Andrés explica ajuda de Lula no estádio: 'O que demoraria um mês era feito no dia seguinte'

ESPN.com.br
Andrés: 'O Corinthians não tem dinheiro para ter um estádio de Copa'

Desde que o estádio do Corinthians virou uma realidade, muita gente ficou com a dúvida sobre qual foi exatamente o papel do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em todo o processo de aprovação, início da construção e sede da Copa do Mundo. Andrés Sanchez, ex-presidente do clube e hoje responsável pelas obras, falou sobre o assunto no programa Bola da Vez, que vai ao ar nesta terça-feira, às 21h30.

De acordo com o dirigente, a principal ajuda recebida da maior liderança do país foi pela influência que ele tinha (ou ainda tem) para agilizar as burocracias envolvendo as obras. Lula também ajudou em algumas negociações, como no caso dos dutos da Petrobras, encontrados no solo de Itaquera.

LEIA MAIS
Andrés 'torce' por candidato de Juvenal: 'A gente sabe como vai ficar'
Encontro 'sem querer' entre Aidar e Andrés causa mal estar
Andrés confirma que vai se candidatar a deputado federal: 'vou lá ver como é que é'
Andrés Sanchez diz que já avisou Valcke: 'quem vai pagar os R$ 60 milhões é o Corinthians'

"O Lula foi importante, é óbvio que um presidente da República, conselheiro do Corinthians, amigo meu, em muitas coisas que eu demoraria um mês para ser atendido, eu fui atendido no dia seguinte. Os próprios dutos da Petrobras, eu fui duas vezes lá e não me atendiam. Eu disse 'chefe', e virou o que virou, é o que a gente estava falando. Então, um dia, essa história toda vai ser contada e eu espero que não esteja nem eu nem ele aqui para que se fale a dificuldade que há nesse pais para se fazer as coisas bem feita", afirmou Andrés.

De acordo com o ex-presidente do Corinthians, o estádio se livrou de preços absurdos por causa de boas negociações. Mas Andrés evitou dar detalhes.

"Eu não posso falar (quem quis superfaturar) Vocês escreveram, vocês riram, vocês falaram. Os dutos da Petrobras custam de R$ 60 a R$ 100 milhões. Custou R$ 8,8 milhões. Infelizmente faz parte da hipocresia deste país", respondeu, sobre quem teria tentado ganhar em cima da arena.

"Eu disse lá trás que nem eu nem o Lula teríamos o que falar sobre esse tipo de coisa. É em cima dessa pergunta. Mas não podemos falar", completou.

Sobre a Copa do Mundo, o dirigente fez questão de explicar qual era a opinião do Lula, à época.

"Eu era a favor do Morumbi. Na verdade, eu era daquele jeito, sim e não. Não fazia força. O Luis Paulo Rosenberg [vice-presidente do Corinthians], o Lula e a diretoria do Corinthians eram a favor do estádio da Copa ser o do Morumbi", finalizou.