À la Griezmann: atacante 'acaba com o jogo', França bate Irlanda e está nas quartas da Euro

ESPN.com.br
Lars Baron/Getty Images
Griezmann comemora gol na vitória da França sobre a Irlanda
Griezmann comemora gol na vitória da França sobre a Irlanda

Copa do Mundo de 1998 e Eurocopa de 1984. O sentimento de conquistar uma grande competição no quintal de casa segue vivo na memória do torcedor francês. E, neste domingo, em Lyon, para um público de 56.279 expectadores, a seleção da casa deu mais um passo para reavivar a alegria de seu público. Vitória por 2 a 1 contra a Irlanda e passagem garantida para as quartas de final.

E coube a Griezmann o papel de protagonista do espetáculo. Quando o jogo se mostrava complicado, o "Diabo Loiro" da França foi lá, assumiu o papel de estrela da seleção e decidiu o jogo. Dois gols em sequência para virar a partida. Se os franceses devem agradecer a alguém, esse nome é Antonie Griezmann.

reencontro pós-2009

A partida entre França e Irlanda reavivou o polêmico jogo entre as duas seleções seis anos atrás. À época, pelos playoffs da Copa do Mundo de 2010, o jogo era definitivo para saber quem ia ao Mundial na África do Sul. Após vencer na Irlanda por 1 a 0, os donos da casa estavam perdendo a volta pelo mesmo placar até o lance que mudou a história.

Aos 103 minutos da prorrogação, Henry ajeitou a bola deliberadamente com o braço e tocou para Gallas fazer o gol de empate francês. Mesmo com o lance irregular, a França se classificou para a Copa, com Henry se tornando "inimigo" de Estado e criminoso para os irlandeses.

Hoje, a história voltou a dar as caras e, logo no primeiro minuto de jogo, um pênalti polêmico para a Irlanda. Se em 2009 os irlandeses reclamaram, hoje foi a vez dos franceses.

tabus franceses

Getty Images
Pogba disputa bola no meio de campo
Pogba disputa bola no meio de campo 

Além da classificação para as quartas de final da Euro, a vitória francesa trouxe consigo o fim e a manutenção de tabus. Desde 2000, os franceses não venciam uma partida eliminatória de Eurocopa. Desde então, derrotas para Grécia (2004) e Espanha (2012). Em 2008, não passaram da fase de grupos. O último triunfo havia sido justamente na final em 2000 contra a Itália. Agora, fim de tabu.

O tabu que se mantém é mais longo. Agora, são seis jogos sem derrota francesa para os irlandeses em qualquer competição. O último revés aconteceu em um amistoso em 1981, em Dublin: derrota por 3 a 2. De lá para cá, três empates e três vitórias francesas.

O time comandado por Deschamps ainda chega a oito jogos sem perder no ano. Foram sete vitórias e apenas um empate, contra a Suíça no último jogo da fase de grupos da Euro. 

a história se repete

Getty Images
Pênalti que inaugurou o placar
Pênalti que inaugurou o placar

O jogo que era cercado de expectativas começou assim como terminou o último confronto entre as duas seleções, com polêmica. Pênalti logo no primeiro minuto. Brady foi para cobrança e a bola tocou na trave antes de entrar Irlanda na frente. Foi o gol de pênalti mais rápido de toda a história da Eurocopa.

Com a vantagem em mãos, a Irlanda se fechou no campo de defesa e endureceu e a partida. Muitas faltas no meio de campo e duelo muito truncado. A França não criava e só aumentava a expectativa em Lyon. Aos 20 min, quase a Irlanda faz o segundo gol em chute cruzado de Murphy. Lloris se esticou todo para fazer a defesa.

Aos 40 minutos, a Irlanda voltou a assustar e mostrou que era melhor em campo, apostando nos contra-ataques e jogando no erro francês. Falta levantada na área, Duffy ganhou de cabeça mas mandou para fora. Tensão da torcida.

Os donos da casa só assustaram com perigo no finalzinho da primeira. Jogada tramada dentro da área para Payet limpar a zaga e chutar em cima da marcação. Griezmann também tentou no rebote, mas o "paredão" da zaga irlandesa impediu o chute.

'diabo loiro' em fúria

Getty Images
Griezmann anotou os dois gols franceses
Griezmann anotou os dois gols franceses 

A França veio disposta a mudar a história da partida. Deschamps colocou no time o atacante Coman no lugar de Kanté. Logo com dois minutos, falta cobrada po Payet, Koscielny deu um peixinho na segunda trave, mas a bola só raspou na sua cabeça e foi para fora.

A postura e o futebol eram totalmente diferentes, e o gol não demorou a sair. Matuidi deu a prévia do que viria pela frente em belo chute de fora da área, mas na sequência não teve como. Cruzamento da direita de Sagna na cabeça de Griezmann. Bola na rede e explosão da torcida.

E Griezmann era o mesmo o nome da partida. Estava endiabrado e decidiu novamente. Aos 16 minutos, em lançamento da defesa, Giroud deu um leve desvio na bola e ela caiu nos pés do herói da partida. Frente a frente com o goleiro ele não perdoou. O segundo dele, o segundo da França e festa completa.

Aos 20 minutos, o atacante ainda cavou a expulsão de Duffy em lance que ia sair de frente para o gol, mas o carrinho do adversário impediu o terceiro.

A França era outra. Continuou pressioanando em busca do terceiro gol com um homem a mais. gignac chutou rasteiro para grande defesa de Randolph, que evitou mais um. Na sequência, o mesmo Gignac, que substuía Giroud, chutou de fora da área e acertou o poste. O que parecia uma classificação ameçada se transformou em festa na cidade de Lyon. Os "Blues" estão nas quartas e sonham com mais uma Eurocopa em casa. 

agora é quartas de final

Quando: domingo (03/07/2016)
Onde: Stade de France (Saint-Denis)
Horário: 16h00 (de Brasília)
Adversário: Inglaterra ou Islândia