José Roberto Malia

José Roberto Malia

De tudo, um pouco. Sem aliviar, mas sempre informando. Pau é pedra, pedra é água e água é fogo

Flamengo adota sensatez e mantém Cristóvão: sem limão não se faz caipirinha

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Os números não são nada animadores: em oito jogos, cinco derrotas, entre elas os clássicos contra os coirmãos Vasco x Fluminense, e três vitórias. Na tabela, o Flamengo só aparece na segunda página, mais precisamente na 15ª colocação, flertando docemente com a zona do agrião queimado. Na casamata do Urubu, 40 dias.

Fora de campo, a sensatez: Cristóvão Borges continua no comando da equipe. Promessa do mandachuva e raios Eduardo Bandeira de Mello. Não se faz omelete sem ovos nem caipirinha sem limão.

Só agora o time vai ganhar mais qualidade, com a chegada do atacante peruano Guerrero. Mesmo assim, é muito pouco. Uma andorinha só não faz verão.

Certamente a equipe conseguirá sair do sufoco, subir na classificação, mas a torcida não pode se iludir, sonhar com uma briga pelo título brasileiro.

Deve agradecer a São Judas Tadeu, o padroeiro do clube, e ao baixo nível técnico do campeonato se o Flamengo conseguir lutar por uma vaga na Libertadores.

Ela ficaria mais fácil se o volante Elias retornasse ao ninho do Urubu, mas a transferência é muito difícil, quase impossível, de acordo com Bandeira: o jogador pretende permanecer no Corinthians.

Uma vez Flamengo... De caldeirão a chaleira meia boca, o 'new Maraca' deixou de ser um grande aliado do Rubro-negro no Brasileirão. Em cinco jogos, o Urubu foi abatido em três. Apanhou de Figueira, Galo e Fluminense. Só conseguiu festejar uma vitória, 1 a 0 na Chapecoense. Empatou com o Sport.
                                                                 ############
Zé Corneta. Conselho Estratégico de Desenvolvimento do Circo Brasileiro de Futebol: a gente somos inútil.

Homem de visão. O gerente palmeirense Alexandre Mattos é um exímio negociante. O meia Ryder, 22 anos, anunciado como ‘reforço de peso' para a temporada 2015, já está de malas prontas para voltar à Fiorentina. Ele disputou nada menos que três jogos pelo Palmeiras. Ryder será o segundo dos 24 contratados por Mattos a deixar o ninho dos periquitos em revista sem cumprir o acordo até o fim. O primeiro foi Alan Patrick, liberado para o Flamengo.

Sugismundo Freud. Pobre só conhece castigo na Justiça.

Zapping. O nada empolgante ‘oxo' entre Goiás e Corinthians cravou 18 pontos no ibope da plim-plim na grande Pauliceia refém da bandidagem. Na quarta, quando a audiência costuma ser bem melhor, Furacão x São Paulo obteve 19. Há uma semana, Tricolor x Palmeiras rendeu 16 pontos. A Band obteve quatro com o jogo do Corinthians. Na Cidade Maravilhosa das balas uivantes, São Paulo x Fluminense amealhou16 pontos ao ibope global, e dois à emissora paulista. Já o GP da Inglaterra rendeu 10. Cada ponto em SP equivale a 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil

Caiu na rede. Soberano São Paulo: 11 em campo à espera de um milagre.

Bem, amiguinhos. Dono do melhor ataque do Brasileirão, com 24 gols, o Galo foi bicando o prato de arroz tropeiro pelas beiradas e assumiu a ponta do campeonato. Ao dar uma bela rasteira no Saci colorado, a equipe do competente 'professor' Levir Culpi obteve a quarta vitória consecutiva. O time mineiro volta a comandar a tabela depois de 103 rodadas. A última vez havia sido na 21ª jornada do campeonato de 2012.

Twitface. O eterno Galinho Zico tem circulado pelo Rio com um 'Pois É' de R$ 400 mil: Land Rover de cair o queixo até dos vascaínos.

Bem, diabinhos. O pontapé inicial da revolução da pátria das chuteiras furadas, idealizada pelo Circo Brasileiro de Futebol, foi dos mais supimpas. O encontro reuniu Zagallo, Parreira, Lazaroni, Carlos Alberto Silva, Candinho, Falcão e Ernesto Paulo, mais o ‘mestre' Dunga e o senhor dos anéis Gilmar Rinaldi. Está certo Levir Culpi. Se os caras não conseguem padronizar as dimensões dos campos, o que fazer na casa maldita do ludopédio?

Dona Fifi. O cerco aperta: o carismático imperador ostentação Del Nero está sendo investigado pelo FBI. O gato teria miado em contratos comerciais.

No vermelho. Pelo jeito, a Arena Pantanal também é um ótimo caminho para grandes negócios, além de desfilar garbosamente como um dos principais ‘elefantes brancos' da ‘Copa das Copas'. A Macaca ganhou R$ 1 milhão para levar o jogo contra o Palmeiras até Cuiabá, mas a renda alcançou apenas R$ 800 mil. Mais um prejuízo para a Roni 7, do ex-jogador Roni. No duelo Raposa x Corinthians, o rombo foi de R$ 500 mil. E no clássico Vasco x Flamengo, mais R$ 300 mil no vermelho. Grandes empresas, péssimos negócios.

