José Roberto Malia

José Roberto Malia

De tudo, um pouco. Sem aliviar, mas sempre informando. Pau é pedra, pedra é água e água é fogo

Arbitragem: não há mocinhos nem bandidos, é tudo farinha do mesmo saco

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Então, ficamos assim: se você toca a banda de acordo com o figurino do protesto, é o máximo; se desafina por ter opinião diferente, por não colocar a paixão na frente da razão, por não fazer média, é merecedor de um solene vai tomar caju.

Pois é o que vem acontecendo nas últimas rodadas do Brasileirão depois de seguidos erros de arbitragem. A situação chegou a tal ponto que num jogo entre times do bloco intermediário ou mesmo de equipes mergulhadas na zona do agrião queimado, uma simples falha de sua senhoria serve para desencadear mais um laço na teoria da conspiração. De um campeonato armado para este ou aquele time.

O coitado do assoprador de latinha, incapaz de apitar até saída de trem por lhe faltar competência, é açoitado por cartolas e jogadores. Que procuram, cinicamente, esconder a incompetência administrativa ou a perda de um gol em uma falha do juiz e/ou bandeirinha. E que, quando beneficiados, simplesmente se fecham em copas e alegam chororô do derrotado.

Na verdade, não há mocinhos nem bandidos. São todos farinha do mesmo saco, agora com uma agravante: o apoio da mídia caolha, muito mais preocupada em cavar a popularidade do que fazer uma análise mais coerente. O bumbo também faz barulho, mas uma hora fura e é descartado. Quem chora hoje já ficou muito feliz ontem.

Por falar em mídia caolha... O mandachuva e raios da Raposa, Gilvan Tavares, confessou ao demitido diretor Isaías Tinoco que um radialista mandou até currículo para ocupar o cargo e, como foi preterido, passou a perseguir Tinoco com críticas sistemáticas.

Já o árbitro pernambucano Marcelo de Lima Henrique informou no relatório, após a derrota do Galo para o Furacão, que foi interpelado por um 'sujeito credenciado com crachá da imprensa' aos gritos de 'safado, safado e safado'.

Há que se ter também coerência. Pouco ou quase nada se falou sobre os erros grosseiros que prejudicaram a Ponte contra a Raposa. Sua senhoria Emerson Luiz Sobral deixou de marcar um pênalti em Borges e também anulou erradamente um gol do centroavante quando a partida estava empatada. Detalhe: se o Cruzeiro perdesse, hoje estaria na zona da degola.
                                                   ############

Pitacos da rodada. Peixe morde fácil a Chapecoense (3 a 1), no aquário da Vila Belmiro (8.047 pagantes), e nada para o oitavo lugar, com 33 pontos, três a menos do G4 - Ricardo Oliveira volta a perder pênalti (o terceiro), mas marca dois, e Geuvânio também deixa sua marca (Neto desconta para a equipe catarinense); em SC, com gols de Bobô e Pedro Rocha, imortal Grêmio passa pelo Figueira e fica a um ponto do vice-líder Galo - 42 a 41 pontos.

Sugismundo Freud. Pensar sem coerência é chutar o pau da barraca no cérebro.

Zapping. Em seu terceiro jogo na telinha, contra 10 de Corinthians e soberano São Paulo, o Palmeiras rendeu boa audiência à plim-plim na grande Pauliceia dominada pela violência. O embate contra o Goiás registrou 20 pontos. A Band obteve quatro. Na Cidade Maravilhosa das facas assassinas, Fluminense x Corinthians cravou 21 pontos na Globo e dois na emissora paulista. Cada ponto em SP equivale a 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil.

Caiu na rede. Em campo todos ficam no mesmo pé de igualdade... menos o Corinthians.

Bem, amiguinhos. O Trio de Ferro paulista comanda o ranking das equipes mais valiosas do continente americano. O Corinthians lidera pela terceira vez consecutiva, com US$ 511,7 milhões (R$ 1,9 bi), de acordo com a edição mexicana da revista 'Forbes'. O soberano São Paulo aparece em segundo, com US$ 360,4 mi, e o Palmeiras fecha o pódio, com US$ 310,3 mi. A quarta posição pertence ao Chivas Guadalajara (US$ 302,7 mi), e a quinta ao imortal Grêmio (US$ 279,2 mi).

Zé Corneta. São Paulo, um clube esfacelado politicamente.

Bem, diabinhos. Assim que o juiz apitou o final da partida contra o Vasco, que decretou a eliminação do time da Copa do Brasil, a cartolagem do Flamengo colocou a calculadora para funcionar. Soma daqui, tira dali, e pimba na caxirola: para recuperar pelo menos parte das receitas perdidas com o fracasso, o Urubu terá de vender mais dois jogos como mandante, fora o embate contra o Avaí. A situação ficaria ainda melhor se o clube arrumasse dois amistosos caça-níqueis. Até agora, o Rubro-negro beliscou R$ 10 milhões de bilheteria, metade do café no bule previsto no orçamento.

Dona Fifi. O Vasco anuncia no sorumbático porto de São Januário: sai o respeito, entra a chacota.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha': "Por causa de dois jogos, os apressados já exageram nos elogios ao habilidoso e promissor Gabriel Jesus. É o futebol midiático, dos melhores momentos, da repetição e da supervalorização de lances isolados, da construção de heróis e de vilões a cada jogo, como se lances individuais representassem o todo, a realidade. O jogo coletivo fica esquecido. A sociedade do espetáculo não gosta de futebol, gosta de consumir e de descartar." Bingo!

