José Roberto Malia

José Roberto Malia

De tudo, um pouco. Sem aliviar, mas sempre informando. Pau é pedra, pedra é água e água é fogo

Palmeiras detona soberano Tricolor com show de bola e preciosa ajuda de Ceni e Toloi

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

O drama palmeirense acabou. Depois de oito derrotas e dois empates, o time finalmente voltou a ganhar um clássico. E com show de bola no soberano São Paulo: 3 a 0, gols de Robinho e Rafael Marques (2).

Com preciosa ajuda do artilheiro, líder, cartola e goleiro Rogério Ceni e do zagueiro Toloi, o Palmeiras simplesmente atropelou o Tricolor no Allianz Parque (25.804 pagantes), pela 12ª rodada do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago.

A casa tricolor começou a cair quando muitos torcedores ainda se acomodavam no estádio ou abriam um pacotinho de amendoim. Rogério Ceni devolveu mal, Robinho pegou e arriscou da intermediária. Caixa, e no ângulo. Golaço que merece placa e convite especial ao goleiro são-paulino para participar da festa como mestre de cerimônia.

Quatro minutos depois, mais precisamente aos 7, a implosão do São Paulo: o zagueiro Toloi revidou, infantilmente, uma cotovelada de Dudu 'Vintão' e foi expulso. Era tudo o que o Palmeiras queria para deitar e rolar.

Os periquitos em revista tomaram conta do jogo. E as coisas ficaram ainda mais fáceis após a entrada de Edson Silva no lugar de Pato. 'Muriçoca' Ramalho acertou ao recompor a zaga, mas errou ao sacar Pato. A melhor solução seria tirar Alan Kardec ou até Ganso, inútil desde o início do clássico.

Aos 23, o Palmeiras deu a extrema-unção: Rafael Marques dominou na grande área e chutou cruzado. Com dois gols de vantagem e um coirmão nocauteado, o time palmeirense foi para o intervalo com a certeza de que havia mostrado o futebol tão desejado pela torcida em outros jogos.

Na volta para o segundo tempo, o Palmeiras não deu chance para o São Paulo respirar e fechou o caixão aos 6: Rafael Marques recebeu do ‘vovô' Zé Roberto (joga muito!) e estufou a rede de Rogério Ceni.

Em êxtase com os 3 a 0, a torcida palmeirense passou a gritar ‘olé' pouco depois. Totalmente perdido, o indolente São Paulo só não levou uma surra histórica, principalmente depois que Michel Bastos também foi expulso aos 33, porque o Palmeiras abusou da preciosidade em vários lances.

Com mais seriedade em algumas jogadas, a equipe palmeirense poderia ter finalizado o primeiro baile no novo estádio com uma chuva de gols.
                                                        ############

Sugismundo Freud. O navio sempre afunda quando há muitos comandantes.

Bem, amiguinhos. Herói corintiano na vitória contra a Lusa, o garoto Malcom aguarda com muita expectativa a renovação de contrato. Atualmente, ganha R$ 9 mil por mês. O clube está disposto a pagar R$ 40 mil, mas os empresários do atacante sonham com pelo menos R$ 80 mil. O moleque já sabe o que vai fazer com o reforço de caixa: comprar uma casa para os pais. O Corinthians detém 30% dos direitos de Malcom.

Zé Corneta. A diferença entre a cartolagem brasileira e Judas é que o segundo se contentou com 30 dinheiros.

Bem, diabinhos. O ‘professor' Jorge Sampaoli encheu a bola dos médicos e fisioterapeutas do Palmeiras. O comandante da seleção chilena abriu o coração: só convocou Valdivia para dar uma força na recuperação do atleta, sem entrar em campo desde dezembro. O mago será apenas um torcedor nos amistosos contra o Irã e a amarelinha desbotada. E o Palmeiras, ó. Chama o Pateta!

Dona Fifi. O imortal Grêmio conseguiu importante reforço: o ex-zagueiro uruguaio Ancheta, 66 anos, ídolo do clube na década de 70, será consultor técnico de seleções da escolinha.

Brasil olímpico. A Rio-16 pegou no breu: nada menos que 41% dos brasileiros ainda não sabem que os Jogos serão na Cidade Maravilhosa das balas voadoras. Ou quatro em cada 10. A pesquisa é da agência ‘Hello Research', que ouviu mil pessoas em 71 municípios de todas as regiões do país. Dos entrevistados, 29% afirmaram não ter o menor interesse na disputa. Apenas 13% (a maioria da classe A) disseram estar ligadíssimos na Olimpíada. O esporte mais aguardado é o futebol (87%), enquanto o badminton foi apontado como o menos conhecido. O pódio é deles, o suor é nosso.

Caiu na rede. Fórmula 1, um circo sem graça.