Gilete press. Do pequeno grande Tostão, na ‘Folha': "A intenção da CBF, de criar conselhos para discutir os problemas do futebol brasileiro, convidando dezenas de pessoas, para agradar a todos e para trocar gentilezas, muitas sem condições técnicas para opinar, é perda de tempo. É preciso mais ação e menos blá-blá-blá. O que o futebol brasileiro mais precisa é de profissionais competentes e independentes nas direções de cargos, dentro e fora de campo, e que sejam escolhidos por seus méritos. A troca de favores e a formação de patotas são pragas nacionais, no futebol e em todas as áreas." Na mosca.

Tititi d'Aline. O Botafogo curte mais um pedaço do ótimo bolo deixado pelo ex-chefão Maurício Assumpção. O clube recebeu multa de R$ 360 mil da prefeitura por conta de uma obra irregular, um puxadinho. No vai da valsa, construiu uma cobertura na quadra de futsal em General Severiano. De chapéu na mão, a cartolagem pretende pedir o parcelamento da dívida em suaves prestações.

Você sabia que... o atleticano Maicosuel, autor de dois gols no Saci colorado, não balançava as redes havia sete meses, desde a vitória sobre o Flamengo pelas semifinais da Copa do Brasil?

Rádio vestiário. O moleque Neymar virou amigo de todas as horas da cantora Anitta. O casal não se cansa de trocar figurinha.

Bola de ouro. Jorge Sampaoli. Campeão da Copa América com o Chile, o argentino é a figurinha da vez no continente. Dificilmente o hermano deixará de receber proposta para dirigir um time europeu. Mais que merecido.

Bola de latão. Goiás. A torcida do Periquito do cerrado festeja: oito partidas sem vitória. É o maior jejum entre os participantes de um Brasileirão nivelado por baixo.

Bola de lixo. São Paulo. O soberano vive ótimo momento dentro e fora de campo: salários atrasados, desmanche, troca de farpas entre atletas, revolta por substituição e inconformismo com o banco de reservas. Pobre Osorio!

Bola sete. "Não quero correr riscos em viagem até que tudo esteja esclarecido" (do ilibado Joseph Blatter, o poderoso chefão da mamãe Fifa, ao explicar por que deu o cano na final da Copa do Mundo feminina - nada como ter a consciência tranquila).

Dúvida pertinente. Você confia num conselho de notáveis sob a tutela de Del Nero, Gilmar Rinaldi e Dunga?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

São Paulo e Corinthians empacam; Peixe leva bordoada do Grêmio e mergulha na degola

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Um domingo extremamente feliz para os paulistas contra os coirmãos de outros estados. De nove pontos, ganharam dois, em emocionantes ‘oxo', graças a estupendas e nada elogiáveis apresentações do soberano São Paulo e do Corinthians. Já o Peixe levou uma coça do imortal Grêmio e mergulhou no subsolo do Brasileirão, após 11 jornadas.

No Morumbi (10.539 torcedores), São Paulo e Fluminense morreram abraçados no placar em branco. Feliz da vida com o quarto jogo da equipe sem vencer, a galera são-paulina homenageou os pupilos de Juan Carlos Osorio, o Guardiola de CM Aidar, com uma sonora vaia.

Apesar de ter mais posse de bola ao longo do primeiro tempo, o Tricolor paulista ameaçou para valer o Fluminense apenas duas vezes, numa cabeçada de Pato, defendida por Cavalieri, e num chute de Ganso rente à trave.

Mais preocupada em se defender, a equipe carioca só incomodou num contra-ataque de Gerson, que caiu à frente de Rogério Ceni após levar um tranco de Reinaldo pelas costas.

No segundo tempo, o tico-tico sem fubá ficou ainda mais sonolento. A torcida só acordou aos 32 minutos. Rodrigo Caio, que havia saído do banco, acertou bela cabeçada e a bola tocou na trave. Antes, Michel Bastos, substituído por Centurión, saiu chiando barbaridades por discordar da ideia de Osorio.

No Serra Dourada, num jogo de raros momentos de qualidade e na velocidade de um namoro de tartarugas, Goiás e Corinthians também ficaram no ‘oxo'. O time goiano completou oito jogos sem vencer, mas saiu da zona do agrião queimado. Já a equipe paulista não conseguiu a tão sonhada trinca de vitórias e também não chegou ao G4.

Depois de sofrer pressão do Goiás no início da partida, principalmente pelas laterais, o Corinthians se impôs. Tocou bem a bola no meio de campo e conseguiu algumas chances, porém se complicou no momento do arremate ou parou nas luvas de Renan.

No segundo tempo, o Periquito do cerrado voltou mais eficiente e até deu trabalho ao Corinthians. Que, mais uma vez, rodou muito a bola e pouco produziu ofensivamente. Abandonado no ataque, Vagner Love raramente apareceu.

As coisas pioraram quando o estrategista Tite optou por colocar Romero no lugar do artilheiro do amor. E depois Rodriguinho, saindo Jadson. No final do jogo, os goianos reclamaram muito de um pênalti de Gil em Carlos. Sua senhoria, Heber Roberto Lopes, ignorou os protestos.

No aquário da Vila Belmiro (4.942 testemunhas), o Peixe apanhou do imortal Grêmio por 3 a 1, perdeu uma invencibilidade de 14 jogos em casa e, de quebra, entrou na zona da degola.