De chaleira. Fla-Flu promete: Rubro-negro vem de três vitórias, e Tricolor, de três derrotas.

Tititi d'Aline. A milionária Confederação Brasileira de Vôlei topou bancar as viagens, hospedagens, traslado terrestre, arbitragem e bolas da Superliga masculina. Atendeu pedido dos clubes. Mas em troca exigiu as receitas de publicidade em quadra. Também impôs o final do campeonato: 10 de abril, dois meses antes da Liga Mundial, dando à seleção maior tempo de preparação.

Você sabia que... o Leão da 'Ilha de Lost', além de rei dos empates (11), também é o único time que ainda não venceu fora de casa no Brasileirão?

Bola de ouro. São Paulo. O soberano entrou na Justiça contra o Circo Brasileiro de Futebol cobrando R$ 17,8 milhões. O Tricolor exige o pagamento dos salários dos jogadores cedidos à amarelinha desbotada desde 1997 até hoje. Também reclama o café no bule de integrantes da comissão técnica. A milionária casa maldita do ludopédio usa, abusa e não paga.

Bola de latão. Vasco. A nau do capitão gancho Eu-rico Miranda segue torpedeando recordes: completou sete jogos sem balançar a rede do adversário, superando a marca de seis partidas, conquistada em 1986. Mais: a goleada de 6 a 0 diante do Saci colorado foi a maior do Brasileirão deste ano e também a maior da história do time carioca no campeonato.

Bola de lixo. Fernando Collor. O ínclito senador, representante do bloco PTB, PSC, PR e PRB, se fez presente em apenas uma das oito sessões já realizadas pela CPI do Futebol. E na única vez que pintou, entrou mudo e saiu calado.

Bola sete. "O torcedor comentar é uma coisa, mas um presidente, um dirigente, tem de provar a manipulação, porque é uma acusação grave. Não queremos que os árbitros errem nem contara nem a favor, mas eles são humanos. Não estamos em primeiro por causa dos árbitros. Temos méritos para estar na liderança" (do goleiro Cássio, à ESPN - fato).

Dúvida pertinente. O Fluminense pode reclamar da arbitragem depois do sobe-desce que o acompanhou várias vezes no Brasileirão?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Corinthians dispara na ponta; torcida do Galo canta 'doutor, eu não me engano, o juiz é corintiano'

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Melhor que a encomenda: assim pode ser definida a 22ª rodada do Brasileirão para o Corinthians. Além de derrotar o Fluminense por 2 a 0, no Itaquerão, minha casa minha vida (29.328 pagantes), o Corinthians ainda saboreou um tropeço do Galo diante do Furacão (1 a 0), um empate do soberano São Paulo e uma derrota do Palmeiras. O time paulista chegou a 49 pontos na liderança, sete a mais que o time mineiro.

Mesmo desfalcado, o Corinthians se impôs ao Fluminense e, de cara, deixou a torcida tranquila: aos 4 minutos de jogo, o garoto Marciel avançou pelo meio, driblou Edson e ‘matou' o goleiro Diego Cavalieri. Gol do terrão!

Senhor das ações, o Corinthians continuou mandando em campo na etapa final e marcou o segundo, aos 25: Jadson cobrou falta, Michael bobeou e Ralf, de cabeça, encaçapou. Antes, sua senhoria Sandro Meira Ricci anulou um gol legal dos cariocas. Com 2 a 0, o líder diminuiu o ritmo e só esperou o tempo passar. Festa da Fiel.

No Independência (12.064 torcedores), revolta: irritada com a derrota do Galo para o Furacão (gol de Walter, cobrando pênalti), a torcida não se conteve e gritou ‘Corinthians, Corinthians' nos minutos finais, em protesto contra a arbitragem de Marcelo de Lima Henrique. A bronca prosseguiu a plenos pulmões: ‘Doutor, eu não me engano, o juiz é corintiano... ‘

Os atleticanos não se conformaram com a expulsão do lateral Marcos Rocha e dois impedimentos inexistentes. No Twitter, o ex-presidente Alexandre Kalil: ‘Sérgio Correia [chefão do apito], infelizmente você tem camisa. Marcelo de Lima Henrique, você é um vagabundo e ladrão'.

Tudo bem, o apito amigo anda complicando a vida do Galo, mas seus jogadores também estão cometendo muitos erros. O gringo Lucas Pratto, por exemplo, perdeu várias chances de liquidar o Furacão.

Na Arena Joinville (13.064 pagantes), o soberano São Paulo ficou no ‘oxo' contra o vice-lanterna Joinville e deve agradecer a Deus pelo resultado. O time catarinense mandou três bolas na trave e ainda obrigou Renan Ribeiro a fazer grandes defesas. Finalizou 20 vezes contra oito dos são-paulinos.

O Tricolor acertou uma vez o poste do adversário e, no último lance da partida, Pato desviou na pequena área, mas o goleiro Agenor , ou ‘Ageneuer' como diz a torcida, operou um milagre e pegou. Pato, que completou 26 anos, não esteve em noite inspirada. Nem a equipe paulista, com 10 desfalques.

