Com investigação própria sobre camisa desaparecida, Tom Brady posta foto de 'quadro de suspeitos'

ESPN.com.br

Avaliada pela polícia do Texas em cerca de R$ 1,5 milhão, a camisa usada por Tom Brady na histórica virada sobre o Atlanta Falcons, no Super Bowl LI, segue desaparecida.

Com pouco mais de duas semanas passadas da conquista, o quarterback publicou em suas redes oficial que está promovendo sua própria investigação e o recebedor Julian Edelman é um dos suspeitos.

 

"Você é suspeito, sim, você! Eu não sei qual é a sua reputação nesta cidade, mas depois que você fez esta m@?#, você pode apostar que estou de olho em você!", escreveu Brady. 

Dentre os outros "suspeitos" estão Lady Gaga, que fez o show do intervalo, o cachorro Scooby, de Brady, Gollum, do filme "Senhor dos Anéis", e até a versão desenhada do quarterback, que foi usada para ilustrar sua participação nos julgamentos do Deflategate.

Também por meio das redes sociais, Edelman respondeu ao quarterback com uma montagem de um vídeo, e afirmando que o valioso objeto, um dia, será encontrado.

 


Em uma postagem seguinte, Brady oferece uma edição impressa autografada do TB Times, a capa de jornal que usava para comemorar as vitórias, para aquele que disse onde está a camisa.

Torcedor dos Patriots tatua Tom Brady no bumbum, e cervejaria de Atlanta paga aposta

ESPN.com.br
Boston Barber & Tattoo Co.
Torcedor compareu com a camisa de Brady para tatuar a 'homenagem'
Torcedor compareu com a camisa de Brady para tatuar a 'homenagem'

O Super Bowl LI foi há 12 dias, mas seus reflexos seguem aparecendo.

Após a conquista histórica da equipe de New England, muitos torcedores de Boston resolveram gravar no corpo a lembrança, mas um torcedor foi além e decidiu tatuar o rosto de Tom Brady no bumbum. 

A tatuagem foi feita no dia da parada de comemoração do título e, segundo Emily Arsenault, funcionária da Boston Barber and Tattoo Co., o cliente não parecia "louco" como muitos podem imaginar. 

"Nós tivemos alguns clientes desagradáveis entrando, contaminados pelo espírito da parada. Mas ele era provavelmente o mais calmo de todos eles", afirmou Emily, em entrevista ao Boston.com.

Mas não foi apenas no bumbum que o feito dos Patriots foi homenageado.

Depois de apostar com a Samuel Adams, cervejaria da região de Boston, a SweetWater Brewing Company, de Atlanta, lançou uma cerveja especial pelo título de New England.

Na aposta, o fabricante derrotado teria que homenagear o vencedor, mas não havia nenhuma especificação contra pequenas provocações, e os torcedores dos Falcons aproveitaram.

Na descrição da cerveja, a SweetWater afirma que trata-se de uma bebida que pode esmagar sua alma ao ponto de você sentir-se "murcho". Além disso, afirma que nenhum G.O.A.T. (Greatest Of All Time, ou "maior de todos os tempos", como Brady vem sendo chamado) foi prejudicado na fabricação da bebida, apesar dos esforços.

Procura-se quarterback? Entre apostas, promessas e decepções, veja quem deve movimentar mercado da NFL

Matheus Zucchetto, do ESPN.com.br
De campeões para campeão, LeBron, Phelps, Serena e Spieth prestam homenagem ao 'eterno' Tom Brady

A temporada 2016 da NFL acabou há menos de duas semanas, mas, fora dos campos, o trabalho das 32 franquias já começou. Seja por conversas envolvendo as tags, futuros acordos ou trocas, 2017 está em ação.

No dia 5 de fevereiro, o mundo do futebol americano parou com Tom Brady e Matt Ryan no Super Bowl LI, dois quarterbacks do mais alto nível. E é exatamente essa a posição que atrairá olhares nesta offseason.

Para "guiar" o fã de esportes durante esse período de mudanças, o ESPN.com.br separou os principais nomes de quarterbacks que estarão envolvidos em rumores movimentarão o mercado da NFL - a free agency começa oficialmente em 9 de março.

  • Jimmy Garoppolo, do New England Patriots
Getty
Garoppolo deve ser a principal aposta dos times que buscam um QB
Garoppolo deve ser a principal aposta dos times que buscam um QB

Qual será o destino de Jimmy G? Essa deve ser uma das maiores questões nesta offseason. O QB que impressionou em dois jogos substituindo Tom Brady, logo no início da temporada, é uma moeda de troca muito importante para os Patriots.

Muitos consideram Garoppolo como um jogador de franquia, um quarterback que pode mudar o futuro de um time. E, em 2017, isso é ótima notícia para Bill Belichick.

New England deve receber propostas dos três times com as piores campanhas na temporada passada: Cleveland Browns, San Francisco 49ers e Chicago Bears. Isso significa que, muito provavelmente, Garoppolo só deixa os Patriots se uma escolha de primeira rodada de draft chegar. E não será uma escolha qualquer, já que essas três equipes são as primeiras na ordem de seleção.

