De saída de Atlético-MG e Flu, Dryworld dura só sete meses em clube da Premier League

ESPN.com.br
Divulgação
Watford, do brasileiro Gomes, trocou Dryworld por Adidas após apenas sete meses
Watford, do brasileiro Gomes, trocou Dryworld por Adidas após apenas sete meses

Não é só no Brasil que a Dryworld está perdendo espaço no futebol. De saída de Atlético-MG e Fluminense, a empresa canadense também deixou de ser a fornecedora de material esportivo do Watford, clube da Premier League, trocada pela Adidas depois de apenas sete meses.

Watford e Dryworld divulgaram sua parceria em maio de 2016, em acerto que deveria ser válido por três temporadas. Na terça-feira, porém, o clube inglês famoso por ser o time de coração do músico Elton John, anunciou que terá uma nova fornecedora já a partir do verão de 2017.

Quando anunciou a parceria com a Dryworld, o Watford não deu detalhes financeiros sobre o contrato, mas garantiu tratar-se "do maior acordo de patrocínio da história do clube".

Um mês depois, porém, surgiu o primeiro deslize da empresa canadense. Os uniformes para a temporada 2016/17 não foram entregues a tempo, e o Watford se reapresentou em junho ainda vestindo uniformes da Puma, antecessora da Dryworld no fornecimento esportivo.

No Brasil, a Dryworld também desembarcou comemorada em 2016. Em fevereiro, o Atlético anunciou o acordo com a empresa como o "maior da história do clube e um dos três maiores do Brasil". No mês seguinte, foi o Flu que disse que firmou "um dos maiores contratos de fornecimento no Brasil".

Na equipe mineira, a lua de mel com a Dryworld, principal responsável pela contratação de Robinho, não durou muito. Dificuldade da marca no repasse de diversos itens, atraso em pagamentos e briga na Justiça entre matriz e filial levaram o Atlético a decidir pelo fim da parceria já em setembro.

622 cac60e6a bcf7 375d b034 215d1e2fdb27
Veja as imagens da apresentação do uniforme do Atlético-MG com Robinho

Os atrasos em pagamentos se repetiram no Fluminense, que também já encaminha a rescisão com a Dryworld. Segundo o site "Globo Esporte", a dívida da empresa já ultrapassa R$ 11 milhões, e o clube tricolor aguarda apenas o acerto com outra fornecedora para oficializar o fim do vínculo.

A Dryworld, que assinou contratos válidos por cinco temporadas com Atlético e Fluminense, também é a fornecedora de material esportivo do Goiás (contrato de cinco anos) no Brasil e do Queens Park Rangers (dez anos) na Inglaterra - as duas equipes, porém, estão nas segundas divisões em seus países.

Siga aESPNnas redes sociais