Pedro Rocha, Galhardo e Yuri Mamute garantiram o quinto triunfo consecutivo da equipe de Roger Machado, que briga na ponta da tabela e sempre foi superior ao adversário. Ricardo Oliveira descontou. O santista lidera a artilharia do Brasileirão, com sete gols.

Geuvânio foi expulso aos 28 do primeiro tempo e complicou a vida do Santos, que sofreu a terceira derrota seguida. O ‘professor' Marcelo Fernandes balança mais no cargo que jangada em dia de trovoada.
                                                        ############

Pitacos da rodada 1. Dudu brilha, faz dois e implode Ponte na Arena Pantanal (11.074 torcedores), em Cuiabá - vitória (terceira consecutiva) coloca Palmeiras na sétima posição, com 18 pontos, à frente do soberano São Paulo e apenas três atrás do G4; de virada, Figueira mata Urubu no 'new Maraca' (20.769 espectadores), com estilingadas de Ricardinho e Fabinho - Alan Patrick marca para o Rubro-negro, que flerta com a degola e deve promover a estreia de Guerrero contra o Inter; Galo bom de bico vence Saci colorado, com dois gols de Maicosuel e um de Thiago Ribeiro, quebra tabu de 29 anos sem ganhar no Beira-Rio e assume a liderança do Brasileirão - Lisandro Lópes diminui prejuízo da equipe gaúcha, que não perdia em casa desde outubro do ano passado.

Pitacos da rodada 2. Coxa x Joinville, perfeito raio X do penúltimo com o lanterna: ‘oxo', diante de 11.103 espectadores; depois de três cacetadas, Raposa volta a vencer e derruba Furacão, gols de Arrascaeta e Marinho, em BH (7.427 pagantes); bike de Neto garante os três pontos da Chapecoense contra o Vasco, em Chapecó (4.349 testemunhas); apito amigo entra em cena e Leão indomável arruma empate (2 a 2) contra o Avaí na bacia das almas e segue invicto - gols de Diego Souza, André (pênalti, aos 46 do segundo tempo), Renan e Samuel Xavier, contra.

Zé Corneta. Happy birthday: Argentina, 22 anos sem caneco.

Bem, amiguinhos. O glorioso Conselho de Desenvolvimento Estratégico, a genial ideia do Circo Brasileiro de Futebol para revolucionar a pátria das chuteiras furadas, tem tudo, e mais um pouco, para vingar: nascerá com fantástico e insuportável cheiro de naftalina. O primeiro encontro de ‘notáveis' deve acontecer nesta segunda, na casa amaldiçoada do ludopédio.

Sugismundo Freud. Quem não sabe obedecer não sabe mandar.

Bem, diabinhos. E o Saci colorado, hein? Chamando mendigo de lord, o clube gaúcho disse amém a 500 mil libras (R$ 2,4 milhões) e negociou a maior parte dos direitos federativos do garoto Allan ao Liverpoool. O meio-campista de 18 anos passou por Tanabi e soberano São Paulo antes de aterrissar no Beira-Rio. Allan era titular da equipe sub-20.

Caiu na rede. Messi, um vascaíno a serviço da Argentina: trivice.

A vida é bela. Os jogadores da seleção brasileira de futebol americano correm de um lado para outro a fim de arrumar US$ 38 mil para pagar a inscrição no Mundial dos EUA. Apelaram para uma vaquinha virtual, mas só arrumaram US$ 5 mil. Eles bancam até o uniforme, já que não têm patrocínio.

Dona Fifi. O Flamengo também tem um Valdivia, mas bem mais jovem: aos 20 anos, o zagueiro Samir vive de chinelinho no departamento médico. Já sofreu três lesões na coxa direita, uma nas costas e outra no púbis.

Gilete press. De Lauro Jardim, em 'Veja': "A Comissão de Valores Mobiliários decidiu suspender as operações da empresa do irmão e empresário de Ronaldinho Gaúcho, Roberto de Assis Moreira. A Panela Futebol Clube Intermediações de Negócios Ltda, de Assis e mais quatro sócios, estava fazendo ofertas de oportunidades de investimento coletivo em cotas de direitos econômicos de jogadores através de um site. O problema é que as operações estavam sendo feitas sem autorização da CVM, conforme previsto em lei. Se Assis descumprir a medida, terá que pagar multa diária de R$ 5 mil." Sujou!

Tititi d'Aline. Com voz pastosa, digna de bons goles de tubaína, o fofo Ronaldo pintou num vídeo cheio de amor para dar. E foi recompensado com carinhos do amigo Alvarinho, filho do empresário Álvaro Garnero, apresentado pelo Fenômeno como 'novo namorado'. Ganhou beijos, mordidinhas na orelha e no pescoço e 'provas de amor' no cangote. O vídeo bomba.

Você sabia que... o Urubu não voa no G4 do Brasileirão há 124 rodadas?

Bola de ouro. Chile. Nada mais justo o grito de campeão da América: Chi-chi-chi, lê-lê-lê, com direito a alfinetada do mago Valdivia - ‘Um minuto de silêncio para a Argentina que está morta'.