'História incrível', 'eu peguei' e 'te amo': microfone de Edelman te coloca dentro do Super Bowl LI
  • Tony Romo, do Dallas Cowboys
Getty
Tony Romo deve acabar dispensado pelos Cowboys depois de 13 anos em Dallas
Tony Romo deve acabar dispensado pelos Cowboys depois de 13 anos em Dallas

No começo da temporada 2016, seria praticamente impossível pensar que Romo estaria nesta situação. Apesar das lesões, ele era o dono da posição em Dallas. Mas foi uma contusão que abriu espaço para o calouro Dak Prescott brilhar.

Com contrato até 2019 e US$ 14 milhões de salário em 2017, é provável que ele seja dispensado para abrir espaço na folha salarial dos Cowboys. E certamente haverá times buscando o QB de 36 anos: Buffalo Bills, Cleveland Browns, Chicago Bears, Denver Broncos, Houston Texans, Kansas City Chiefs e San Francisco 49ers são as principais apostas.

  • Brock Osweiler, do Houston Texans
Getty
Temporada decepcionante de Osweiler pode tirá-lo de Houston
Temporada decepcionante de Osweiler pode tirá-lo de Houston

Depois de bons jogos substindo Peyton Manning em Denver, Osweiler assinou um contrato de 4 anos e US$ 72 milhões com os Texans. Mas sua temporada de estreia foi uma decepção. Foram 15 touchdowns, 16 interceptações e atuações irregulares apesar da boa campanha de Houston (9-7, caiu na rodada divisional dos playoffs contra os Patriots).

Osweiler ainda teve o segundo pior rating da liga - na frente apenas de Ryan Fitzpatrick, dos Jets. Isso mesmo contando com um bom grupo de wide receivers, linha ofensiva sólida e um dos melhores ataques terrestres da liga.

  • Tyrod Taylor, do Buffalo Bills
Getty
Taylor foi titular nos últimos dois anos em Buffalo
Taylor foi titular nos últimos dois anos em Buffalo

Apesar de ter sido o titular dos Bills nas últimas duas temporadas, sair de Buffalo ainda parece ser uma opção no futuro de Taylor. A franquia tem até março para garantir um bônus de US$ 15,5 milhões ao QB e, se isso acontecer, ele terá mais US$ 30,7 milhões garantidos em seu vínculo. 

Rumores indicam, porém, que os Bills parecem prontos para deixar o camisa 5 para trás. Na última semana, ele foi para o banco e viu EJ Manuel assumir a titularidade. Com campanha de 15-14 nos dois anos em Buffalo, ele ainda passou por cirurgia em janeiro para corrigir problemas musculares na região do tórax.

  • Kirk Cousins, do Washington Redskins
Getty
Kirk Cousins deve jogar mais uma temporada sob a franchise tag
Kirk Cousins deve jogar mais uma temporada sob a franchise tag

Kirk Cousins merece salário de um grande quarterback. Ele está provando que é um deles. Em 2015, foram 29 TD's, 11 interceptações e campanha de 9-7. Sem entrar em acordo com os Redskins, ele jogou sob a franchise tag e voltou a mostrar seu potencial em 2016.

Apesar das oito vitórias de Washington, Cousins lançou para 25 touchdowns, 12 interceptações e 4.917 jardas (contra 4.166 do ano anterior). Mesmo assim, tudo indica que o camisa 8 voltará a jogar sob a tag em 2017.

  • Jay Cutler, do Chicago Bears
Getty
Passagem de Cutler em Chicago parece ter chegado ao fim
Passagem de Cutler em Chicago parece ter chegado ao fim

O tempo de Jay Cutler em Chicago chegou ao fim. O QB ainda está no meio de seu contrato de sete anos e US$ 126 milhões, mas deve ser cortado para abris espaço na folha dos Bears.

A franquia busca reconstrução, e Cutler não é o nome ideal. Em Illinois desde 2009, ele só levou os Bears aos playoffs uma vez, sofre constantemente com lesões (jogou 5 partidas em 2016) e falta de regularidade dentro de campo. Chicago, por outro lado, deve tentar Garoppolo ou algum calouro, já que possui com a 3ª escolha do draft.

  • Robert Griffin III, do Cleveland Browns
Getty
Lesões voltaram a atrapalhar RGIII
Lesões voltaram a atrapalhar RGIII

2016 foi mais um ano complicado para a 2ª escolha do draft de 2012. RGIII voltou a se contundir, esteve em apenas cinco jogos e foi um dos vários quarterbacks que falharam na péssima campanha dos Browns.

Griffin ainda tem contrato por mais um ano com Cleveland, mas as dúvidas sobre sua carreira só crescem. Além disso, os Browns também devem buscar um QB calouro ou o próprio Jimmy Garoppolo.