Gilete press. Do 'professor' Diego Aguirre, do Saci colorado, ao 'Uol', sobre a importância dos gritos do treinador à beira do campo: "Não acredito em teatro, mas no dia a dia, no preparo prévio. Os jogadores quase nem escutam o que você fala, então gritar e fazer gestos não adianta. Eu fui jogador, você vê que ele está falando, mas não presta atenção. Prefiro trabalhar na semana e ter o jogador comprometido. Você ganha o jogo no dia a dia, não no dia da partida." Fulminante.

Twitface. E o xerife Lugano, hein? Aos 34 anos, e sem jogar desde maio de 2014, o uruguaio deve acertar com o poderoso Hacken, da Suécia. Será seu oitavo clube.

Tititi d'Aline. Depois que começou a namorar o atacante Pato, a modelo Fiorella Mattheis reforçou substancialmente o café no bule. O cachê da moça como garota-propaganda pulou para R$ 100 mil. Ela é a estrela de 10 campanhas, de sabonete a roupas de grife. Fiorella, 27 anos, também participa da série 'Vai que Cola', do Multishow. Pato e Fiorella estão tão ligados que já chamam o casal de 'Patorella'.

Você sabia que... galês Gareth Bale, do Real Madrid, é o jogador mais veloz do mundo com a bola nos pés, atingindo 36,9 km/h?

Rádio vestiário. Entrou areia num acordo do Peixe com uma empresa. O clube vendeu três mandos de campo, mas a torcida deu o cano no Pacaembu e em Rio Preto. Resultado: até agora a empresa conta o prejuízo.

Bola de ouro. Flamengo. Fechou parceria com o Comitê Olímpico dos EUA. Receberá os atletas no ninho do Urubu ao longo da Rio-16. Os americanos usarão o clube como CT. Em troca, investirão pesado na reforma da infraestrutura e deixarão um legado de Primeiro Mundo.

Bola de latão. Peixe. Acumula gloriosa lista de credores. Entre eles, o jovem atacante Neilton, que está na Raposa. Uma dívida astronômica de... R$ 1 mil. Quanto a Robinho, a situação é bem mais tranquila. O Santos deve apenas R$ 7 milhões.

Bola de lixo. Futebol paulista. Enquanto rubro-negros e vascaínos dividem o ‘new Maraca' no Clássico dos Milhões, cresce em São Paulo a ameaça de torcida única nos grandes jogos. Uma vergonha, a falência do Estado. Palmeiras apoia.

Bola sete. "Se eu fosse o Muricy, deixaria o São Paulo por causa do desgaste. Iria descansar com a família, aproveitar a vida" (do ex-centroavante Luizão, no ‘Bate-Bola' da ESPN - bom conselho?).

Dúvida pertinente. ‘Muriçoca' Ramalho: o fim da linha se aproxima no Morumbi?

O que você achou?

jose.r.malia@espn.com

 

Choque-Rei: soberano São Paulo dá goleada no Palmeiras nos últimos 50 jogos

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

O ‘professor' Oswaldo de Oliveira está coberto de razão ao afirmar que ‘ninguém vai morrer' se o Palmeiras continuar ‘virgem' nos clássicos contra os principais coirmãos paulistas (oito derrotas e dois empates).

A história mostra que, nos últimos 15 anos, os periquitos em revista voaram muito mais no vácuo da decepção quando cruzou com um amigo de fé e nada camarada.

O time conseguiu somente 36 vitórias em 135 embates contra Corinthians, Peixe e soberano São Paulo, menos de 27% de aproveitamento.

Nesse período, o desempenho no Choque-Rei indica uma bela freguesia. Em 50 confrontos, o Palmeiras obteve 11 triunfos, contra 23 chicotadas do Tricolor. Aconteceram 16 empates.

O clube pagou o último bicho por uma vitória sobre os são-paulinos no Paulistinha de 2014: 2 a 0, no Pacaembu.

Mas (e sempre tem um mas em qualquer retrospecto que se preze), o torcedor palmeirense pode encher o peito de esperança: em 39 jogos como anfitrião no velho Palestra, o time saboreou 17 triunfos e 11 empates. Perdeu 11 jogos. O derradeiro duelo aconteceu em 21 de fevereiro de 2010: 2 a 0, gols de Robert.

Por falar no Choque-Rei... O São Paulo tem um motivo a mais para chinelar o Palmeiras, além de vencer o primeiro clássico na temporada (levou duas buchas do Corinthians e empatou com o Peixe).

O Tricolor lutará pela quina, a quinta vitória consecutiva. Desde outubro de 2013, o time não emplaca cinco resultados positivos.