Bola de latão. Ingressos. Os organizadores de Vasco x São Paulo, marcado para o Mané Garrincha na próxima quarta, decidiram dar aquela força ao torcedor. O bilhete mais barato custará apenas R$ 160 (R$ 80 a meia-entrada).

Bola de lixo. Lusa. Parte do terreno do clube deve ser leiloada para quitar dívidas que chegam a R$ 50 milhões, referentes a processos trabalhistas. O local envolve o campo de areia e as quadras de futsal. Só falta marcar a data.

Bola sete. "São totalmente infundadas quaisquer insinuações de que a Globo agiu ou aja para obstruir a instalação da CPI do Futebol" (nota da plim-plim, sobre os seguidos adiamentos do pontapé inicial da CPI - há controvérsias?).

Dúvida pertinente. Os cartolas também festejaram o 4 de julho, Dia da Independência dos EUA?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Sport, o Leão indomável, repete campanha do bicampeão Cruzeiro e dá bico no cavalo paraguaio

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Aos agourentos de plantão, o recado dos números: o indomável Leão da 'Ilha de Lost', com aproveitamento de 73,3%, carrega no bico da chuteira a melhor pontuação do Brasileirão desde 2012, após 10 jornadas.

Única equipe invicta do campeonato, o Sport acumula 22 pontos - seis vitórias em casa (100%) e quatro empates fora. O time igualou a campanha do bicampeão Cruzeiro no ano passado (sete triunfos, um empate e duas cacetadas).

O Leão saboreia ainda a quarta maior pontuação desde 2006, quando o sistema de pontos corridos passou a contar com 20 clubes, de acordo com o 'srgoool.com.br'. Fica atrás de Corinthians, recordista e campeão com 26 pontos em 2011; Galo, 25 em 2012; e Flamengo, 23 em 2008. Desde 2003, nenhum clube do Nordeste teve desempenho melhor que o do Sport.

'Dizem que somos cavalo paraguaio, mas pensamos bem diferente. A gente sonha com o título. Em termos de estrutura e organização, o Sport não perde para ninguém', afirmou o centroavante André, autor de três gols nos últimos dois jogos.

O atacante reencontrou o caminho das redes após um longo jejum. Não marcava desde fevereiro, quando disputou o Mineirinho pelo Galo; no Brasileirão do ano passado, fez três em 20 partidas.

Responsável pela ótima campanha do Leão, o 'professor' Eduardo Baptista garante que ninguém está empolgado demais com a campanha. Os jogadores colocaram as chuteiras da humildade e tratam cada embate como uma decisão.

'A liderança é o resultado de muito trabalho, com simplicidade, humildade e respeito. O time vai oscilar em alguns jogos, mas tenho certeza de que ainda pode evoluir', afirmou Baptista, que esteve no bico da cegonha sem asa antes de o Brasileirão começar.

A dança da pontuação, após 10 rodadas:

2006 - Cruzeiro (21)
2007 - Botafogo (21)
2008 - Flamengo (23)
2009 - Galo (21)
2010 - Fluminense (22)
2011 - Corinthians (26)
2012 - Galo (25)
2013 - Botafogo (20)
2014 - Cruzeiro (22)
2015 - Sport (22)
                                                   ############
Zé Corneta. Os clubes brasileiros estão mais quebrados que a Grécia.

'São Valdivia'. Os chilenos têm tanta fé em Valdivia que até criaram uma versão do Pai Nosso para o mago, apontado como grande arma para superar a Argentina na decisão da Copa América. A oração, divulgada pela mulher do atleta, é o maior sucesso nas redes sociais. Vem acompanhada de uma foto de Valdivia como Jesus Cristo: 'Valdivia nosso que está na Copa América/Bem acertado sejam seus passes/Que abra o campo para Isla e Vargas/Venham seus cruzamentos para Sánchez/Que façam seus gols tanto de cabeça como de rebote/Perdoa Bravo como nós também perdoamos o rei Arturo/Não lhe deixe cair em provocação/E livra-nos da Argentina. Amém'.

Sugismundo Freud. Sem amor, a fé não passa de fanatismo.

Maldição. Maestro argentino, Messi encara um fantasma há oito anos. Desde a Copa América/07, mais precisamente após marcar o terceiro gol no triunfo sobre o México, por 3 a 0, a 'Pulga' não corre para o abraço em mata-mata. Ficou a ver navios na final da Copa América/07; em dois embates do Mundial/10; num jogo da Copa América/11; em quatro partidas da Copa/14; e agora no Chile (Colômbia e Paraguai). Messi é o segundo maior artilheiro da seleção, com 46 gols em 102 duelos. Tem 10 a menos que Batistuta.

Dona Fifi. Bons ventos a favor dos chilenos: dos 14 títulos da Copa América da Argentina, oito foram fora de casa, quatro deles no Chile. O time nunca venceu os hermanos no torneio (18 derrotas e seis empates) e marcou o último gol em 1959.

Bem, amiguinhos. Responsável pela virada de jogo do imortal Grêmio, com cinco vitórias, um empate e uma derrota, o 'professor' Roger Machado dá algumas dicas do sucesso: quem treina andando não pode jogar correndo; união acima de tudo; primeiro resgatar a confiança e depois cobrar; mais treinos táticos e menos coletivos; atenção especial aos garotos da base; e ser um ótimo vendedor de ideias. Bom proveito.