O meia Daniel, sem jogar desde 3 de setembro de 2014, em virtude de uma lesão no joelho direito, finalmente estreou no Tricolor. Ele substituiu Michel Bastos no segundo tempo. Thiago Mendes, Wesley e Pato levaram o terceiro amarelo e estão fora do embate contra o Saci colorado no fim de semana.

Já o Palmeiras decepcionou no Serra Dourada, em Goiânia. Com um belo gol de Bruno Henrique, aos 17 minutos do segundo tempo, o Goiás venceu e saiu da zona do agrião queimado. Os palmeirenses reclamaram muito de um pênalti não marcado e um gol anulado. O time goiano também pediu um pênalti. O Palmeiras deixou o G4 e caiu para o sexto lugar, com 34. Os periquitos em revista criaram boas chances, mas desperdiçaram.
                                                  ###########
Pitacos da rodada 1. Saci colorado dá goleada histórica e manda nau vascaína a pique no Beira-Rio(15.021 torcedores): 6 a 0, gols de Ernando, Sasha, Lisandro Lopes (dois), Valdivia e Nilton - time carioca perde a quinta seguida e agora só o Cristo Redentor poderá evitar seu rebaixamento; sem o ‘pofexô' Luxemburgo e com Mano Menezes na tribuna, Raposa derruba Ponte (2 a 1) com um gol aos 48 do segundo tempo e quebra jejum de seis jogos sem vitória - sua senhoria, o pernambucano Emerson Luiz Sobral, dá aquela força ao time mineiro no Moisés Lucarelli (5.343 pagantes), deixando de marcar um pênalti e anulando um gol da Macaca.

Pitacos da rodada 2. Flamengo engata terceira vitória consecutiva no Brasileirão: 3 a 0 no Avaí, gols de Alan Patrick e Kayke (dois), o substituto do lesionado Guerrero, na Arena das Dunas (22.825 presentes) - Urubu voa para 32 pontos e reduz diferença para o G4, enquanto time catarinense segue na rota do caldeirão do diabo; no Couto Pereira, Coxa e Sport ficaram no ‘oxo'.

Zé Corneta. O movimento #ForaDelNero informa: Ratto substitui o imperador ostentação na chefia da amarelinha desbotada nos EUA.

Gol da Alemanha. A seleção campeã mundial marcou mais um golaço: lançou campanha para que a população ajude os imigrantes, além de denunciar ataques xenófobos. O capitão Schweinsteiger, Boateng, Ilkay, Özil e Toni Kroos aparecem numa foto segurando cartazes com a mensagem 'Contra a violência e a xenofobia'. Segundo os craques, ajudar as pessoas 'é o nosso primeiro dever'. A Alemanha se prepara para receber 800 mil pedidos de asilo neste ano, mais do que em qualquer outro país da União Europeia. A maioria dos refugiados vem da Síria, Eritreia, Afeganistão, Kosovo ou Sérvia.

Sugismundo Freud. Só bebe água limpa quem chega primeiro.

Bem, amiguinhos. Apesar do retumbante fracasso da amarelinha desbotada na 'Copa das Copas', 622 jogadores brasileiros participaram da última janela de transferências. Em segundo lugar ficaram os franceses (336), à frente de argentinos (309) e britânicos (280).

Bem, diabinhos. O trem das 11 do Circo Brasileiro de Futebol pode ir para a garagem em outubro. A comissão médica e a cartolagem da casa maldita do ludopédio pretendem definir entre 30 de setembro e 7 de outubro se os jogos nas manhãs de domingo deverão continuar. A torcida aprovou a maria-fumaça, mas a maioria dos atletas e ‘professores' tem reclamado muito do calor.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil'). No aniversário do Corinthians, Fifa dá mais um Mundial de presente para o clube.

Dona Fifi. A turma de Xerém mostra seu valor: Fluminense fatura invicto o Brasileiro sub-20 (10 triunfos e dois empates). Time solta grito de campeão após massacrar Vitória (3 a 0), no Barradão.

Gilete press. De Lauro Jardim, em 'Veja': "As relações entre Ricardo Teixeira e Marco Polo Del Nero, ruins há tempos, andam mais esgarçadas. Teixeira disse, dias atrás, numa roda de amigos que, em seus tempos de presidente da CBF não se opôs à abertura dos sigilos bancário e fiscal, pedida pela CPI da Nike. Já Marco Polo, como se sabe, foi ao STF tentar (em vão) barrar o pedido de quebra de sigilo de suas contas, feito pela CPI da CBF." Ajoelhou tem de rezar!

Tititi d'Aline. Nada contra, ao contrário. Mas não deixa de ser quiçá interessante e, por que não dizer, um tremendo sucesso financeiro. Graças à inovadora política de produtividade adotada pelo nobre presidente Paulo Nobre, a folha de pagamento do Palmeiras gira em torno de R$ 11,5 milhões. É uma das mais altas do ludopédio nacional.

Você sabia que... os direitos de transmissão da Premier League saltarão de R$ 17 bilhões para R$ 29 bilhões na temporada 2016/17?

Bola de ouro. Douglas Costa. O brasileiro do Bayern de Munique tirou de letra as críticas, até de companheiros, por ter aplicado uma 'lambreta' no jogo com o Bayer Leverkusen: se pintar outra chance, repetirá a dose.