Há um ano em meio, encaçapou Náutico (3 a 0), Bahia (1 a 0), Universidad Católica (4 a 3), Saci colorado (3 a 2) e Atlético Nacional (3 a 2). E completou a sena ao superar a Lusa (2 a 1). Agora, fuzilou São Bento (1 a 0), Ponte (2 a 1 ), San Lorenzo (1 a 0 ) e Marília (3 a 0 ).
                                                                   ############
Malcom detona 1. O atacante Malcom, 18 anos, foi o destaque da vitória dos reservas do Corinthians sobre a Lusa, em jogo adiado do Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. O garoto marcou os dois gols no Itaquerão, minha casa minha vida, e garantiu a classificação da equipe para as quartas de final. O time chegou a 29 pontos no grupo 2 e, ao lado do Peixe, tem a melhor campanha do campeonato. De quebra, ajudou o coirmão Palmeiras, que não pode mais ser alcançado pela Lusa no grupo 3 e também está garantido na próxima fase.

Malcom detona 2. O Corinthians dominou a partida (25.050 torcedores) e só não emplacou uma goleada porque Rafael, goleiro revelado no terrão corintiano, pegou muito. Além de Malcom, Danilo e Vagner Love também se destacaram. Depois de vencer Capivariano e Lusa, o Corinthians prossegue a maratona nesta quinta, contra a Penapolense. No domingo, a equipe encara o Bragantino. Com a vitória, o Corinthians atingiu 26 jogos sem derrota em casa e igualou a marca obtida no Pacaembu, entre 2008/09. A maior sequência, porém, é no Parque São Jorge, com 49 partidas.

Sugismundo Freud. Não se esculpe em madeira podre.

Brasil olímpico. O prefeito Eduardo Paes é merecedor de crédito, e muito mais. Enquadra-se no seleto rol dos políticos que prometem e... viram Pinóquio. Em várias reuniões com moradores da Vila Autódromo, o impoluto alcaide jurou que só deixaria o local, em razão das obras da Rio-16, quem quisesse. Em troca, receberia apartamento ou indenização. Não deu outra: o querido burgomestre decidiu desapropriar, com urgência e sem acordo, 58 imóveis da Vila Autódromo. Eles foram declarados de "utilidade pública". E estamos conversados. O pódio é deles, o suor é nosso.

Zé Corneta. Faltam 500 dias para a Olimpíada: um ótimo negócio para poucos, um pesadelo para milhões.

Bem, amiguinhos. Os representantes de Ricardo Oliveira colocaram as cartas na mesa: o atacante se sentiria extremamente recompensado se o salário para a xepa pulasse de R$ 40 mil para R$ 300 mil mensais. Loucura? Nem tanto: Leandro Damião consumia R$ 650 mil, mais um reforço de R$ 50 mil para cobrir o aluguel de um apartamento, antes de ser emprestado à Raposa.

Dona Fifi. Com medo da dengue, repelente virou desodorante no soberano São Paulo, mas nem assim o médico José Sanchez escapou da picada maldita.

Bem, diabinhos. O clássico 'dançando na chuva' rendeu poucos pingos aos cofres da samaritana diabólica federação carioca. Dona de uma seleção de craques absolutamente inúteis, a Ferj beliscou a mixaria de R$ 248 mil. Flamengo e Vasco, os verdadeiros donos da bola, embolsaram R$ 568 mil, cada um. Já o Consórcio Maracanã papou algo em torno de R$ 745 mil.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil'). Roberto Bolaños ainda gravava o Chaves na última vez que o Vasco venceu o Flamengo.

Gilete press. De Cleo Guimarães, no ‘Globo': "Flamenguista fanático, o publicitário Paulo Brocá negocia com o clube a instalação, na Gávea, de uma estátua que reproduz a torcedora gostosona criada pelo cartunista Lan. Em tamanho natural, com 1,80m, ela está sendo esculpida por Marcos Salles e ficaria no hall de entrada do Flamengo, pertinho do monumento ao ídolo maior do time: Zico." Casal 20.

De chaleira. Mais um capítulo na lua de mel entre Leandro Damião e Peixe: o agente do atleta, Vinicius Prates, entrou com uma ação contra o clube e conseguiu bloquear R$ 2,5 milhões. Alegação: calote no pagamento de comissões.

Tititi d'Aline. A novela terminou: Guilherme acertou a renovação com o Galo até dezembro. Deverá receber R$ 250 mil mensais. Ele disputou 130 jogos (65 vitórias, 34 empates e 31 derrotas) com a camisa do clube. Marcou 26 gols. Em quatro anos, sofreu 15 lesões e curtiu 460 dias de chinelinho. Negócio da China?

Você sabia que... os ‘professores' mais bem pagos do mundo são José Mourinho (R$ 61,4 milhões/ano), Carlo Ancelotti (R$ 53 mi) e Guardiola (R$ 52 mi)?

Rádio vestiário. Alguns jogadores do Botafogo já torcem o nariz para o atacante Jobson. Acham que o companheiro começou a trocar a humildade pelo salto alto após os elogios da mídia.