Caiu na rede. CM Aidar, um gênio são-paulino: como administrador, um ótimo vendedor.

Bem, diabinhos. O Circo Brasileiro de Futebol pretende promover uma revolução nas chuteiras furadas com a criação do Conselho de Desenvolvimento Estratégico, anunciado como muita pompa e sem circunstância por Gilmar Rinaldi. Mais uma tremenda papagaiada. Qualquer mudança tem de começar pela cartolagem que se enclausurou no poder e não larga o caviar nem que a vaca tussa. Gol da Alemanha.

Bomba, bomba! Finalmente, a novela chegou ao final e o torcedor do soberano São Paulo pode comemorar um ótimo reforço para o Brasileirão. O volante Rodrigo Caio, após transferência frustrada para Valência e Atlético de Madrid, decidiu permanecer no clube. O sonho de o Tricolor faturar algo em torno de R$ 40 milhões desapareceu na constatação de problemas no joelho do atleta.

Gilete press. Do meia Kaká à 'CNN', sobre os bons momentos do ludopédio nacional: "O futebol brasileiro está muito louco. Não há organização, ninguém pensa no futuro. Eles [os dirigentes] são imediatistas. O Campeonato Brasileiro não é mais o mesmo. Nós temos de resolver os problemas porque os outros países estão melhorando, com novas ideias e métodos." No alvo.

De chaleira. E o Ricardo Oliveira, hein? O 'vovô' artilheiro chegou desacreditado ao Peixe, roubou a cena no Paulistinha e comanda o ranking dos 'matadores' do Brasileirão, com seis gols. Panela velha é que faz comida boa.

Tititi d'Aline. O moleque Neymar e o aposentado imperador Adriano voltaram a se reunir, numa boate de São Paulo, para discutir o preço do pirulito. No fim de semana, a dupla já havia entabulado uma troca de ideias num show da Anitta, na Barra. Neymar e Adriano chegaram separados, mas saíram muito bem acompanhados. Prestativos, deram carona a seis moçoilas.

Você sabia que... Peixe e Grêmio já se cruzaram 10 vezes no aquário da Vila Belmiro na era dos pontos corridos, com três vitórias santistas, seis empates e um triunfo gaúcho?

Bola de ouro. Juan Carlos Osorio. O Guardiola de CM Aidar é um exemplo aos 'professores' capachos do esporte bretão nacional. Não se intimida e fala o que pensa: detonou o desmanche promovido pela cartolagem são-paulina.

Bola de latão. Diego Aguirre. O ‘professor' roda, roda e avisa: desde que assumiu a casamata do Saci colorado, escalou 39 times diferentes em 40 jogos. Usou 38 atletas.

Bola de lixo. Fórmula 1. O bicampeão mundial Lewis Hamilton enalteceu o dinheiro investido nos troféus da categoria: lembram tacinhas do kart de 1980.

Bola sete. "Dunga não serve nem para anão de jardim" (de José Simão, na ‘Folha' - desce o pano).

Dúvida pertinente. O coordenador Gilmar Rinaldi convidará o Galinho Zico para participar do Conselho de Desenvolvimento Estratégico da bola furada?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Corinthians passa sufoco, mas derruba Ponte e fica a três pontos do líder Sport

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Depois de apresentar um bom futebol no primeiro tempo, o Corinthians caiu de produção e passou o maior sufoco para derrubar a Ponte (2 a 0), no Itaquerão, minha casa minha vida (26.649 pagantes), e encostar no G4 do Brasileirão.

Jadson, na etapa inicial, e Vagner Love, aos 50 do segundo tempo, marcaram os gols que levaram o time a 19 pontos, três a menos que o líder Sport. É o melhor dos paulistas.

Pressionar a Ponte e não deixar jogar: os jogadores cumpriram fielmente as ordens do ‘professor' Tite e o Corinthians mandou no primeiro tempo. O goleiro Cássio foi um mero espectador, enquanto Marcelo Lomba evitou a implosão da Ponte em dois chutes de Malcom, muito bem pela esquerda.

Apesar de dominar a equipe campineira, o Corinthians só conseguiu correr para o abraço aos 40, após um contra-ataque brilhante. Vagner Love passou a Renato Augusto, que avançou pelo meio e tocou para Elias na direita. O volante cruzou rasteiro e Jadson, sozinho, bateu de primeira.

No segundo tempo, o Corinthians poderia ter aumentado o placar aos dois minutos, mas Jadson abusou do preciosismo, tentou apenas colocar a bola e permitiu a defesa de Marcelo Lomba.

Aos poucos, o time corintiano foi recuando, à espera de um contragolpe para ‘matar' o jogo. Resultado: a Ponte cresceu e encaixotou o Corinthians, que passou a apelar para o bumba meu boi, ligação direta defesa-ataque.

As coisas pioraram ainda mais com a entrada de Mendoza no lugar de Malcom. O colombiano irritou a torcida com uma série de jogadas ridículas. A Ponte só não chegou ao empate porque encontrou pela frente o gigante Cássio, em duas grandes defesas, e o zagueiro Gil (evitou um gol embaixo da trave).

Aos 50 minutos, o alívio corintiano: Jadson procurou Vagner Love e errou o passe, mas Fernando Bob resolveu catar coquinho e o ‘artilheiro do amor' não perdoou. Marcou o segundo gol e tirou a equipe do sufoco. Vagner Love assinalou o terceiro tento seguido na casa corintiana - os outros foram contra o Saci colorado e o Figueirense.

