A jornal, Levir Culpi explica: 'Ronaldinho não tem a personalidade do C. Ronaldo'

ESPN.com.br
Getty Images
Levir Culpi
Levir Culpi mostrou sua visão sobre a saída de Ronaldinho do Atlético-MG

Ronaldinho Gaúcho despediu-se do Atlético-MG em julho deste ano com status de ídolo, afianl, foi fundamental na conquista de dois títulos inéditos na história do clube: o da Libertadores, em 2013, e o da Recopa Sul-Americana, no início de 2014. Duas vezes eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa, em 2004 e 2005, quando defendia o Barcelona, o craque já não tinha, no entanto, o mesmo desempenho de quando chegou a Minas Gerais, em 2012, e vinha sendo frequentemente substituído pelo técnico Levir Culpi, que tratou de explicar o que, em sua visão, aconteceu.

"Chega um momento que não dá mais. Ele atingiu o nível mais alto no futebol. Foi campeão do mundo, melhor jogador do mundo... Então, para você manter a concentração tem de ser o Cristiano Ronaldo. O Ronaldinho não tem a personalidade do Cristiano Ronaldo, ele é brasileiro, já é um pouco diferente. Ele tem 34 anos, tem de pagar um preço muito caro para estar em alta performance, como sempre esteve", afirmou o técnico em longa entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo" publicada nesta segunda-feira.

Levir, que está perto de conquistar com o Atlético-MG o também inédito título da Copa do Brasil, elogiou Ronaldinho, que foi para o Querétaro, do México, e disse que a saída dele do clube aconteceu no melhor momento.

"Foi um prazer (trabalhar com o jogador), porque ele ainda deu uma desequilibrada comigo nos jogos. Ainda conquistamos uma Recopa. Foi legal. Ali terminou o período dele no Atlético, eu achei que ficou bom para todo mundo. Ele vai ter sempre uma lembrança legal do Atlético e o Atlético vai ter sempre uma lembrança boa do Ronaldo."

Getty Images
Ronaldinho Gaúcho, em ação pelo Queretaro
Ronaldinho Gaúcho, em ação pelo Querétaro, do México

O técnico, que trabalhou no Japão por seis anos, também falou sobre o que precisa ser mudado no futebol brasileiro, tendo como referência a goleada histórica sofrida pelo Brasil para a Alemanha por 7 a 1, na semifinal da Copa do Mundo.

"Falam que o futebol tem de ser tratado igual na Alemanha, que lá os caras são organizados... Na Alemanha, tudo é organizado. O transporte funciona, o povo é bem educado, os campos são limpos, os times pagam em dia... Agora, a gente quer consertar o futebol como se fosse um problema nacional. É. Mas você tem de melhorar tudo", recomendou.

Quando perguntado se falta sinceridade no futebol, Levir foi taxativo em sua resposta: "Claro! A maioria das pessoas que falam sobre futebol esconde o que pensa. É aquela coisa de não se queimar, não falar... Isso é ruim por um lado, porque você às vezes deixa de ter os jogadores a seu lado. Mas por outro lado às vezes você perde o emprego. Você fala a verdade, os caras ficam magoados e te mandam embora."

Levir Culpi está em sua segunda passagem pelo Atlético-MG. No próximo dia 26, o comandante pode fazer história com o clube, conquistando o título da Copa do Brasil na decisão contra o arquirrival Cruzeiro. No jogo de ida, o time alvinegro venceu por 2 a 0.

Veja os gols do empate do Atlético-MG com o Figueirense por 1 a 1 nesse fim de semana