Bola de latão. Lotus. O motor só não fundiu antes do GP da Bélgica porque o poderoso chefão do circo, Bernie Ecclestone, bancou os salários da escuderia, num total de R$ 8,5 milhões. A equipe deve ser vendida para a Renault.

Bola lixo. Arena/Beira-Rio. No estádio gremista, encontra-se com facilidade vodca, cachaça, uísque, vinho e até lata de cerveja. A cocaína, cheirada sem discrição, também está no cardápio. No lado colorado, vendedores autorizados ingressam no campo com bebida para, depois, negociá-la no mercado negro. O uso de maconha é recorrente. O raio X está numa ampla reportagem do 'Zero Hora'. Certamente não é privilégio dos gaúchos.

Bola sete. "Vencer uma partida dá mais prazer que sexo. No futebol, a alegria dura três ou quatro dias, e no sexo, apenas um minuto" (do volante Sérgio Busquets, do Barcelona - e aí, Peixe?).

Dúvida pertinente. O capitão gancho da nau vascaína Eu-rico Miranda já começou a fazer as malas para a Sibéria?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Corinthians iguala recorde do Cruzeiro bicampeão. Hexa à vista?

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Pode ser apenas uma simples coincidência, mas certamente os corintianos darão asas à imaginação enquanto os secadores de plantão reforçarão a mandinga para implodir o bico da chuteira do coirmão.

Com 46 pontos em 21 jornadas, o Corinthians atingiu 73% de aproveitamento e igualou o recorde da Raposa bicampeã em 2013/14.

Até a vitória do time paulista sobre a Chapecoense, o Cruzeiro reinava absoluto como a equipe com melhor desempenho da história do Brasileirão ao longo dos pontos corridos, de acordo com levantamento do 'srgoool.com.br'.

No critério desempate, o time mineiro leva vantagem no saldo de gols. O pragmatismo do 'professor' Tite é responsável por 18. Ano passado, o pão de queijo festejou 22 gols, quatro a menos do que em 2013.

A exemplo da Raposa em 2014, o Corinthians lidera com quatro pontos de vantagem sobre o Galo bom de bico (os mineiros superavam o soberano São Paulo). O time corintiano acumula 14 vitórias (nove em casa e cinco fora), quatro empates como visitante e três derrotas (uma como dono da festa e duas fora), além de 33 gols a favor e 15 contra (melhor defesa).

Desde 2003, apenas Corinthians e Cruzeiro atingiram mais de 70% de aproveitamento após 21 embates. Segundo o 'srgoool', os clubes que mais se aproximaram da marca ficaram sem o título. Grêmio, em 2008, e Galo, em 2012, conseguiram desempenho de 69,8%.

O Palmeiras de 2009 fecha o pódio dos times que botavam banca na 21ª rodada e ficaram com o grito de campeão entalado na garganta.

O Corinthians atual dá um baile nos times que deram a volta olímpica em 2005 e 2011. Há 10 anos, a equipe corintiana nadava em 66,7% de aproveitamento depois de 21 partidas; em 2011, 63,5%. Vai Corinthians?
                                                             ############
Roda viva. A Raposa conseguiu convencer Mano Menezes a dar um bico no ano sabático. Ele será o substituto do demitido 'pofexô' Vanderlei Luxemburgo. Mano acertou contrato até dezembro de 2017, quando se encerra o ciclo do poderoso chefão Gilvan Tavares. Considerado um dos treinadores mais badalados do país, Mano terá como principal desafio livrar o Cruzeiro da degola. Deverá receber algo em torno de R$ 600 mil por mês. Ex-Corinthians, Flamengo, Grêmio e amarelinha desbotada, Mano será o 18º 'professor' da Raposa na era dos pontos corridos. O troca-troca:

2003: Luxemburgo
2004: Luxemburgo, PC Gusmão, Leão e Marco Aurélio
2005: Levir Culpi e PC Gusmão
2006: PC Gusmão e Oswaldo de Oliveira
2007: Paulo Autuori e Dorival Júnior
2008: Adilson Batista
2009: Adilson Batista
2010: Adilson Batista e Cuca
2011: Cuca, Joel Santana, Emerson Ávila e Vagner Mancini.
2012: Vagner Mancini e Celso Roth
2013: Marcelo Oliveira
2014: Marcelo Oliveira
2015: Marcelo Oliveira, Luxemburgo e Mano Menezes

Caiu na rede. 'Agora o pojeto do pofexô é rexeber o xeguro dejempego'.

Bem, amiguinhos. A passagem de Odílio Rodrigues pelo trono do aquário da Vila Belmiro foi avassaladora. Deixou de pagar jogadores, fornecedores, água, luz, floricultura e até taxas pelo aluguel do Pacaembu. O Peixe agora estuda realizar três jogos no próprio da municipalidade para quitar o calote.

Sugismundo Freud. Sem talento não há promessa que dê jeito.

Bem, diabinhos. Um dos muitos desafios do 'professor' Argel Fucks no Saci colorado está traçado: recuperar o meio-campista Anderson, ex-Manchester United. O clube gaúcho investiu pesado no atleta (mais de R$ 500 mil mensais), mas até agora só colheu decepções.