Bola de ouro. Neymar. O garoto faturou R$ 124,6 milhões no ano passado. Ficou atrás do hermano Messi (R$ 221 mi) e do gajo Cristiano Ronaldo (R$ 184 mi). Thiago Silva aparece em quarto no ranking da revista ‘France Football', com R$ 92 mi.

Bola de latão. 'New Maraca'. A pérola da 'Copa das Copas' lembrou uma grande peneira em várias partes da arquibancada durante o aguaceiro de domingo. Choveu goteira por todos os lados no estádio de R$ 1,5 bilhão.

Bola de lixo. Futsal. O esporte vive ótimos momentos longe da quadra. De um lado, a cartolagem, apoiando a eleição de Marcos Antonio Madeira ao trono da confederação; de outro, os jogadores, sob a liderança de Falcão, prometendo largar a seleção se o presidente da federação mineira for escolhido no dia 31.

Bola sete. "A pressão será grande, mas espero que os atletas não imitem o futebol e chorem na hora do hino, deixando escapar o fogo que você tem de manter e usar no momento certo. O campeão olímpico precisa ter controle das emoções" (do medalhista dourado Joaquim Cruz, sobre a participação dos brasileiros na Rio/16 - no alvo).

Dúvida pertinente. Rio-16, R$ 37,7 bilhões: vale a pena?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Facada no bolso do torcedor e tabu desafiam o Palmeiras no Choque-Rei

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

'Paulo Nobre, você acha que todo torcedor é rico como você?'

Os salgados elogios de um torcedor na rede social têm uma explicação. O Palmeiras reajustou o preço do ingresso para o clássico contra o soberano Tricolor, nesta quarta, no Allianz Parque. A entrada mais barata custará módicos R$ 100.

Já o são-paulino morrerá com R$ 200 se quiser curtir o Choque-Rei. Uma facada, na opinião de um conselheiro do Morumbi. Justifica: o Palmeiras deveria é baixar o preço, porque não ganha clássico.

Fato: o último triunfo aconteceu em 2 de fevereiro de 2014, e foi justamente contra o próprio São Paulo - 2 a 0, gols de Valdivia e Alan Kardec (hoje inimigo). É a única vitória em clássicos de Nobre desde que sentou no trono dos periquitos em revista.

O poderoso chefão tem no currículo oito derrotas e seis empates, com aproveitamento de 20%. O time, por sua vez, acumula oito chicotadas e dois pra lá, dois pra cá nos últimos 10 embates.

Um tabu que o 'professor' Oswaldo de Oliveira tenta minimizar: 'Ninguém vai morrer se o time não ganhar'. Mas certamente deixará a torcida ainda mais irritada.

Pois, além de pagar ingresso mais caro, terá de conviver com os agradáveis incentivos dos coirmãos são-paulinos, corintianos e santistas. Apesar do aumento, Nobre aposta em casa cheia. A bilheteria do Choque-Rei:

Cadeira Gol Norte (Verde) - R$ 100 (R$ 50 meia-entrada)
Cadeira Superior (Laranja/Verde) - R$ 150 (R$ 75)
Cadeira Gol Sul (Branco) - R$ 200 (R$ 100)
Cadeira Central Oeste (Vermelho) - R$ 300 (R$150)
Cadeira Central Leste (Azul) - R$ 250 (R$ 125)
Cadeira Visitante (Amarelo) - R$ 200 (R$ 100)

PS: o Tricolor também não pode cantar de galo. Neste ano, ainda corre atrás de uma vitória em clássico. Perdeu duas vezes para o Corinthians, uma delas pela Libertadores, e ficou num ‘oxo' pior que sopa de chuchu contra o Peixe.
                                                          ############
Touro maldito 1. Bingo: Cristóvão Borges não resistiu e caiu do touro mecânico das Laranjeiras. Ele foi convidado a visitar o RH depois de 58 jogos. Substituiu Renato Gaúcho, em abril de 2014, e colecionou 28 vitórias, 11 empates e 19 derrotas, além de saudosas eliminações na Copa do Brasil, para o América de Natal, e na Sul-americana, diante do Goiás. Pela sexta vez nos últimos 10 anos, o Fluminense manda passear um ‘professor' que começou a disputa do Carioquinha. Em 2011, trocou o comando porque ‘Muriçoca' Ramalho pediu demissão. O sambalelê: 2015 - Cristóvão; 2014 - Renato Gaúcho; 2010 - Cuca; 2009 - René Simões; 2007 - PC Gusmão; 2006 - Ivo Wortmann.

