Ele marcou Neymar em final de Libertadores; hoje, aos 26, vende frutas e fogos de artifício

ESPN.com.br
PABLO PORCIUNCULA/AFP/Getty Images
Neymar Santos Matias Mier Penarol Final Libertadores 15/07/2011
Matias Mier marca Neymar durante a final da Libertadores de 2011

A vida do volante Matías Mier passa por uma série de altos e baixos.

Em 2011, ele fez parte do time do Peñarol que foi vice-campeão da Libertadores, perdendo a final para o Santos. Titular, o atleta, à época com 21 anos, foi o responsável inclusive por marcar o craque Neymar tanto na partida de ida, em Montevideu, quando na de volta, em São Paulo.

Na sequência, foi negociado com a Universidad Catolica, do Chile, que defendeu entre 2011 e 2013, indo depois para o Santiago Wanderers, também chileno. Passou ainda por Rentistas, do Uruguai, e Muaither SC, do Catar, antes de ser liberado após só dois jogos e ficar sem time.

Hoje, aos 26 anos, ele vende frutas, verduras e fogos de artifício na loja de sua família enquanto espera uma chance de retornar ao futebol profissional.

"Meus pais tem uma loja de frutas e verduras em Maldonado, e agora no fim do ano colocaram também uns fogos de artifício para vender. Quem atende sou eu", contou Mier, em entrevista ao jornal Referí, do Uruguai.

O meio-campista diz que muitos o reconhecem dos tempos de Peñarol.

"Muitos vêm aqui e perguntam se sou eu mesmo. 'O que você está fazendo vendendo rojões?'. Alguns dão risada", relatou.

"Mas para mim não é desonra alguma, ainda mais eu que vim de uma família de trabalhadores de toda a vida", completa.

Dante Fernandez/LatinContent/GettyImages
Matias Mier Penarol Elano Santos Final Libertadores 15/06/2011
Matias Mier disputa jogada com Elano

Enquanto cuida dos negócios, ele também recebeu um convite para treinar com as categorias de base do Peñarol para manter a forma física.

Animado, ele revela que sonha com um retorno aos Carboneros, mesmo com a equipe vivendo péssima fase.

"Ainda tenho muito o que aprender, mas, aos 26 anos, estou mais maduro do que quando cheguei ao Peñarol pela primeira vez. Ao Peñarol, faltaram resultados no segundo semestre, mas isso é coisa de momento, e tomara que o time se recupere, seja me contratando ou não, isso é secundário. É uma instituição gigante, que merece estar sempre em cima", salientou.

"O Peñarol está me fazendo um favor, e eu quero retribuir se me derem uma segunda chance aqui", finalizou.