Zé Corneta. Loucura, loucura, loucura: Manchester United pagou R$ 202 milhões pelo atacante francês Anthony Martial, 19 anos, do Monaco.

Fim da linha. A crise chega às chuteiras. Patrocinadora master de Fluminense, Flamengo e Vasco, a Viton 44 pretende deixar o futebol, informou o 'Globo.com'. A empresa mandou 170 funcionários embora e está com o caixa em baixa. O Tricolor pode ser o primeiro a sentir o golpe. A empresa quer romper o contrato em outubro. Os direitos de imagem dos atletas do Flu estão atrasados há três meses.

Gilete press. De Wianey Carlet, no 'Zero Hora': "Que me desculpem os senhores que comandam o Grêmio dentro e fora de campo, mas a choradeira contra um hipotético estado de exaustão ultrapassou até mesmo os limites do exagero. O mesmo puxão de orelhas cabe a nós, imprensa, por darmos eco aos patéticos queixumes gremistas. Está parecendo que o time de Roger Machado voltou de uma excursão à Chechênia, desceu do avião e foi a campo. Será que apenas o Grêmio está jogando duas partidas por semana? Melhor guardar os lenços e examinar com cuidado o que aconteceu. Ficar buscando desculpas não ajuda; pelo contrário, ilude." Fato.

Dona Fifi. O cerco aperta. CPI do Futebol no Senado aprovou pedido de cópia dos patrocínios da Federação Paulista de Futebol entre 2005 e 2015, tempo do reinado do imperador ostentação, Del Nero, hoje carismático chefão do Circo Brasileiro de Futebol.

Twitface. O sérvio Novak Djokovic colocou o prato na mesa do US Open e devorou o Feijão brasileiro em uma hora e 11 minutos, com triplo 6/1.

Tititi d'Aline. O bochicho tomou conta de Moscou: a boxeadora Natalia Ragozina, a 'Marreta' (22 vitórias em 22 combates), seria o novo ‘affair' do presidente russo Vladmir Putin. A atleta tem 39 anos (23 a menos que ele), 1,81m (10 a mais que Putin), cabelos louros, olhos claros e nove cinturões no boxe. Já posou para a revista 'Penthouse'. Putin é faixa preta em judô.

Você sabia que... o meia Kaká, um dos anões de Dunga, completou oito jogos sem marcar pelo Orlando City.

‘Bola de ouro'. Furacão. Em ótimo momento financeiro, deixou de pagar a conta e a luz da Arena da Baixada, um dos estádios da Copa, foi cortada.

Bola de latão. Real Madrid/Manchester United. Protagonizaram o maior mico na janela de transferências. Acertaram a venda do goleiro De Gea para o time espanhol, mas o negócio fracassou porque a documentação atrasou.

Bola de lixo. Palmeiras. Comprou os direitos do lateral Weldinho, ex-Corinthians e hoje no Oeste, e pagou apenas duas parcelas. O terceiro papagaio de R$ 250 mil venceu em maio e continua voando. A empresa Pro Futebol Assessoria Administrativa já entrou com ação na Justiça.

Bola sete. "Famoso pelo episódio de Ronaldo Fenômeno com travestis, em 2008, o Motel Papillon, na Barra, é outra vítima da crise. Fechou as portas. Em seu lugar serão construídos dois edifícios" (de Cleo Guimarães, no ‘Globo' - menos um ponto turístico na cidade).

Dúvida pertinente. Mano, a melhor saída para a Raposa?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Menino Jesus e Gabigol dão bico nos gringos e fazem juras de amor ao clube

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Quem fica parado é orelhão: o fofo Ronaldo já cresceu os olhos para cima do menino Jesus, 18 anos. Não quer apenas cuidar da imagem do garoto palmeirense, oferecendo os serviços da empresa de marketing ‘9ine', mas também degustar um pedaço da pizza do atacante.

O fenomenal negociador planeja comprar pouco mais de 20% dos direitos de Gabriel Jesus. A fatia pertence ao empresário Fábio Caran, que, segundo o blogueiro Jorge Nicola, estaria pedindo algo em torno de R$ 8 milhões. Mas antes de fazer o cheque, Ronaldo terá de esperar por uma decisão do nobre presidente Paulo Nobre.

É que, por contrato, o Palmeiras tem a preferência no toma lá, dá cá. O clube já detém 30% dos direitos de Jesus, que embolsa R$ 50 mil por mês. O agente Cristiano Simões é dono de 32,5%, e Jesus, de 15%.

Por enquanto, o jogador não pretende deixar o ninho dos periquitos para jogar no exterior. 'Meu projeto de carreira é o Palmeiras', garante Jesus, que tem contrato até dezembro de 2019.

Ele manda outro recado à torcida: não há a menor possibilidade de trocar as sandálias da humildade pelo salto alto após o oba-oba dos últimos dias. Dona Vera Lúcia está de prontidão, sempre pronta a puxar a orelha do filho se mergulhar na badalação. 'Glória, glória, aleluia, é Gabriel Jesus'.

Descendo a serra... O atacante Gabigol também deu um solene bico na chance de um adeus ao Peixe neste momento. Em comunicado, o garoto de 19 anos e 35 gols em 180 confrontos, deixou a torcida santista sorrindo de orelha a orelha.

