Nova Libertadores dá chance para time com campanha medíocre se classificar

ESPN.com.br
Gian detona mudanças na Libertadores a curto prazo: 'Amadorismo sem tamanho'

O anúncio de que a Copa Libertadores do ano que vem passará a contar com um número maior de times (de 38 para 44) deu uma vaga a mais para os times brasileiros e fez com que a CBF aumentasse o número de vagas na competição sul-americana, dando a chance de algo inédito acontecer.

Agora, não serão os quatro primeiros times do Campeonato Brasileiro que se classificam para a Libertadores. A CBF anunciou que ganhou mais duas vagas na competição do ano que vem.

Com isso, os seis primeiros do Brasileirão - mais o campeão da Copa do Brasil - terão vaga garantida na Libertadores.

Desde a criação do Brasileiro dos pontos corridos, em 2003, nunca um time se classificou via G-4 para a Libertadores com uma campanha pior do que 52% - aproveitamento do Internacional de 2011.

O sexto colocado do Brasileirão hoje, que iria para a Libertadores via o recém-criado G-6, é o Atlético-PR, com 42 pontos e aproveitamento de 50%.

Autuori fala sobre mudanças na Libertadores: 'Não acredito em nada partindo de Conmebol e CBF'

Os outros concorrentes à sexta vaga do Brasileiro no momento (Corinthians, Botafogo, Grêmio, Ponte Preta e Chapecoense) todos têm aproveitamento abaixo dos 50%.

O aproveitamento pode ser ainda mais baixo caso a Chapecoense ou o Coritiba, únicos brasileiros vivo na Copa Sul-Americana, vençam a competição, que classifica o seu campeão para a Libertadores do ano seguinte. Aí, poderia ter até o oitavo do Brasileiro disputando a principal competição do continente.

Mauro cobra postura da CBF sobre mudanças na Libertadores e destaca importância do Brasileirão 

Veja abaixo os aproveitamentos de todos os piores times a irem para a Libertadores via Brasileiro:

2003

Coritiba - 53,6%

2004

Palmeiras - 57%

2005

Palmeiras - 55%

2006

Paraná - 52,6%

2007

Cruzeiro - 52,6%

2008

Palmeiras - 57%

2009

Cruzeiro - 54%

2010

Grêmio - 55%

2011

Internacional - 52%

2012

São Paulo - 58%

2013

Botafogo - 53%

2014

Corinthians - 60%

2015

São Paulo - 54%