São Paulo pressiona, cai em 'pegadinha' do The Strongest-BOL e perde na estreia pela Libertadores

Patrick Mesquita, do ESPN.com.br
Assista ao gol da vitória por 1 a 0 do The Strongest sobre o São Paulo

Se os jogos contra o César Vallejo tinham sido sofridos, a estreia na fase de grupos da Libertadores foi dramática. Com o Pacaembu lotado e forte apoio da torcida, o São Paulo sufocou o The Strongest desde o primeiro minuto, mas foi surpreendido em uma bela jogada ensaiada finalizada por Matías Alonso e foi derrotado por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, pelo grupo 1 da competição continental.

Não foi por falta de vontade, mas sim de inspiração. Os paulistas ficaram com a bola durante a maior parte do tempo, mas não conseguiram ser efetivos nas chances criadas. Já o Strongest, que assustou ao colocar uma bola na trave na etapa inicial, estava em busca de apenas um lance para sair do Brasil satisfeito. E ele veio na metade do segundo tempo. Matías Alonso foi mais esperto do que toda a defesa tricolor e completou a bela jogada ensaiada dos bolivianos.

Kieza ainda teve a chance do empate ao sair cara a cara com Vaca, mas bateu para fora, para desespero da torcida. 

Em desvantagem, a equipe tricolor ainda teve que encarar a raiva das arquibancadas. Parte dos torcedores xingou Michel Bastos, pediu raça e respeito com a camisa do clube. 

Com o resultado, os brasileiros largam em desvantagem em uma chave que ainda conta com River Plate e Trujillanos.

O São Paulo volta a campo pela Libertadores apenas no dia 10 de março. O time tricolor vai a Buenos Aires encarar o River Plate. No dia 2, o The Strongest recebe o Trujillanos.

pressão, pressão e nada

Gazeta Press
Ganso lamenta durante São Paulo x The Strongest
Ganso lamenta durante o jogo

O São Paulo começou a partida com tudo. Dono de uma postura completamente diferente da demonstrada na derrota diante do Corinthians, o time do Morumbi pressionou o Strongest de todas as formas. Com linhas de marcação avançada e muita disposição, os paulistas tiveram o controle desde o primeiro minuto.

O único susto, em uma das melhores chances do jogo, veio aos cinco. Ramallo deu uma linda caneta em Rodrigo Caio e bateu firme. A bola carimbou a trave direita de Denis.

Já as chances do São Paulo não foram poucas. Paulo Henrique Ganso, Alan Kardec e Centurión pararam no goleiro Vaca, que frustrou os planos dos são-paulinos no primeiro tempo.

O segundo tempo foi mais "morto". Bauza ousou ao colocar Calleri no lugar de Hudson e armar uma linha de quatro homens na frente. Só que o São Paulo já demonstrava dificuldades pelo meio de campo e passou a cruzar ainda mais a bola para a área. O resultado foi uma equipe menos criativa.

O que era dificuldade virou drama aos 16 minutos da etapa final. Após linda jogada ensaiada, Chumacero entrou livre na área e tocou para Matías Alonso tocar de cabeça para a rede.

Kieza, que entrou no segundo tempo, teve a melhor chance do São Paulo na partida. O atacante saiu sozinho na área e bateu para fora na saída do goleiro Vaca. 

paciência limitada

Gazeta Press
Bauza, durante jogo entre São Paulo e The Strongest
Bauza, durante jogo do São Paulo

Centurión não está entre os mais "queridos" no coração do torcedor tricolor. Prova disso foi a demora em concluir uma jogada sem goleiro. O argentino se enrolou com a bola e perdeu o ritmo da jogada. Aí não teve como perdoar. O torcedor são-paulino não pensou duas vezes antes de pedir Rogério.

apoio a lucão, mas nem tanto

Se alguém esperava uma torcida "mordida" com Lucão após a falha contra o Corinthians, se decepcionou. O zagueiro teve muito apoio dos torcedores e o nome fortemente gritado antes da partida.

Apesar do "carinho", era possível ver alguns torcedores apreensivos nas arquibancadas do Pacaembu sempre que o jogador tocava na bola.

Lucão respondeu com uma atuação que não comprometeu em nada no resultado.

Em péssima atuação do São Paulo, Lucão 'foi um dos melhores' segundo Tironi

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 0 X 1 THE STRONGEST-BOL

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 17 de fevereiro de 2016, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Mario Díaz de Vivar (Fifa-PAR)
Auxiliares: Carlos Cáceres e Milciades Saldívar (ambos Fifa-PAR)
Público: 27.168
Renda: R$ 1.596.990,00
Cartões amarelos: Alan Kardec, Rodrigo Caio, Calleri (São Paulo); Veizaga, Ramallo, Maldonado (The Strongest)
GOL: THE STRONGEST: Alonso, aos 17 minutos do segundo tempo

'O São Paulo vai precisar tirar leite de pedra em pouquíssimo tempo', diz Mario Marra

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Mena; Hudson (Calleri), Thiago Mendes, Centurión (Rogério), Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos; Alan Kardec (Kieza). Técnico: Edgardo Bauza

THE STRONGEST: Vaca; Pereyra, Maldonado e Marteli; Chumacero, Castro (Bejarano), Veizaga, Cristaldo e Pablo Escobar; Ramallo (Torres) e Alonso (Neumann). Técnico: Mauricio Soria