Touro maldito 2. Pouco depois de anunciar o chega pra lá em Cristóvão Borges, a cartolagem do Fluminense informou que deve fechar com Ricardo Drubscky, 55 anos. O 'professor' conta com um cabo eleitoral de peso nas Laranjeiras: Fred ‘Slater'. O centroavante e o treinador têm o mesmo empresário. Drubscky iniciou o ano no comando do Vitória. Ficou menos de três meses. No time baiano, obteve sete triunfos, quatro empates e duas derrotas. Ano passado, livrou o Goiás do rebaixamento no Brasileirão. Ele deve ser o 26º ‘professor' do Fluminense desde 2003. O troca-troca:

2003: Renato Gaúcho, Joel Santana e Renato Gaúcho
2004: Valdir Espinosa, Ricardo Gomes e Alexandre Gama
2005: Abel Braga
2006: Wortmann, Paulo Campos, Oswaldo de Oliveira, Antônio Lopes e PC Gusmão
2007: PC Gusmão, Joel Santana e Renato Gaúcho
2008: Renato Gaúcho, Cuca e René Simões
2009: René Simões, Parreira, Renato Gaúcho e Cuca
2010: Cuca e ‘Muriçoca' Ramalho
2011: ‘Muriçoca' Ramalho e Abel Braga
2012: Abel Braga
2013: Abel Braga, Vanderlei Luxemburgo e Dorival Júnior
2014: Renato Gaúcho e Cristóvão Borges
2015: Cristóvão Borges e Ricardo Drubscky?

Sugismundo Freud. Todo homem tem seu preço. E tem um monte em promoção!

Bem, amiguinhos. O boa-praça Abel Braga está mais ligado do que nunca na pátria das chuteiras furadas. Feliz como barata em galinheiro, o 'professor' não pensa duas vezes para pegar o controle remoto e trocar o futebolzinho medíocre dos estaduais por um filme. É certeza de goleada em emoções. Abelão acredita que o esporte nunca esteve tão carente de qualidade técnica. É vero.

Zé Corneta. O Carioquinha está tão chinfrim que até São Pedro protestou durante o clássico.

Bem, diabinhos. A chapa financeira do imortal Grêmio esquentou ainda mais: terá de pagar R$ 1 milhão ao meia Souza, 36 anos, em direitos de arena. Não cabe recurso. O ex-jogador do São Paulo e Fluminense defendeu o clube gaúcho entre 2008/10.

Dona Fifi. De braçada em braçada, o Corinthians nada em direção ao fundo do poço: dívida cresce R$ 10 milhões ao mês.

Zapping. O desinteressante Capivariano x Corinthians rendeu 16 pontos ao ibope da plim-plim na grande Pauliceia entregue ao deus-dará. Uma semana atrás, Ponte x São Paulo obteve 15 pontos. A Band faturou quatro com a vitória corintiana. Na Cidade Maravilhosa das balas voadoras, Cabofriense x Botafogo cravou 18 (dois na emissora paulista). Cada ponto em SP equivale a 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil.

Caiu na rede. Vasco, dançando na chuva.

Gilete press. Do goleiro Júlio César, 35 anos, a Luiz Felipe Castro, em 'Veja': "Acho que meu tempo na seleção não acabou. Estou no Benfica, um time que briga por títulos, é respeitado no mundo inteiro e me dá condições de sonhar com isso. Em Portugal reencontrei minha autoestima, a alegria de jogar. Hoje me sinto até mais goleiro, mais experiente, com um conhecimento de jogo melhor. Meus reflexos estão superapurados." Sem chance?

Tititi d'Aline. Um dos principais técnicos do vôlei mundial e ex-presidente do Botafogo carioca, Bebeto de Freitas pretende lançar a autobiografia ainda este ano. O livro (BB Editora) promete balançar as estruturas do esporte nacional. Bebeto conhece como poucos o que ocorre nos bastidores.

Você sabia que... Roger Federer e Novak Djokovic já se enfrentaram 38 vezes, com 20 vitórias do suíço e 18 do sérvio?

Rádio vestiário. Ganso deixou de nadar belo e formoso na lagoa do soberano São Paulo. Se não reagir rapidamente, pode morrer afogado no banco. O meia anda mais desligado que ar-condicionado em iglu.

Bola de ouro. Novak Djokovic. O sérvio chegou a 50 títulos na carreira, o 21º de Masters, ao vencer Roger Federer na final de Indian Wells.

Bola de latão. Estaduais. Um tsunami de emoções: no fim de semana, os pequenos ganharam apenas um ponto em jogos do Paulistinha, Carioquinha, Mineirinho e Gauchinho. A façanha coube ao Tigres, que mordeu um empate contra o Fluminense.

Bola de lixo. Cartolas do Barcelona. O Ministério Público da Espanha pediu dois anos e três meses de prisão para o presidente Josep Maria Bartomeu e sete anos para seu antecessor, Sandro Rossell, por crimes fiscais na contratação de Neymar. Segundo as investigações, o clube catalão gastou 83,3 milhões de euros (R$ 288 milhões) para comprar o brasileiro, e não 57 milhões de euros (R$ 200 milhões) como revelou.