Tom Brady, 199ª escolha, se emociona ao lembrar 'rejeição' no draft da NFL
  • Os calouros
Getty
Mitch Trubisky, de North Carolina, deve ser o primeiro QB selecionado no draft
Mitch Trubisky, de North Carolina, deve ser o primeiro QB selecionado no draft

O draft da NFL é sempre uma opção muito usada por times que buscam um quarterback que possa mandar na franquia por um longo tempo. O próprio histórico da liga deixa isso claro, já que, desde 2000, 12 jovens QB's foram selecionados logo na primeira escolha de seus respectivos anos.

Em 2017, é difícil que isso volte a acontecer, já que os Browns devem escolher o defensive end Myles Garrett. Depois disso, porém, tudo em aberto. 

Entre as principais opções, Mitch Trubisky, de North Carolina, parece ser o favorito dos times. Além dele, Deshaun Watson, campeão nacional com Clemson, e DeShone Kizer, de Notre Dame, devem sair ainda na primeira rodada do draft.

Empolgou? Patriots registram slogan para a busca do sexto título

ESPN.com.br
Veja imagens do desfile de campeão do New England Patriots pelas ruas de Boston

O New England Patriots não esperou muito para começar os planos em busca do sexto título da NFL.

Depois do técnico Bill Belichick "comemorar" a história conquista contra os Falcons puxando o grito da torcida com "No Days Off" (sem dias de folga), o repórter Darren Rovell, da ESPN, revelou que a franquia já registrou o slogan para a busca do sexto título: "Blitz For Six" (Blitz para o Sexto).

A papelada foi feita dois dias após o Super Bowl LI, e também fez o pedido de registro do "mantra" de Belichick", o "No Days Off".

Registrar estes lemas, aliás, não é novidade para New England, que já tem em seu poder o "Do Your Job" (Faça o seu trabalho), e também "We are all Patriots" (Somos todos Patriots).

No histórico dos Patriots, porém, há casos de triste memória na tentativa de criar marcas registradas. Em 2008, após a temporada regular com 16 vitórias, a franquia pediu o registro de "19-0", e "The Perfect Season" (A Temporada Perfeita), mas os Giants estragaram a festa no Super Bowl XLII.

James White: o 'MVP' do 'MVP'

Mateus Carreira, para o ESPN.com.br
Autor do touchdown do título dos Patriots, James White diz que 'ainda não caiu a ficha'

A maior franquia do milênio na NFL é o New England Patriots, e isso ficou evidente ao final do “maior Super Bowl da história”. Julian Edelman está eternizado na recepção que desafiou as leis da gravidade. O workaholic Bill Belichick foi capaz de puxar um coro de “nada de folga” dos torcedores enlouquecidos mesmo estando com o Troféu Vince Lombardi nas mãos - e também está na história da Liga. E nem falamos de Tom Brady, o maior de todos os tempos, o quarterback de mão cheia - de talento e anéis.

E se eu te contar que, no meio de todos estes ícones, um coadjuvante roubou a cena, quebrando recordes, barreiras e encontrando um lugarzinho nos livros de história?

Isso aconteceu.

“Eu acho que o James White merecia ser o MVP”, revelou Tom Brady logo após a partida. O quarterback, que foi o eleito para o posto de jogador mais valioso da decisão pela quarta vez, tem razão no que diz.

White não ocupou um lugar de destaque no Draft de 2014. História parecida com a de Brady, que foi só a 199ª escolha em 2000. Pois é, o running back chegou aos Patriots como escolha de número 130 no Draft. Pouco jogou como rookie e virou apenas a terceira opção de corredor para os Pats quando Dion Lewis chegou de Indianapolis em 2015. O RB oficial era, é claro, LeGarrette Blount.

Mas foi correndo e suprindo a ausência de seus companheiros que James White deu ponto final para a primeira prorrogação da história do Super Bowl. Mais do que isso: chegou ao recorde de pontos anotados por um jogador na decisão, com 20 pontos. Mais ainda: extrapolou a posição de RB para preencher o espaço deixado pelo ídolo Rob Gronkowski, estabelecendo o novo recorde de recepções no Super Bowl: 14.

http://espn.com.br/video/668725_matt-ryan-essa-foi-dificil-estou-muito-desapontado

Quer mais um recorde de Super Bowl? Touchdowns por um único jogador. Foram três anotados, dois terrestres e um recebendo.

White ganhou 110 jardas em 14 recepções e foi mais acionado que Edelman, que teoricamente seria o alvo principal de Brady após a lesão de Gronkowski.

White foi mais efetivo com a bola do que Blount, que saiu lesionado e com uma média de 2,8 jardas carregadas a cada uma das 11 tentativas. A ‘terceira opção’ dos Pats conseguiu 4,8 jardas médias e 2 touchdowns em 6 carregadas.

Considerado por Tom Brady como um irmão mais velho, James White foi o melhor jogador em campo para o lendário quarterback e verdadeiro MVP do Super Bowl. E é inegável que a terceira opção de running back, 130ª escolha de Draft, não podia ter escolhido melhor momento para mostrar o seu valor.

Tanto quanto Edelman, Belichick e Brady, James White, um herói inesperado, conseguiu o seu lugar na história.

mais postsLoading