Packers e uma ideia maluca: como apostadores transformaram 'mixaria' em R$ 90 mil - e querem mais

Brett McMurphy, do ESPN.com*
Getty
Rodgers comemora no jogo contra os Cowboys; aposta nos Packers vira 'fortuna'
Rodgers comemora no jogo contra os Cowboys; aposta nos Packers vira 'fortuna'

Antes do Dia de Ação de Graças, Brian Yankelevitz e Russ Axelrod decidiram escolher um time da NFL que precisava vencer para se classificar para os playoffs. Eles fizeram uma aposta inicial de US$ 300 nesta equipe, e o plano era usar o valor ganho em outra aposta, semana a semana, até que esse time ganhasse o Super Bowl.

Eles escolheram o Green Bay Packers.

No último domingo, os Packers ganharam seu oitavo jogo consecutivo, derrubando os Dallas Cowboys e fazendo com que o investimento inicial, lembremos, US$ 300 (R$ 963,72, com US$ 1 igual a R$ 3,21, em cotação de 17/01), valesse agora US$ 28.213,60 (R$ 90.633,37).

Mesmo com a transformação de pouco menos de R$ 1 mil em mais de R$ 90 mil, eles não mudaram o plano original. Menos de 1h depois que os Packers derrotaram os Cowboys, Axelrod entrou no Aria Resort and Casino, em Las Vegas, faturou o bilhete vencedor contra o Dallas e apostou a quantia total – repetimos, R$ 90.633,37 – na vitória dos Packers sobre os Falcons, na final da NFC, no próximo domingo.

622 99cb9119 d6fa 35c2 ac19 48fd9db8fc1a
Técnico dos Cowboys coloca Rodgers entre os 3 melhores quarterbacks da história

Se os Packers derrotarem os Falcons, Yankelevitz e Axelrod ganharão US$ 76.176,70 (exatos R$ 244.710,03) - o que, segundo eles, será apostado nos Packers para vencer o Super Bowl contra New England Patriots ou Pittsburgh Steelers.

Yankelevitz, de 43 anos, e Axelrod, 40, são amigos desde a infância em Bayside, Nova York, e disseram que nunca consideraram retirar ou proteger sua aposta.

"É mais sobre a jornada", disse Yankelevitz. "É mais sobre falar com os amigos do que sobre ganhar a aposta."

Jay Rood, vice-presidente de Race & Sports Book, a área relacionada a apostas do complexo MGM, que inclui o Aria, confirmou que o bilhete de Yankelevitz e Axelrod é um bilhete ativo em seus livros. No entanto, ele se recusou a dizer quem é o dono da aposta.

Axelrod disse que, inicialmente, escolheu os Packers por causa de uma entrevista do quarterback Aaron Rodgers, após a derrota para os Redskins, que deixou o time de Green Bay em situação complicada na temporada, 4-6, 4 vitórias e 6 derrotas.

Em 25 de novembro do ano passado, Axelrod apostou US$ 300 - US$ 200 (R$ 642,48) de seu bolso, US$ 100 (R$ 321,24) de Yankelevitz - nos Packers, que jogavam em Filadélfia contra os Eagles.

"Ele disse: 'Nós só vamos vencer'", disse Axelrod. "Enviei para os caras e disse: 'Vamos fazer isso de novo'."

Explicando: esta não é a primeira vez que Axelrod e Yankelevitz tentam este tipo de aposta. No ano passado, eles e mais dois amigos combinaram de colocar US$ 2.500 nos Cowboys (então 3-7) com planos para deixar cada aposta vencedora ativa na semana seguinte para o Super Bowl.

No primeiro jogo, Tony Romo jogou um Pick-Six (interceptação retornada para touchdown) em seu segundo passe do jogo e depois quebrou a clavícula esquerda. Os Cowboys foram derrotados pelo Carolina Panthers por 33 a 14, e a aposta dos amigos foi por água abaixo depois de apenas um jogo.

"Na verdade, eu sabia que a aposta estava morta depois de cerca de seis segundos", disse Axelrod.