Bola sete. "Não existe conversa com outro clube, a preferência é o Santos. Confio no meu taco, se for proposto [a produtividade] e eu achar que é bom, não terá problema" (de Ricardo Oliveira, sobre a renovação de contrato - a conferir).

Dúvida pertinente. O que é melhor na quinta: um happy hour ou França x Brasil?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Corinthians, na lama, e soberano Tricolor, na chuva, vencem: êta Paulistinha emocionante!

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

O Paulistinha segue mais encantador que um banquete a dois com Freddy Kruger ou Gremlina. A festa do interior continua mais quente que banho de mar no Polo Sul. Que o digam Corinthians e soberano São Paulo!

No pasto do estádio de Capivari, a equipe corintiana, em um alucinante ritmo de bicho preguiça com sono, bateu o Capivariano por 3 a 2. Soma agora oito vitórias e dois empates no grupo 2. Lidera com 26 pontos, cinco a mais que a Macaca (tem um jogo a mais).

Se forçasse o dois pra lá, dois pra cá, o Corinthians poderia ter conquistado um placar dilatado, já que atuou com um jogador a mais desde os 24 minutos do primeiro tempo (o goleiro Douglas foi expulso).

Tanto que abriu dois gols de vantagem (Emerson ‘Bitoca' e Guerrero) após o Capivariano ficar com 10. Mas optou por puxar o freio de mão e ficar enrolando com toques inúteis, preocupado em não se desgastar, pois terá uma maratona de jogos pela frente - Lusa na terça, Penapolense na quinta e Bragantino no domingo.

Resultado: o Capivariano diminuiu com Kleiton Domingues no segundo tempo. Pouco depois, Jadson serviu Guerrero de bandeja e o peruano guardou.

Na bacia das almas, a defesa corintiana caçou borboleta num cruzamento e o zagueiro Fernando Lombardi conferiu de cabeça, dando números finais a um jogo em que o Corinthians teve 73% de posse de bola, trocou 349 passes certos (contra 95 do coirmão) e pela primeira vez no ano tomou dois gols.

No Morumbi, com extraordinário público de 7.846 pagantes, graças a uma promoção de ingressos, os reservas do São Paulo sofreram mais que joelho de freira em Semana Santa para aguentar a chuva, já que o inimigo não ofereceu perigo: 3 a 0 no Marília, o pior time do campeonato (nenhuma vitória em 11 jornadas).

Ewandro e Alan Kardec (2) correram para o abraço no quarto triunfo consecutivo da equipe de ‘Muriçoca' Ramalho - até agora, não havia faturado quatro jogos seguidos. O São Paulo comanda o grupo 1, com 26 pontos, nove à frente do Mogi Mirim.

O time precisou de apenas 15 minutos para colocar o Marília no saco, marcando com Ewandro, num chute de fora da área, e Alan Kardec, que driblou o goleiro e encaçapou.

No segundo tempo, o São Paulo relaxou, mas mesmo bocejando em campo chegou ao terceiro gol: o zagueiro Tiago Gomes invadiu a área e rolou para Alan Kardec concluir.

Em São Bernardo, no encerramento da jornada (jogo às 19h30 de domingo é de lascar), o Palmeiras bateu o São Bernardo.

O único gol aconteceu aos 9 do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou na entrada da área e o zagueiro Vitor Hugo, de bike, garantiu os três pontos: "Tentei fazer isso no último treino e nem acertei a bola. Aqui, dei sorte."

O time da casa deu muito trabalho ao Palmeiras, que pecou mais uma vez pela falta de objetividade e competência para furar o bloqueio adversário. O Palmeiras lidera o Grupo 3, com 24 pontos. Na quarta, receberá o São Paulo e lutará contra um tabu: não vence um clássico desde fevereiro de 2014, quando derrotou justamente o Tricolor, por 2 a 0. Acumula dois empates e oito derrotas.

                                                                  ############

Caixinha, obrigado. O bicho vai pegar. A construtora alemã Bilfinger SE apura denúncias de que o gato miou em cidades que receberam jogos da Copa. Empregados da empresa no Brasil teriam subornado funcionários públicos e estatais. De acordo com a construtora, as suspeitas já foram 'fundamentadas'. Elas estão relacionadas a monitores de segurança instalados em vários municípios e envolveriam um miado de seis milhões de euros (R$ 21,6 mi). Mais uma missão para o indefectível agente Kirobo.

Sugismundo Freud (by Millôr Fernandes). Brasil, o país do faturo.

Bem, amiguinhos. Aprovado no teste 'se não tem tu, vai tu mesmo' (seis gols em 11 jogos), o atacante Ricardo Oliveira receberá uma proposta de até R$ 150 mil mensais para renovar contrato com o Peixe por mais um ano. O acordo atual (R$ 40 mil) vence no final do Paulistinha.

