Carinho, gratidão e só uma 'saia justa': a relação de Guardiola com os 11 brasileiros que treinou

ESPN.com.br
Getty
Guardiola trabalhou com Thiago no Bayern e também no Barcelona
Guardiola trabalhou com Thiago no Bayern e também no Barcelona

Pep Guardiola é conhecido pelo perfil intenso, perfeccionista e apaixonado pelo trabalho. Um estilo vitorioso que tem o desgaste como preço e que costuma gerar amor ou ódio de quem trabalha com ele. No caso dos brasileiros com quem esteve ao lado, a primeira opção é algo praticamente unânime. Bom sinal para Gabriel Jesus, último reforço do Manchester City.

Veja como foram as relações de Guardiola com os brasileiros que comandou:

  • BARCELONA

Sylvinho: o lateral-esquerdo conviveu apenas na temporada 2008-09, sua última antes de trocar o Barcelona pelo Manchester City e sua penúltima como atleta. Ele era reserva sob o comando do catalão, mas, em meio a desfalques, foi titular na vitória sobre o Manchester United por 2 a 0 na final da Uefa Champions League.

Daniel Alves: contratado na temporada em que Guardiola virou técnico do Barça, o lateral-direito virou titular logo de cara e tornou-se uma das principais armas do Barcelona com o técnico, que o dava liberdade para atacar. O brasileiro, por sua vez, sempre teve grande admiração pelo técnico. "Seu segredo é que ele vê as coisas de forma diferente. Ele é um Einstein da bola."

Maxwell: contratado por Pep em 2009, o lateral-esquerdo sempre teve prestígio junto ao treinador, sendo que foi titular com frequência durante os dois anos e meio em que permaneceu na Catalunha. ""Ele nos pediu para ir, e não vamos nos opôr. É uma boa oportunidade para ele. Se fica estaremos encantados, é uma joia e sempre rendeu em bom nível", dissera o técnico, pouco antes de o atleta ir para o Paris Saint-Germain.

622 f11fb66f bcc3 3ed1 a9f6 aff6b5fc8652
Curto e grosso: Guardiola confirma que o City é um dos últimos times que treinará em sua carreira

Thiago Alcântara: talvez seja o brasileiro com quem Guardiola mais se deu bem. Primeiramente, ambos trabalharam juntos no Barça. Mais tarde, o técnico o lançou nos profissionais, transformou-o em um jogador do mais alto nível e o levou ao Bayern de Munique em uma transferência de 25 milhões de euros. "Thiago ou ninguém. É o único jogador que quero", foi uma frase de Pep, antes de começar sua primeira temporada no clube alemão.

Adriano: outro lateral-esquerdo que chegou durante o período de Guardiola no Barcelona, o ex-atleta do Sevilla virou um homem de confiança do técnico, que até chegou a utilizá-lo como zagueiro. No Barça, Adriano também jogou como meia e lateral-direito.

Rafinha Alcântara: assim como seu irmão, o meia também foi promovido aos profissionais por Pep. Porém, ele só veio a conquistar no time principal na última temporada de Guardiola no Barcelona, o que fez com que ambos não tenham convivido tanto tempo juntos.

622 443a5d7e 9189 33b4 927b 99d754d34fb3
Yaya Touré, sobre Gabriel Jesus: 'O que temos que fazer é dar a bola para ele e desfrutar'
  • BAYERN DE MUNIQUE
Getty
Rafinha é abraçado por Guardiola em treino no Bayern
Rafinha é abraçado por Guardiola em treino no Bayern

Rafinha: assim como no caso de Thiago Alcântara, o lateral-direito é muito bem citado no livro "Guardiola Confidencial", escrito pelo jornalista Martí Perarnau, que mostra os bastidores do primeiro ano do técnico no Bayern. O lateral ganhou muito espaço com Pep devido à mudança de Lahm para o meio de campo.

Dante: "Gostaria de dedicar a vitória a Dante. Eu amaria ter mil Dantes no elenco", afirmou Guardiola em 2015, depois de uma vitória diante do Borussia Dortmund. O brasileiro foi um dos pilares na defesa do Bayern, mas acabou perdendo espaço com o tempo e se transferiu ao Wolfsburg, o que não tirou a admiração do defensor pelo treinador, como evidenciou em participação no Resenha ESPN.

622 99123ded 5b13 3dce 8492 bc57bbc9de5d
No 'Resenha ESPN', Dante 'revela' diferencial de Guardiola: 'É impressionante'

Porém, em um erro de uma revista, como afirmou o brasileiro, causou uma saia justa. Em entrevista ao jornal alemão, Dante teria dito que ele não falava com os jogadores. "Há técnicos que, do ponto de vista tático, são de classe mundial, mas, humanamente, não são tão bons. Esse é o caso de Guardiola." Porém, posteriormente, ele negou a declaração, falou que houve um equívoco e elogiou o catalão. "O que eu disse é que Pep, como técnico tático, é o melhor, mas fala menos do que outros técnicos que tive, mas cada um tem seu jeito."

Douglas Costa: assim como ocorreu no Barcelona, Guardiola também teve reforço brasileiro no Bayern. O meia-atacante contratado junto Shakhtar Donetsk em 2015 por 30 milhões de euros ganhou espaço com as lesões de Ribéry e Robben e correspondeu à altura, sendo um dos principais garçons e dribladores da Bundesliga logo em sua estreia. Com Guardiola, ele ficou em evidência e alcançou um posto na seleção brasileira, não largando mais.

622 c4fa8fea 1965 3bd1 b525 42e708b19930
Oitavo brasileiro no City, Jesus se diverte com video game na Inglaterra
  • MANCHESTER CITY
Getty
Fernandinho foi elogiado por Guardiola
Fernandinho foi elogiado por Guardiola

Fernandinho: Guardiola chegou ao novo clube elogiando bastante o volante. "Penso que Fernandinho pode jogar em dez posições. Ele tem qualidade para jogar em qualquer área do campo." No entanto, após metade da temporada, o meio-campista sempre jogou em sua posição original, o que não diminui o prestígio que tem junto ao treinador. Afinal, é titular absoluto e chegou até a ser capitão em algumas oportunidades.

Fernando: no primeiro semestre com Guardiola, Fernando enfrenta dura concorrência com nomes como Fernandinho, Yaya Touré e Gündogan, assim, tem se limitado ao papel de um reserva utilizado com alguma frequência.

622 c21bdb08 3b0c 38b5 8a7c 695581b5ce97
Direto de Manchester, Natalie Gedra explica impaciência de parte de torcida com Guardiola

Gabriel Jesus: o atacante chegou agora, mas já tem sido bastante elogiado pelo futuro técnico, antes mesmo de conhecê-lo pessoalmente. O catalão, inclusive, chegou a ligar para o ex-atleta do Palmeiras para convencê-lo a ir ao City. "É o 9 do Brasil e isso significa muito. Estamos muito felizes que o contratamos."

Siga aESPNnas redes sociais