No 'new Maraca', diante de 13.002 torcedores, o Fluminense fisgou o Peixe, com os pescadores Fred 'Slater' e Lucas Gomes, e chegou à terceira colocação, com 20 pontos. A equipe santista, que descontou com Ricardo Oliveira, continua com 10 e flerta com o subsolo do campeonato.

Pela primeira vez Fred 'Slater' marcou um gol no Santos. O time das Laranjeiras fez a trinca: terceira vitória consecutiva. Já o Peixe continua sem festejar um triunfo fora de casa. Acumula dois empates e quatro derrotas. Ricardo Oliveira é o artilheiro do Brasileirão, com seis gols. 

                                                       ############
Sugismundo Freud. O sucesso sempre tem muitos pais.

Ronaldinho x Flamengo. Se nenhum farol vermelho atrapalhar, Ronaldinho Gaúcho e Flamengo se encontrarão na 9ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho, nesta sexta. O amigável tête-à-tête: o jogador cobra dívida de R$ 55 milhões em direitos de imagem e danos morais; o Flamengo exige indenização por mau comportamento (o malabares foi flagrado entrando no quarto de uma mulher durante a concentração). Demitido recentemente, o 'pofexô' Vanderlei Luxemburgo será testemunha do Urubu.

Zé Corneta. EUA pedem extradição de Zé da Medalha e de seis irmãos metralha: ajoelhou tem que rezar.

Zapping. O tropeço do soberano São Paulo diante do Furacão rendeu 19 pontos ao ibope da plim-plim na grande Pauliceia dominada pelo faroeste, três a mais que o clássico Palmeiras x Tricolor. Já a vitória do Flamengo sobre o lanterna Joinville cravou 23 pontos na Cidade Maravilhosa das facas afiadas, contra 17 de Goiás x Flu. Cada ponto em SP corresponde a 67 mil domicílios sintonizados; no RJ, 42 mil.

Caiu na rede. Soberano São Paulo vende carros populares, mas mantém Ferrari e Porsche com motores fundidos.

Bem, amiguinhos. Apesar de despencar na tabela do Brasileirão, colecionando duas derrotas seguidas, o soberano Tricolor deve ser louvado por desmistificar os analistas que teimam em solidificar os comentários na frieza dos números, como se o ludopédio fosse uma ciência exata. No chocolate dado pelo Palmeiras, o Tricolor teve 67% de posse de bola, com 410 passes certos. Na sapatada que levou do Furacão, dominou 51%, com 413 passes. Um tico-tico sem fubá para ninguém botar defeito.

Dona Fifi. Até agora não foi digerida por boa parte do elenco são-paulino a crítica de Ganso ao zagueiro Lucão, responsabilizando o garoto pelo primeiro gol do Furacão.

Bem, diabinhos. O ritmo de preparação do Brasil olímpico vai de vento sem popa. Principalmente com o seu, o meu, o nosso rico dinheirinho. Que o diga o Centro de Tênis dos Jogos de 2016! Em cinco meses, o preço dos tijolinhos sofreu um pequeno reajuste, passou de R$ 175 milhões para R$ 212 milhões. Há sete anos, quando a Cidade Maravilhosa das balas uivantes ganhou a corrida pela sede, o impoluto COB (caixinha, obrigado Brasil) estimou o complexo da bolinha em R$ 125 milhões.

De chaleira. Pelo andar da carruagem no Guaíba, o Saci colorado é carta fora do baralho do Brasileirão. Os gaúchos só pensam na Libertadores.

Gilete press. De Fábio Suzuki, no ‘Lance': "As mais de 20 contratações feitas pelo Palmeiras neste ano reforçaram o time em campo, mas têm pesado nas finanças do clube. A chegada de nomes como Cleiton Xavier, Dudu e Rafael Marques contribuiu para uma alta de 65% nos custos do clube com o elenco, passando de R$ 3,1 milhões, em novembro de 2014, para R$ 5,1 milhões, em maio deste ano. A despesa total com o elenco, entretanto, é bem maior, pois o balanço financeiro do Palmeiras não contabiliza os valores pagos com direito de imagem dos jogadores." Mama mia!

Twitface. Fim da linha para o bad boy Bernardo na nau vascaína. O capitão gancho Eu-rico Miranda cansou do fair play do atleta no porto de São Januário. O meia procura clube.

Tititi d'Aline. Os surfistas Adriano 'Mineirinho', Filipinho Toledo e Silvana Lima acertaram contrato com a Oi. O carro-chefe da empresa na crista da onda é o atual campeão mundial, Gabriel Medina.

Você sabia que... o imortal Grêmio não engatava quatro vitórias consecutivas no Brasileirão desde 2008?

Rádio vestiário. O ex-jogador Renato Gaúcho anda de cabelo em pé: a 'Playboy' promete despejar um caminhão de dinheiro para mostrar como sua filha, Carol Portaluppi, veio ao mundo.

Bola de ouro. Galo. Conseguiu empurrar o atacante Jô, 28 anos, para o Al Shabab, dos Emirados Árabes, por algo em torno de R$ 17 milhões. O futebol é Uma bênção.