Zé Corneta. Uma brilhante equação: Valdivia + 20 jogos disputados em 60 + R$ 6 milhões em uma temporada = R$ 300 mil por partida. Um mago.

Bem, diabinhos. Capitão e artilheiro do Fluminense, Fred 'Slater' está cheio de moral com a torcida. De volta ao time, pediu apoio contra o Tigres, e pimba na caxirola: nada menos que 6.789 testemunhas compareceram ao 'new Maraca', vaiaram o time e pediram a cabeça do 'professor' Cristóvão Borges.

Dona Fifi. Cristóvão Borges balança mais no Fluminense que touro mecânico em parque de diversão.

Gilete press. Do pitbull Romário, à revista 'Placar': "Eu decidi ser candidato a senador porque vi que o quadro do Rio só tinha ladrão, corrupto, nego metido em merda, quase na cadeia. Fui eleito com o maior número de votos da história do estado [4,6 milhões]. Nada mais me credencia para ser o próximo prefeito do Rio (...) Achava que política era só ladrão e sacanagem. E acertei." Na mosca.

Caiu na rede. Da mãe de um torcedor do Vitória após a eliminação do time do campeonato: ‘Venha chorar no Colo Colo da mamãe'.

Tititi d'Aline. Uma das novidades da convocação de Antonio Conte para a Azzurra, o brasileiro naturalizado Éder, da Sampdoria, começou a conquistar a Velha Bota em 2005, quando trocou o Criciúma pelo Empoli. Depois, o atacante de 28 anos passou por Brescia e Cesena, aterrissando na Sampdoria em 2012. Bombou: na última temporada, marcou 12 gols; nesta, já guardou oito em 26 jogos. Éder chegou a figurar numa lista de 40 nomes para a seleção brasileira que disputou a Olimpíada de 2008.

Você sabia que... Ibrahimovic é o terceiro maior artilheiro do Paris Saint-Germain, com 99 gols, atrás de Pauleta (109) e Rocheteau (100)?

Rádio vestiário. Clubes agem nos subterrâneos da bola para as bebidas alcoólicas voltarem a ser vendidas nos estádios. Alegam que perdem uma boa receita para o pessoal das barracas que fica nos arredores das praças esportivas.

Bola de ouro. Rubro-negros/vascaínos. Um espetáculo no ‘new Maraca': 56.020 torcedores no Clássico dos Milhões, recorde de público no Brasil em 2015. A festa maior foi do Flamengo: 2 a 1, e 10 jogos sem derrota para o coirmão Vasco.

Bola de latão. Gerrard. Uma despedida inesquecível no último clássico contra o Manchester United. O ídolo do Liverpool, que vai jogar nos EUA na próxima temporada, entrou no segundo tempo e foi expulso 42 segundos depois.

Bola de lixo. Fluminense. A cada rodada, vai se complicando no poderoso Carioquinha e corre risco de ficar fora das semifinais. A mordida do Tigres no último jogo deve esquentar o ambiente nas Laranjeiras.

Bola sete. "Não estamos milionários, mas passamos a andar com as próprias pernas, com mais poder de fogo para competir com outros clubes grandes" (do nobre presidente Paulo Nobre, sobre a virada palmeirense - é vero).

Dúvida pertinente. Paulistinha, uma tortura para Peixe, Corinthians, Palmeiras e soberano Tricolor?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

'Matador' de R$ 40 mil garante sétima vitória seguida do Peixe com um golaço

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Com um gol de placa do ‘matador vovô' Ricardo Oliveira, 34 anos, o Peixe superou o Audax, na casa alugada do Pacaembu (9.223 pagantes), e chegou à sétima vitória consecutiva.

O time está invicto no Paulistinha, a pré-temporada com ingresso pago. Após 11 rodadas, acumula 29 pontos no grupo 4, melhor campanha do campeonato.
Tem somente 17 a mais que Capivariano e Penapolense.

A vitória santista poderia ter sido bem mais fácil. O time deu um passeio no Audax no primeiro tempo. Dominou o tico-tico sem fubá da equipe de Osasco, criou inúmeras oportunidades e até perdeu um pênalti (Geuvânio bateu e Felipe Alves defendeu). Mas ficou no 1 a 0, golaço de Ricardo Oliveira, aos 18.

O centroavante de R$ 40 mil mensais recebeu ótimo lançamento de Cicinho, deu um chapéu no goleiro e tocou de cabeça para as redes.

Recordar é viver: na última rodada, Felipe Alves havia se consagrado por ter aplicado um chapéu no atacante Ricardinho, do Ituano: "Faz parte do futebol. Parabéns ao Ricardo Oliveira. Foi um golaço."

Sem a mesma pegada da etapa inicial, o Peixe permitiu ao Audax mais ousadia no segundo tempo. Aos 9, poderia ter sofrido o empate, porém sua senhoria, o assoprador de apito José Cláudio Rocha Filho, ignorou um pênalti de David Braz em Camacho.

