Palmeiras quer arrecadação com torcida suficiente para conseguir verba igual à da Globo

ESPN.com.br
Paulo Nobre em coletiva: 'Avanti já corresponde a patrocínio master'

O presidente Paulo Nobre tem um desejo ambicioso para seu segundo mandato no Palmeiras. Com a explosão do Avanti, programa de sócios-torcedores do time alviverde, o clube quer passar a faturar mais do que ganha em cotas de TV da Globo apenas com receitas de arquibancadas e com a utilização do plano de associados.

"O Palmeiras tem esperança de em médio prazo ficar sustentável apenas com a sua torcida. A perspectiva é buscar até 100 mil sócios-torcedores nesse ano e em 2016 ser o primeiro do Brasil. Queremos que o Avanti seja mais uma cota da Globo. Hoje já é patrocínio máster e esperamos que possa ser uma cota de televisão, até superior a isso", avisou o dirigente nesta segunda-feira.

Conforme apurou o ESPN.com.br, o sonho de Nobre é que o Palmeiras duplique o número de sócios-torcedores até o fim de seu próprio mandato. Atualmente, o clube conta com mais de 80 mil e já é o segundo do Brasil no quesito. Ainda de acordo com apuração da reportagem, só no ano passado foram R$ 12 milhões arrecadados com o Avanti. Vale citar que, em 2015, o clube já garantiu R$ 28 milhões em patrocínios, com a Crefisa e a Prevent Senior.

Em 2015, mais de 15 mil novos palmeirenses aderiram ao programa de associados, o que gerou novos lucros aos cofres alviverdes que no fim do ano vão girar na faixa de R$ 25 milhões apenas com sócios. A expectativa é que o faturamento somado entre bilheteria de jogos no Allianz Parque e o Avanti supere R$ 60 milhões. Até o fim de 2017, último ano de Nobre no comando, o sonho é "se libertar" de vez do dinheiro Globo.

Em um futuro próximo, o principal desejo do presidente é faturar apenas com torcida algo semelhante ao que as cotas da TV pagam. Na atual temporada, o clube teve direito a R$ 80 milhões em arrecadações televisivas, o que explica o domínio alviverde no mercado de transferências, com mais de 15 novos reforços e trazendo respeito à nova gestão de Paulo Nobre.

Siga aESPNnas redes sociais