William Matheus duela com Lucas

"Isso me atrapalhou demais e foi um dos motivos que me trouxe de volta ao Brasil. Precisava respirar outros ares naquele momento e não estava tendo sorte lá. Antes de chegar à Europa nunca tinha ficado nem três semanas de fora".

Depois de se recuperar  da lesão, o lateral teve vários duelos contra o poderoso Paris-Saint Germain.

"Os seis jogos que fiz contra o PSG foram especiais. A partida mais especial foi um empate por 1 a 1 em casa. Foi uma das minhas melhores atuações. O time deles era muito bom mesmo. Tinha Dí Maria, Ibra, Lucas, Thiago Silva, entre outros. Consegui falar com Maxwell e David Luiz. Quando viram que eu era brasileiro, eles vieram conversar no intervalo. São muito simpáticos e humildes".

Depois de uma temporada e meia na Europa, William foi emprestado para o Fluminense, em fevereiro de 2016.

"Achei muito bom por toda minha família estar aqui e conheço toda grandeza do time. No começo, a adaptação pesou por causa do número de viagens e concentrações. Na Europa se joga muito menos"

"Estou muito feliz, mas minha temporada não foi da forma que esperava. A Libertadores estava perto, mas não conseguimos a vaga. A gente quase não jogou no Rio de Janeiro, só no final e isso nos prejudicou bastante".

Abel cobra postura dos jogadores: 'Quero que o Fluminense volte a ter a alma que sempre teve'

Agora, o lateral quer conquistar o que faltou no ano passado. "Espero conseguir lá no final comemorar nossos objetivos. Quero que a gente comece o ano bem para comemorar um título".