A equipe de Osasco cresceu em campo e passou a pressionar o Santos, que só não tomou o gol graças ao goleiro Vanderlei. Irritada, a torcida santista começou a vaiar o time e a pedir Gabigol no lugar de Geuvânio.

A troca aconteceu aos 28. E o Peixe equilibrou as ações. Nove minutos depois, o ‘professor' Marcelo Fernandes tratou de fechar a porteira. Sacou Ricardo Oliveira (muito aplaudido) e colocou Elano, adiantando Robinho, que perdeu um gol incrível na bacia das almas: parou no goleiro Felipe Alves.
                                                              ############
Zé Corneta. Ganso, o Bellucci das chuteiras: quando se pensa que vai, não vai.

Bem, amiguinhos. Conselho Fiscal do Fluminense anda com um pequeno rinoceronte atrás da orelha. Ao longo do casamento com a Unimed, o clube nunca pagou um centavo de comissão sobre os acertos com a empresa, mas no contrato de patrocínio da Viton, uma firma beliscou uma grana. Detalhe: ela foi criada após a assinatura do acordo entre o Fluminense e a Viton.

Sugismundo Freud. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça, porque não tem solução.

Bem, diabinhos. Saúde na Cidade Maravilhosa das balas voadoras à beira da falência, com a secretaria estadual devendo mais de R$ 1 bilhão, além de pacientes espalhados pelos corredores dos hospitais sem atendimento; obras olímpicas seguem firmes e fortes, devorando mais de R$ 38 bilhões. Não precisar explicar, vovó Mafalda só queria entender.

Caiu na rede (by ‘Olé do Brasil'). São Paulo solta nota informando que o clube não foi punido e que a torcida pode ir ao estádio.

Gilete press. Da modelo Celina Locks, 24 anos, namorada do fofo Ronaldo, 38, à revista 'Marie Claire': "Assim como eu entendo as relações dele no passado, ele entende as minhas. O passado ficou pra trás. O importante é que a gente está muito feliz e se curtindo. Estamos superbem, temos uma conexão muito forte e a idade não atrapalha. A química do casal é o que mais interessa." O amor é cego.

Dona Fifi. O ministério do Esporte decidiu investir R$ 10 milhões na reforma do ginásio Mineirinho (modernização do teto, impermeabilização do telhado, reforma das pilastras e sistema de captação de água da chuva).

Tititi d'Aline. O atacante Leandro Damião sorri à toa. Em nove jogos com a camisa da Raposa, marcou sete gols - seis no Mineirinho e um na Libertadores. Autor do gol que abriu o caminho da vitória sobre o venezuelano Mineros, o atacante coleciona 12 em 22 jogos pelo torneio continental. Ele não corria para o abraço desde 11 de maio de 2012, na derrota do Saci colorado para o Fluminense nas oitavas de final.

Você sabia que... o capitão gancho Eu-rico Miranda ganhou 13 jogos, perdeu 13 e empatou sete como comandante da nau vascaína em confrontos contra o coirmão Flamengo?

Rádio vestiário. O imortal Grêmio mandou um recado ao Galo: recorrerá à mamãe Fifa se o clube mineiro continuar enrolando e não pagar uma dívida de 1,5 milhão de euros, relativa à transferência de ‘são Victor'.

Bola de ouro. Steve Nash. Aos 41 anos, o canadense anunciou a aposentadoria. Ele coloca ponto final numa carreira com 10.335 assistências, terceira maior marca da história da NBA. Também acumulou os prêmios de MVP da Liga em 2005 e 2006, mas nunca foi campeão. Em 18 temporadas na NBA, Nash defendeu o Phoenix Suns, Dallas Mavericks e Los Angeles Lakers. O armador não joga pelos Lakers há mais de um ano devido a lesões.

Bola de latão. Ilídio Lico. Depois de bagunçar a casa portuguesa, levando-a ao caos, o cartola renunciou ao trono da Lusa. Canindé, uma terra arrasada.

Bola de lixo. Edson A. do Nascimento. Dono dos direitos de Pelé, o empresário liberou o ‘rei' para apoiar a reeleição de Joseph Blatter. Acha que o cartola de 79 anos merece um quinto mandato na Fifa porque ainda pode oferecer muito pelo esporte.

Bola sete. "O companheiro Blatter merece continuar. Tem feito excelente trabalho na Fifa. Não existe necessidade de mudança" (de Marco Polo Del Nero, presidente eleito do Circo Brasileiro de Futebol, sobre o amigo de fé Joseph Blatter, acusado de abafar escândalos de corrupção na ‘casa do futebol').

Dúvida pertinente. O ‘professor' Tite já não anda falando pelos cotovelos?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

mais postsLoading
Publicidade