Gabriel só pretende limpar o armário no aquário da Vila Belmiro depois de levantar muitos canecos, fazer história e entrar na turma dos anões de Dunga: 'Ainda não cumpri minha missão no Santos'.

O Fenerbahce, da Turquia, pretendia contratá-lo por R$ 80 milhões, para alegria do insaciável empresário Wagner Ribeiro. As fatias da pizza Gabriel: 40% do Santos, 20% do grupo Doyen Sports e 40% do atleta. Até a próxima janela.
                                                        ############
Te cuida, Osorio. É, no mínimo, folclórico. O vice-presidente do soberano São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, diz ter convencido o 'professor' Juan Carlos Osorio a permanecer na casamata porque terá um 'excelente time' na próxima temporada. Quase ao mesmo tempo em que o cartola botava banca, um estudo do Itaú BBA, braço da instituição financeira que faz anualmente uma análise do balanço dos clubes, informava que o Tricolor se encontra em ‘rota de colisão contra um muro e não resta muito tempo até a explosão'. Guerreiro, um encantador de serpentes que adora os holofotes.

Sugismundo Freud. Rotina diabólica: o povo sempre paga a conta.

Caixinha, obrigado. No vácuo do sucesso do programa sócio-torcedor, as empresas Centauro e Netshoes decidiram lançar (e faturar uma boa nota em cima) o ranking de enxovais mais vendidos. Na Centauro, os cinco melhores são Flamengo, Botafogo, Corinthians, soberano São Paulo e Vasco; na Netshoes, Flamengo, Tricolor, Raposa, amarelinha desbotada e Corinthians.

Dona Fifi. O Corinthians pagou o pato e ficou com o mico: agora, só poderá dar asas à imaginação no fim do ano. O soberano Tricolor agradece o coirmão.

Placar. Definidos os confrontos das quartas de final da Copa do Brasil, um mergulho no túnel do tempo dos encontros já realizados na competição, com a classificação no tira-teima: Figueirense 0 x 1 Peixe (duas vitórias santistas), Palmeiras 0 x 1 Saci colorado (dois triunfos gaúchos), Vasco 1 x 1 soberano São Paulo (duas vitórias cariocas, uma paulista e um empate), e Grêmio 3 x 1 Fluminense (quatro cacetadas do imortal, duas do Tricolor e dois empates).

Zé Corneta. Del Nero: viajar no avião do FBI? Nem a pau, Marin.

Bem, amiguinhos. A Série D do Brasileiro, que contempla os sobreviventes com o cobiçado ‘Troféu Poltergeist', é campeã de bilheteria. Náutico/RR x Vilhena parou a cidade de Boa Vista. Nada menos que 28 testemunhas assistiram à vitória do time da casa por 2 a 1. O policiamento teve de ser reforçado para levar a excepcional arrecadação de R$ 280 até o banco.

Caiu na rede. Campanha no ar: #ForaDelNero.

Bem, diabinhos. Da milionária Fórmula 1 à pátria das chuteiras furadas: eu sou você amanhã. Mais da metade das equipes (seis) deve R$ 1,1 bilhão, de acordo com levantamento da revista 'Forbes'. Só a Lotus pisa no acelerador com um rombo superior a R$ 700 milhões.

Zapping. Apesar de estar na liderança, o Corinthians decepcionou a plim-plim. O ibope do jogo contra a Chapecoense cravou 16 pontos na grande Pauliceia envolvida pela bandidagem - a Band obteve cinco. Já Sport x Flamengo rendeu 21 pontos à emissora carioca (dois na Band) na Cidade Maravilhosa das balas voadoras. Cada ponto em SP equivale a 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha': "Reconheço as virtudes dos técnicos dogmáticos, repetitivos, como Dunga, mas eles, com suas certezas, não me encantam mesmo nas vitórias. Embora não concorde com uma ou outra escalação de Osorio, torço por ele e por todos os técnicos inventivos, que gostam de surpreender e de sair da mesmice." No alvo.

De chaleira. Depois de abusar do ‘eu faço, eu mando... ‘ nos primeiros bons resultados do Saci colorado, Argel Fucks culpou a arbitragem, o calor e até o carrinho do cachorro-quente pela surra que o time tomou do Avaí.

Tititi d'Aline. O moleque Neymar aguarda um convite do Barcelona para discutir a prorrogação de contrato até 2020. Valorizado pela pequena oferta de R$ 800 milhões do Manchester United, o brasileiro acredita que poderá pedir o dobro do que recebe atualmente, uma bagatela de R$ 700 mil... por semana. Se fosse para os Diabos Vermelhos, Neymar iria ganhar mais de R$ 80 milhões por temporada, entre luvas e salários.

Você sabia que... o Águia de Marabá finalmente perdeu a ‘virgindade' na Série C e conquistou a primeira vitória após 13 jogos, derrotando o Botafogo da Paraíba por 2 a 1?

Bola de ouro. Marcelinho Huertas. Sonho realizado: fechou contrato com o Los Angeles Lakers para a temporada 2015/16 da NBA. Nos últimos quatro anos, o brasileiro defendeu o Barcelona. De olho no melhor basquete do mundo, Huertas havia recusado R$ 4 milhões/ano do Galatasaray, da Turquia.

