Contrato de 5 anos com a Dryworld dura só um, e Atlético-MG assina com a Topper

ESPN.com.br
Gazeta Press
Robinho foi um dos frutos da parceria entre Atlético-MG e a DryWorld
Robinho foi um dos frutos da parceria entre Atlético-MG e a DryWorld

Um ano após assinar um contrato milionário com a DryWorld, o Atlético-MG encaminhou um pedido de distrato para rescindir o acordo com a empresa canandense e já anunciou parceira com Topper, que passará a valer em 2017 e durará quatro anos.

A DryWorld desembarcou no Brasil em fevereiro de 2016 e acertou com o clube mineiro um contrato milionário de cinco anos - R$ 100 milhões. A lua de mel com a empresa foi responsável pela contratação de Robinho, de quem ela pagava parte dos salários.

No entanto, dificuldade da marca no repasse de diversos itens, atraso em pagamentos e briga na Justiça entre matriz e filial levaram o Atlético-MG a decidir pelo fim da parceria já em setembro. Inclusive, a equipe de Belo Horizonte teve que assumir o salário total de Robinho.

'Bate Bola' comenta lesão de Victor e analisa opções do Atlético-MG

Segundo nota do Atlético-MG, há questões contratuais e financeiras pendentes para encerrar o acordo, o que deve ocorrer até 31 de dezembro. "Essas questões serão decididas seguindo regras contratuais, detalhadas em distrato e protegidas por cláusula de confidencialidade."

Já sobre o acordo com a Topper o clube mineiro divulgou poucos detalhes. Por exemplo, ficará com o controle da Loja do Galo de Lourdes. Mas os valores não foram divulgados.