O episódio do ano passado causou a desistência de dois amigos, deixando apenas Yankelevitz e Axelrod no “grupo”. A aposta original deste ano nos Packers deveria ser de US$ 100 ou US$ 200 cada um, mas Axelrod decidiu acrescentar mais US$ 100 quando chegou à janela para apostar.

Agora, a dupla está a dois jogos de dividir entre US$ 150 mil (R$ 481.860) e US$ 200 mil (R$ 642.480), dependendo das chances do Super Bowl. Cada uma de suas apostas foram simples, Green Bay simplesmente tem que ganhar, com os Packers sendo “azarões” em três de suas oito vitórias.

Yankelevitz, que jogou basquete universitário em Long Beach State sob o comando do hoje analista da ESPN Seth Greenberg e foi assistente técnico na USF também com Greenberg, vive em Orlando, onde trabalha com recrutamento corporativo. Axelrod mora em Las Vegas, é produtor digital e consultor de empresas de mídia.

622 bcb03fcf a128 321c ac3f fb53f43a23e3
Troféu Vince Lombardi chega aos canais ESPN, invade o Sportscenter e vira atração na redação

Ambos disseram que recebem reações divididas de amigos sobre o fato de eles resgatarem o dinheiro ou deixar a aposta andar.

"Brian e eu somos apostadores desde sempre, a história é tão boa como ganhar o dinheiro", disse Axelrod. "Não vamos tirar um centavo da mesa, e não vamos parar antes do Super Bowl."

Yankelevitz disse que não assistiu a dois dos jogos da série vitoriosa dos Packers, Axelrod viu todos.

Se os Packers chegarem ao Super Bowl, os parceiros planejam assistir à decisão junto com amigos em Las Vegas. No entanto, Axelrod brincou que poderia reconsiderar essa ideia.

"A última vez que assistimos a algo juntos, meu cavalo [Axelrod possui parte de um cavalo] terminou em último na Breeders' Cup de Santa Anita", disse.

Axelrod acrescentou que, se os Packers ganharem o Super Bowl, ele vai doar parte da quantia para as instituições de caridade favoritas de Aaron Rodgers e do kicker Mason Crosby.

"Eles ganharam isso", disse Axelrod.

*Tradução livre de Ricardo Zanei. Conteúdo original, em inglês, pode ser acessado em "Bettors to stick with Packers as $300 ticket now worth $28K".

Fogo em camisas, ovo na sede e piada: a repercussão da ida dos Chargers para Los Angeles

ESPN.com.br

A confirmação da mudança dos Chargers para Los Angeles revoltou os torcedores de San Diego.

Na manhã desta sexta-feira a capa do principal jornal local, The San Diego Union-Tribune, estampou um grande "Game Over" como sua principal manchete, falando do fim da linha da franquia que ficou 56 anos na cidade.

Reprodução
Capa do jornal de San Diego nesta sexta-feira
Capa do jornal de San Diego nesta sexta-feira

Inconformados, alguns fãs simplesmente queimaram camisas e outros materiais da franquia.

622 523febed c729 3a79 b8c8 3613e7c58925
Após decisão de mudança dos Chargers para Los Angeles, torcedores queimam camisas

Um torcedor foi até a antiga sede do time e jogou ovos na entrada

 


 

Já para Los Angeles, a mudança serviu como motivação para piadas até mesmo para os Kings, da NHL.

No confronto contra o St. Louis Blues, na noite desta quinta, a franquia resolveu ironizar a cidade do rival, lembrando-os que Los Angeles agora terá duas equipes na NFL, sendo uma delas os Rams, que eram de St. Louis.

 


"Los Angeles agora vence St. Louis por 2 a 0... no jogo e em times de futebol profissional", escreveu o Twitter oficial dos Kings, que venceram por 5 a 1.

Quer torcer para o Dallas Cowboys? Há vagas

ESPN.com.br

O "America's Team" está de portas abertas para aumentar sua já imensa torcida (a maior dos Estados Unidos).