Bola de latão. CM Aidar. O poderoso chefão do soberano São Paulo garantiu que não há desmanche no clube. Fato incontestável! Souza, Rodrigo Caio, Denílson, Paulo Miranda e Dória viajaram apenas para conhecer o Pateta.

Bola de lixo. Kyssia Cataldo e Nayara Furtado. Flagradas no antidoping, as remadoras estão fora do Pan-americano do Canadá, os Jogos Abertos do Interior com grife. Kissya, 33 anos, testou positivo pela segunda vez. Antes da Olimpíada de 2012, pegou dois anos de gancho.

Bola sete. "O Inter tinha encontro marcado com a decepção. O planejamento do rodízio é uma bobagem, praticado por treinadores dados a aventuras" (de Wianey Carlet, do 'Zero Hora', após a derrota para o Sport - te cuida, Aguirre!).

Dúvida pertinente. Soberano São Paulo: propaganda enganosa para atrair o ‘professor' Osório?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

Palmeiras sobe, soberano Tricolor leva outra surra e Leão devora Saci em 35 minutos

José Roberto Malia, colunista do ESPN.com.br

Pouco a pouco, o Palmeiras vai ganhando corpo, subindo na tabela (está em nono, com 15 pontos) e mostrando que pode pelo menos brigar por uma vaga na Libertadores.

Mesmo sem apresentar o futebol contundente da goleada sobre o soberano São Paulo, a equipe superou o bom time da Chapecoense, no Allianz Parque (32.742 pagantes), com gols de Egídio, em grande fase, e do iluminado Cristaldo, que mais uma vez saiu do banco e encaçapou o adversário.

Os catarinenses surpreenderam e decidiram encarar os periquitos em revista de frente. Chegaram a assustar no primeiro tempo, mas o Palmeiras se impôs e fez 1 a 0, aos 27: Egídio bateu de fora da área, a bola tocou num adversário e enganou o goleiro Danilo.

Na etapa final, o Palmeiras procurou administrar a vantagem, sem correr riscos. E aumentou para 2 a 0, aos 24: Cristaldo, que havia entrado no lugar de Leandro Pereira, aproveitou uma sobra embaixo da trave e tocou para o gol.

Missão cumprida: seis pontos em dois jogos. Que venham Ponte e Avaí! Pelos planos do ‘professor' Marcelo Oliveira, o time entrará para valer na briga pelas primeiras posições se ganhar mais seis pontos.

Em Curitiba, na Arena da Baixada (22.016 espectadores), o soberano Tricolor perdeu do Furacão (2 a 1) e completou três jogos sem vencer - antes, havia empatado com o Avaí e levado uma piaba do Palmeiras.

De quebra, o São Paulo caiu fora do G4 (está em sexto) e segue sem vencer na casa do coirmão. Em 22 jogos, perdeu 12 e empatou 10.

Gustavo e Marcos Guilherme marcaram para os paranaenses. Centurión descontou para o time paulista, após tremenda pixotada do goleiro Weverton. Em processo de desmanche, o Tricolor só não levou uma cacetada maior porque Rogério Ceni fez boas defesas.

Não vai ser nada fácil para Juan Carlos Osorio, o Guardiola de CM Aidar, arrumar a casa são-paulina. A diretoria está jogando contra. O treinador não ficou no banco por estar suspenso. Com a vitória, o Furacão entrou no G4.

Na ‘Ilha de Lost', em Recife, o Leão pernambucano continuou insaciável, mesmo sem Diego Souza (suspenso): precisou apenas de 35 minutos de jogo para devorar o Saci colorado, com dois gols de André (o primeiro de pênalti) e um de Marlone.

Único invicto do Brasileirão, o Sport lidera com 22 pontos. A equipe de Eduardo Baptista venceu os seis jogos que disputou em casa. Marcou 13 gols e tomou quatro. No campeonato, tem aproveitamento superior a 73%.

O triunfo mostrou que o Leão não ruge por acaso no topo da tabela. Mandou na partida. Desprezado pelo Palmeiras, Maikon Leite foi um dos destaques do Sport. Já o Inter segue ‘virgem': nenhuma vitória como visitante. Em seis embates, três derrotas e três empates. Pífios três gols a favor e 10 contra.

                                                       ############ 

Pitacos da rodada. Vasco engata a segunda vitória sob o comando de Celso Roth: 1 a 0 no Avaí, gol de Biancucchi, em São Januário (7.333 pagantes), mas permanece na zona da degola; Thiago Ribeiro marca dois e garante os três pontos do Galo sobre o Coxa, no Independência (12.309 torcedores) - time mineiro segue na vice-liderança; Fábio pega muito, porém não evita a derrota da Raposa para o imortal Grêmio, gol de pênalti de Douglas, diante de 24.656 pessoas em Porto Alegre - gaúchos pulam para terceiro; Emerson ‘Bitoca' derruba Joinville e tira Flamengo da zona do agrião queimado em SC (15.731 espectadores) - time catarinense segue com o brilho da lanterna.