Bola de latão. Ronaldinho Gaúcho. Uma atuação meteórica contra o Galo: 33 segundos com a bola até ser substituído aos 22 minutos do segundo tempo. Recompensa: vaias.

Bola de lixo. Vanderlei Luxemburgo. Em ótima fase, levou mais um bico nos fundilhos. Defenestrado pela Raposa depois de seis vitórias, três empates e 10 derrotas. 'Pojeto' cumprido: bicampeão brasileiro eliminado da Copa do Brasil e a um passo da zona do agrião queimado.

Bola sete. "Luxemburgo entendeu que a diretoria tinha de tomar uma atitude, porque futebol vive de resultados. Recebi muitos e-mails pedindo a contratação dele. O mesmo tanto que recebi para tirá-lo. Muricy Ramalho e Mano Menezes são treinadores de ponta que não estão dirigindo nenhuma equipe, mas não querem trabalhar este ano" (do poderoso chefão do Cruzeiro, Gilvan Tavares - o pão de queijo queima).

Dúvida pertinente. 'Pofexô' Vanderlei Luxemburgo: reciclagem ou aposentadoria?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Corinthians canta de galo e mantém folga; menino Jesus derruba São Paulo do G4

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

O Corinthians espantou fácil a ressaca da eliminação da Copa do Brasil. A equipe liquidou a Chapecoense (3 a 1) e manteve a folga de quatro pontos na liderança do Brasileirão, após 21 jornadas. Tite & Cia. somam agora 46 pontos, contra 42 do Galo, que passou pelo Fluminense (2 a 1).

Já o Palmeiras teve um apagão depois de abrir dois gols de vantagem, mas o menino Jesus salvou a lavoura e garantiu o triunfo por 3 a 2, resultado que levou o time ao G4, no lugar do soberano Tricolor.

O Corinthians não se intimidou com a fama da Chapecoense na Arena Condá (o time da casa havia perdido apenas uma partida em 10) e praticamente matou o Índio catarinense em 15 minutos. Elicarlos saiu jogando errado e entregou a bola para Renato Augusto (um dos melhores em campo). O meia avançou e passou a Elias, que bateu no canto: 1 a 0, aos 9.

Quatro minutos depois, Uendel cruzou e Vagner Love, de cabeça, aumentou para 2 a 0. O time paulista continuou absoluto em campo, dominando o meio de campo, mas não soube aproveitar o mau desempenho da Chapecoense e foi castigado, aos 47, com um gol Bruno Rangel.

A equipe catarinense poderia ter chegado ao empate no início da segunda etapa. Apodi cruzou, Camilo cabeceou e Cássio fez ótima defesa. Sem conseguir trocar passes como gosta, o Corinthians viveu momentos complicados. Tite fez algumas mudanças e, aos 43, Inês era morta: Jadson, de pênalti, fez o terceiro.

Na mansão Allianz Parque (28.907 pagantes), o menino Jesus evitou um vexame do Palmeiras. Explica-se: o time abriu dois gols (Gabriel Jesus, aos 52 segundos, e Dudu, aos 23), resolveu trocar figurinhas e deixou o Joinville empatar em dois minutos, com o 'vovô' Marcelinho Paraíba.

Incrédula, a torcida dos periquitos em revista parecia não acreditar no que havia acontecido. E, no final do primeiro tempo, vaiou a equipe. Menos Jesus. Que voltou do vestiário com fome de bola e balançou as redes novamente aos 22, traduzindo em gol a superioridade no gramado.

Pouco depois, o moleque saiu com dores musculares e foi aclamado pela galera: "Glória, glória, aleluia, é Gabriel Jesus". Com o triunfo, o Palmeiras roubou o quarto lugar do São Paulo na tabela. Ambos têm 34 pontos, mas os palmeirenses vencem no saldo de gols, 14 a 6.
                                                    ############

Pitacos da rodada 1. Peixe desencanta como visitante e vence a primeira fora de casa, com um golaço do ‘matador' Ricardo Oliveira, no Mineirão (8.271 presentes) - time santista completa sete jogos sem perder, enquanto a Raposa chega à quinta derrota consecutiva (três pelo Brasileirão e duas pela Copa do Brasil) e segue na mira da guilhotina; Furacão arrasa Goiás, com dois do rechonchudo Walter e um de Ewandro, e reencontra o caminho da vitória depois de quatro jogos - Goiás abre a zona do agrião queimado.

Pitacos da rodada 2. Flamengo, com um gol de Everton aos 4 minutos de jogo, detona uma invencibilidade de 30 duelos do Sport como mandante e se afasta da zona do perigo - Leão pernambucano joga com um menos a maior parte da partida (Samuel Xavier leva vermelho) em Recife (34.939 presentes); no reencontro com Ronaldinho Gaúcho (pífio), Galo bica o Fluminense e segue na caça ao Corinthians - Giovanni Augusto e Patrick marcam para os mineiros no ‘new Maraca' (20.533 espectadores), e Wellington Paulista desconta para os cariocas - desde 1980 o Galo não vencia o Flu no Macara

Pitacos da rodada 3. Antes de a bola rolar, festa de 20 anos da conquista do bi da Libertadores, depois a frustração gremista diante de 46 mil torcedores: 'oxo' contra o Coxa - imortal segue no G4 e paranaenses continuam no subsolo do campeonato; após empate e três vitórias, 'professor' Argel Fucks leva a primeira cacetada na casamata do Saci colorado: Avaí, 3 a 0, gols de Léo Gamalho (dois) e Camacho, na Ressacada - sua senhoria Pericles Bassols reclama de lesão e dá lugar a Jean Pierre no primeiro tempo, enquanto gaúchos criticam a não marcação de um pênalti em Sasha no começo do jogo.