Por meio das redes sociais a equipe do Texas divulgou um formulário para aqueles que têm interesse em aderir à febre proporcionada pelos calouros Dak Prescott e Ezekiel Elliott, responsáveis pela melhor campanha da NFC em 2016.

E não fique preocupado em ser chamado de "modinha", pois até a ficha de inscrição prevê que sua motivação pode ser a grande fase da equipe.

 


A ação não agradou alguns torcedores dos Cowboys, mas já "motivou" muita gente a preencher o formulário.

Será que corre o risco de ter gente rasgando o contrato com os Cowboys após o jogo de domingo? 

 

NFL, por favor, não siga a Fifa!

Rafael Belattini. do ESPN.com.br
622 7e838fed 7b24 3fde 8e2b ad882362a7b5
Paulo Antunes aposta: 'Se os Texans vencerem os Patriots, eu venho de Britney Spears'

Nesta terça-feira a Fifa anunciou que a partir de 2026 a Copa do Mundo terá 48 seleções, ao invés das 32 como acontece desde 1998.

Aqueles que gostaram da ideia dizem que é bom para dar oportunidade para outros países que não costumam participar do Mundial e, assim, "atingir novos mercados".

Mas e a qualidade?

Na NFL o tema "expansão" é frequentemente comentado quando o assunto são os playoffs, e a esperança é de que a decisão da entidade máxima do futebol mundial não inspire os chefes da liga da bola oval.

Os quatro jogos do final de semana, na rodada de Wild Card, deixaram bastante claro que seis times por conferência é o limite.

De todos os confrontos, Green Bay Packers e New York Giants fizeram o mais interessante, e o final ainda sim foi uma lavada.

Em média, foram 19 pontos de vantagem para o vencedor, o maior desequilíbrio desde a primeira rodada do mata-mata da liga em 1981.

Os torcedores dos Raiders ainda podem argumentar (com toda razão) que o time jogou sem Derek Carr, contundido. Mas a presença do quarterback provavelmente teria apenas mudado de lado o passeio, basta lembrar o atropelamento dos Chiefs contra os Texans, em Houston, no último ano.

No fim, o Divisional, as "semifinais" das conferências, serão disputadas exatamente pelas oito equipes campeãs de divisão, e este é o número de times que parecem ter qualidade suficiente para proporcionarem jogos equilibrados.

622 badd4d90 f264 34c8 aa72 a4ff7ba605e2
Odell Beckham Jr. desconta frustração em parede e deixa buraco no estádio dos Packers, diz funcionário

E se algum maluco ainda pensar em aumentar o número de franquias na liga, a ideia não pode nem ser considerada.

A última expansão aconteceu em 2002, quando o Houston Texans foi criado para ser o 32º time na liga. Foram oito temporadas até que conseguissem terminar com mais vitórias do que derrotas, e 10 para ir aos playoffs.

São 1.696 jogadores nos elencos principais das equipes da NFL, que ainda possuem atletas em seus times de treinamento. Imaginem que temos times apresentando a "qualidade" de Cleveland Browns, San Francisco 49ers e alguns outros exemplos que logo serão lembrados por quem acompanhou a última temporada.

Não parece possível conciliar "qualidade" e "quantidade", por mais que as intenções de "ampliar mercado" pareçam lógicas e interessantes financeiramente.

Pense nisso, Roger Goodell!

Datas e horários das semifinais de Conferências da NFL

ESPN.com.br

Os confrontos das semifinais da NFC e da AFC na NFL já estão definidos. Veja como ficaram os duelos do próximo final de semana:

Semifinal de Conferência (AFC):

- Sábado, 14 de janeiro
23h15: New England Patriots x Houston Texans

- Domingo, 15 de janeiro
16h05: Kansas City Chiefs x Pittsburgh Steelers

Semifinal de Conferência (NFC):

- Sábado, 14 de janeiro
19h35: Atlanta Falcons x Seattle Seahawks

- Domingo, 15 de janeiro
19h40: Dallas Cowboys x Green Bay Packers

mais postsLoading

Siga aESPNnas redes sociais