Jornal: Palmeiras 'dá' 6 jogadores a Nobre e agora 'só' lhe deve R$ 110 milhões

ESPN.com.br
Gazeta Press
Paulo Nobre disse ser o principal responsável pela situação do clube
Nobre ficou com os direitos de seis jogadores; se saírem por menor valor, ele perde

O Palmeiras passou no final do ano passado os direitos de seis jogadores para uma empresa parceira de seu presidente, Paulo Nobre, em um total de R$ 43 milhões. Assim, o clube diminuiu para R$ 110 milhões a dívida que tem com seu mandatário.

É o que revela reportagem do "Lance!" em sua edição deste sábado. Segundo o diário esportivo, Leandro, Mendieta, Tobio, Mouche, Allione e Cristaldo, agora, pertencem ao dirigente, que, em caso de venda de qualquer um do sexteto, receberá o dinheiro do negócio.

A reportagem diz que Nobre já avisou que qualquer lucro que vier a ter em relação ao preço de compra será repassado ao clube. E exemplifica com Mouche. Ele foi comprado por R$ 11 milhões, logo, se for vendido, hipoteticamente, por R$ 12 milhões, o R$ 1 milhão a mais irá para os cofres alviverdes.

Por outro lado, se os atletas saírem por menos dinheiro do que chegaram, o mandatário ficará com o prejuízo. 

Oficialmente, o presidente, que acaba de iniciar seu segundo mandato na agremiação, já colocou R$ 153 mihões no Palmeiras, cujo conselho já aprovou o pagamento de R$ 105 milhões dos R$ 110 milhões que ainda faltam ser pagos - nova votação definirá sobre o restante do valor.

A partir de maio, 10% de todas as receitas do clube paulista irão para Nobre, e o valor total do débito será sanado em cerca de 15 anos. 

O Palmeiras gastou R$ 37 milhões com os seis jogadores, mas o valor abatido da dívida com o presidente, R$ 43 milhões, logo, R$ 6 milhões a mais, leva em conta, sempre segundo o periódico, outros encargos - Tobio, por exemplo, chegou de graça do Vélez Sarsfield-ARG, mas o dirigente, à época, pagou R$ 1,4 milhão para contratá-lo.  

Siga aESPNnas redes sociais