Paulo André rebate vice da CBF: "Conhecimento limitado"

Camila Mattoso, do ESPN.com.br
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Paulo André, zagueiro do Corinthians, é uma das lideranças bom Bom Senso FC
Paulo André, zagueiro do Corinthians, é uma das lideranças bom Bom Senso FC

A discussão continua. Uma das lideranças do Bom Senso FC, o zagueiro do Corinthians Paulo André não gostou da manifestação de Marco Polo Del Nero, um dos vices-presidentes da CBF, sobre uma ideia de mudança do calendário brasileiro, elaborada por alguns participantes do movimento, que deixa apenas 7 datas para a realização dos estaduais. 

LEIA MAIS
Bom Senso espera Marin até terça-feira antes de novo protesto
Entenda o calendário da Espanha, 'modelo' para o Bom Senso
Em campanha, Del Nero reúne presidentes de federações antes de jogo em Miami

Em contato com a reportagem do site, como publicado na manhã desta terça-feirao cartola passou para os clubes a responsabilidade de resolver as reivindicações dos atletas sobre o número de jogos que fazem durante o ano e sugeriu um revezamento do elenco. O jogador do Parque São Jorge questionou a declaração e criticou a opção colocada pelo dirigente.

"Minha pergunta para Marco Polo Del Nero é: quem paga a conta de um plantel mais inchado? Essa é uma posição de alguém que tem um conhecimento limitado. É impossível gerir planteis mais volumosos do que os já inchados elencos brasileiros, e ainda assim, manter a qualidade e a motivação dos atletas. Pergunte a qualquer treinador", rebateu Paulo André, para o ESPN.com.br.

"Agora, se a ideia for de continuar a apresentar um produto de má qualidade, sem os principais jogadores no elenco, ausentes por lesão ou excesso de jogos, ou por limite imposto por acordo coletivo, tudo bem. Mas eu acho que o torcedor merece mais respeito e um produto de melhor qualidade", completou o zagueiro.

ENTENDA A IDEIA DOS ESTADUAIS EM 7 DATAS

Na tarde de ontem, diversos presidentes de federações também se pronunciaram e detonaram a redução dos estaduais para 7 datas. De acordo com o jogador do Corinthians, os cartolas não entenderam a proposta. 

"Essa proposta que saiu no jornal [Folha de S.Paulo], que é uma entre várias que estamos pensando, busca dar mais datas para os times pequenos jogarem e reduzir o número de partida dos grandes, eles não entenderam", afirmou.

"[Sobre ser inviável financeiramente aumentar o número de clubes nas Séries B, C, D e E, como está na proposta] A ideia é regionalizar as competições. Dessa forma, vamos reduzir custos, o contrário de gastar mais. Com jogos perto, o custo de viagens vai diminuir. Eles não entendem isso?", finalizou Paulo André.

O Bom Senso tem na sua pauta de reinvindicações três desejos básicos. Veja quais são:

- Calendário: atividades para toda a temporada para clubes pequenos; grandes priorizando principais competições, fim de jogos em datas Fifa, pré-temporada adequada
- Controle das dívidas dos clubes, para que os salários de jogadores e demais colaboradores sejam pagos em dia
- Criação de uma comissão fixa para discutir questões técnicas do futebol