Sugismundo Freud. Os velhos já foram jovens; os jovens chegarão à terceira idade?

Filho de peixe... Não basta ser pai, tem de participar: o rubro-negro Emerson 'Bitoca' que o diga! Kevin Sheik, o filho mais velho, é vascaíno doente e, dia sim e outro também, tira uma onda com a cara do pai. Repete o cântico que acompanha a torcida do Vasco nas vitórias sobre o Flamengo. Som na caixa: 'Mulambo me diz como se sente/Não ter estádio pra jogar/Ganhar somente no apito/E a mídia suja a te apoiar/Edmundo te humilhou/Pedrinho te calou/No Maraca sou o seu maior terror/7x0 já ganhei/Chocolate deu replay/E a favela se calou mais uma vez... ' Bullying?

Zé Corneta. Pois é, pau que bate em Chico também bate em Francisco. Mas só até a página três na imparcial mídia caolha. As cores do coração sempre impedem uma análise mais profunda e verdadeira dos fatos.

Bem, amiguinhos. O ‘professor' Jorginho já fez os cálculos: a nau vascaína vai precisar de apenas 30 pontos em 51 possíveis (17 jogos) para continuar navegando na elite da pátria das chuteiras furadas. O treinador passou outro recado aos atletas: nada de pensar em ganhar 10 jogos consecutivos porque é praticamente impossível. Para Jorginho, o importante é colecionar pontos, manter uma regularidade e voltar a vencer depois de sete partidas. Mais: balançar novamente a rede do adversário, o que não acontece há 540 minutos. Uma baba para Tom Cruise, o rei da missão impossível.

Dona Fifi. Nos últimos dias, Del Nero, o imperador ostentação, dorme tão ou mais tranquilo que uma coruja.

Bem, diabinhos. O Brasil olímpico caminha a passos largos de tartaruga para um grande sucesso no pódio da Rio-16. Depois dos incríveis resultados da natação, atletismo e judô nos Mundiais, a bola de cristal do COB (caixinha, obrigado Brasil) acendeu a luz amarela. A previsão de o país fechar a Olimpíada no top 10 já deixa o mandachuva e raios Carlos 'Rolando Lero' Nuzman, seus pares e ímpares de cabelo em pé. ‘Torna-se urgente uma rigorosa investigação sobre os rumos das verbas públicas para o esporte.
Quem será o 'juiz Sérgio Moro' nessa investigação milionária?', sugere o blogueiro José Cruz, do 'Uol'. #moroneles.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil'). Por não ter completado sete jogos pelo Vasco, Respeito deve jogar em outro time da Série A.

Gilete press. Do sambista Dudu Nobre, em entrevista à 'Sexy', sobre as festas que reúnem pagodeiros e boleiros: "Tem gente que pensa de uma forma errada. Na real, você chega lá e, claro, tem mulheres lindas, clima de azaração, mas não é uma coisa tipo... bacanal. Tem momentos que, às vezes, a coisa vai para esse lado, que perde o controle. Mas, em geral, é festa normal. Tem muita gente que não pode sair à noite porque o assédio é muito grande, entendeu? E, geralmente, todo mundo tem uma condição bacana, então tem boas bebidas, boa comida... Realmente tem meninas que te dão uma condição e, se você tem moral na casa, você tem uma suíte..." Bunga bunga.

Tititi d'Aline. A fuzarca está armada na seleção de Gana. Amanda, mulher de Afriyie Acquah (Torino), confessou que há quatro anos trai o marido com o atacante Jordan Ayew (Aston Villa). Ela contou ainda que dormiu mais com Jordan do que com o marido. E revelou que o amante é 'bem dotado', enquanto Acquah é 'impotente' e não pôde lhe dar filhos.

Você sabia que... Messi e Cristiano Ronaldo passaram em branco por duas rodadas seguidas do Espanhol pela primeira vez?

Bola de ouro. Dorival Júnior. O ‘professor' estava meio de escanteio, voltou a recuperou o Peixe.

Bola de latão. Judô brasileiro. Ippon no Mundial do Cazaquistão: apenas dois bronzes. Pior campanha desde 2009, quando não subiu ao pódio.

Bola de lixo. Vasco. Uma campanha sensacional no Brasileirão: mais derrotas (14) que pontos (13), invejável aproveitamento de 20,6%.

Bola sete. "As contratações foram malfeitas, o gerenciamento é muito ruim. Em relação à gestão, o Cruzeiro está 10 anos atrás do Atlético" (de Pedro Lourenço, dono da rede de supermercados BH, o novo e otimista patrocinador master da Raposa).

Dúvida pertinente. Corinthians e Galo, os únicos candidatos ao título do Brasileirão?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

mais postsLoading
Alertas
Não perca nada do que está acontecendo no mundo do esporte!Com o ESPN ALERTAS, você receberá notificações no seu navegador sobre as últimas notícias, eventos exclusivos e muito mais!