Liquidação tricolor. O soberano São Paulo perdeu mais um jogador, depois de Rodrigo Caio, Paulo Miranda, Denilson e Dória (retornará ao Olympique de Marselha). O balcão de negócios do Morumbi acertou a transferência do volante Souza para o Fenerbahce, da Turquia, por 8 milhões de euros (R$ 27,8 mi). O Tricolor receberá R$ 9,7 mi (35% dos direitos econômicos). De chapéu na mão e bolso estropiado, a cartolagem são-paulina não pôde cobrir a oferta - uma cláusula obrigava a negociar o atleta se o clube recebesse proposta igual ou superior a 8 milhões de euros. Com o café no bule, o Tricolor deve pagar os salários atrasados.

Caiu na rede. Chupa Paraguai! Só o Brasil é 7 a 1.

Um por todos... A união faz a força: almoço em Brasília para discutir a criação de uma liga do esporte bretão e a MP do futebol reuniu nada mais que quatro presidentes e três representantes de clubes. O poderoso encontro foi idealizado por Flamengo, Furacão e soberano São Paulo. O Circo Brasileiro de Futebol e a bancada da bola lamentaram o fracasso do rega-bofe com champanhe.

Zé Corneta. 'Mestre' Dunga estufou o peito, abriu um largo sorriso e vociferou após o massacre argentino sobre os paraguaios: 'Não entenderam a minha astúcia'.

Bem, amiguinhos. O ataque do FBI aos gatos gatunos da mamãe Fifa traumatizou para valer o Circo Brasileiro de Futebol. Uma das empresas indiciadas nos EUA por bancar a xepa de Zé da Medalha e de outros irmãos metralha, a Full Play, negocia amistoso entre a amarelinha desbotada e os hermanos, segundo o 'Estadão'. Os donos da ilibada agência, Hugo Jinkins e seu filho Mariano, são amigos de fé de Marin e Del Nero, o imperador ostentação, e se encontram em prisão domiciliar na Argentina. Aguardam com ansiedade a extradição para os EUA.

Sugismundo Freud. Cozinheiros demais estragam o mingau.

Bem, diabinhos. A situação está mesmo uma maravilha pelos lados do 'mestre' Dunga e seus anões. Até Rivaldo, conhecido por fechar-se em copas, ficou tão encantado com a bolinha de gude da amarelinha desbotada que não se aguentou e rasgou elogios: 'Eu gosto de ficar em silêncio, mas não dá para ficar calado, a coisa está feia'. A solução? Muito simples, de acordo com o pentacampeão do mundo: convocar apenas os jogadores das grandes ligas, ‘e não qualquer um'. Caso contrário, mais 30 anos de fila.

Dona Fifi. Depois do chocolate argentino no Paraguai, a certeza: Deus é mesmo brasileiro. Bendita virose que abateu os anões de Dunga.

Gilete press. De Leandro Behs, no ‘Zero Hora': "O Inter oferecerá o seu principal ativo aos bancos para obter um empréstimo de pelo menos R$ 20 milhões: o faturamento com o quadro social. O clube tenta amealhar R$ 40 milhões das instituições bancárias, mas a metade desse valor já será bem-vinda para quitar dívidas. Com projeção de atingir 120 mil associados em agosto, além do reajuste das mensalidades que está por vir, o Inter passará a arrecadar R$ 10 milhões mensais com os sócios. Um faturamento superior ao que recebe com a TV e com os patrocinadores. Só para alguns ex-jogadores o clube deve R$ 18 milhões." Que churrasco!

Tititi d'Aline. O supermago Valdivia manda lembranças aos palmeirenses: em menos de 30 dias, disputou seis jogos (482 minutos) com a camisa da seleção do Chile; em mais de quatro meses, participou de uma maratona de 10 partidas (623 minutos) em defesa dos periquitos em revista.

Você sabia que... Messi já marcou 831 gols em 914 jogos, incluindo as divisões de base?

Bola de ouro. Rayo Vallecano. O time espanhol usará enxoval com desenhos e mensagens de combate ao câncer e apoio ao movimento gay. O uniforme três, por exemplo, é preto, com faixa transversal nas cores do arco-íris, bandeira do LGBT.

Bola de latão. Santos. Nada como repousar em berço esplêndido. Em 2013, clube contratou o lateral Cicinho por R$ 6 milhões. Agora, com a guilhotina financeira brilhando no pescoço, negociou o atleta ao Ludogorets, da Bulgária, por R$ 3 milhões.

Bola de lixo. Mídia caolha. Certamente com a paixão à frente da razão, criticou Robinho por trocar 'o amor pelo dinheiro', o Peixe pelo Guangzhou Evergrande, da China. Do outro lado do mundo, o jogador embolsará mais de R$ 120 milhões em três anos. Se ficasse (e recebesse) no aquário da Vila Belmiro, iria faturar R$ 36 milhões. O amor é lindo... até a página três.

Bola sete. "A primeira divisão do futebol está nos grandes times da Europa (Barça, Real, Bayern e outros). O futebol que se joga no Brasil é, com boa vontade, da segunda divisão" (do pequeno grande Tostão, na ‘Folha' - fulminante).

Dúvida pertinente. Leão da ‘Ilha de Lost': fogo de palha ou primeiro candidato ao título?

O que você achou?
jose.r.malia@espn.com

 

mais postsLoading
Publicidade
Alertas
Não perca nada do que está acontecendo no mundo do esporte!Com o ESPN ALERTAS, você receberá notificações no seu navegador sobre as últimas notícias, eventos exclusivos e muito mais!